by

Livro: O Caldeirão da Magia Amazônica

No comments yet

Categories: Livros, Tags: , , , , , , , ,

Livro sobre ervas, plantas, magia natural, bruxaria natural, feitiços e rituais, remédios naturais entre outras coisas que podem ser feitas com ervas e suas energias e compostos.

o caldeirão da magia amazônicaO Caldeirão da Magia Amazônica

Editora: Pallas

Páginas: 180

Autora: Suely Cals

Brevemente sobre o Livro

Sou uma curiosa e devoro livros. Então, bem, não posso ver livros de magia por aí que preciso comprar, heheh!

Essa foi uma das compras felizes!

Sim, o livro tem poucas páginas, não tem ilustrações, mas meus queridos! Que livro delicinha!

Já no índice é possível fazer a alegria de qualquer bruxo: há um espacinho para receitas de águas, óleos, amuletos, feitiços para atrair energias diversas, banhos de todo tipo, como fazer incensos, perfumes, feitiços para prosperidade nos negócios, receitas de chás e xaropes. Tem receitas de comida, receitas de coisinhas para beleza, proteções! Ufa! E nem falei tudo!

E é um livro muito interessante porque a autora fala dos índios, fala da magia como acontece por lá, na Amazônia. Fala das energias da natureza, de seres espirituais. Ensina até rezas e benzimentos! Quem está querendo aprender sobre benzimento (como eu) vai ficar feliz em ver esse espacinho!

No final tem umas 20 páginas sobre ervas variadas e para que servem. Está escrito o nome, o nome científico, onde achar, como usar… quer mais? Tem um glossário para ajudar quem está começando agora a entender certos termos e coisinhas usadas.

Adorei as receitas amazônicas. Nada impossível.

E quer ver umas coisas legais que achei por lá?

Tem uma planta chamada Lágrima-De-Nossa-Senhora (Coix lacryma-jobi), que é originária da Ásia, mas foi aclimatada no Brasil. Os frutinhos dela são do tamanho de uma ervilha e são azulados. São usados em confecção de colares e para mirongas de atração e saúde.

Aliás, você sabe o que é mironga?

Hahhah! Mironga é a maneira amazônica de dizer magia! Aqui chamamos de bruxos, lá chamam de mirongueiros! Ahahaha!

Gostou?

Tem aqui ó: Saraiva e Amazon e também no Submarino.

Até a próxima!

Rosea Bellator

Veja os últimos livros que falamos por aqui:

by

Ritual Quebra-Feitiço

9 comments

Categories: Banimento, Tags: , , ,

Sente que alguém mandou algum feitiço para te atrapalhar? Para afundar suas finanças ou prejudicar seu relacionamento? Vem aprender a fazer um ritual quebra-feitiço e faça sem medo.

quebra feitiçoComo funciona: O Ritual Quebra-Feitiço é uma magia que quebra feitiços enviados à você no intuito de prejudicar sua vida de alguma maneira. O ritual vai quebrar o efeito da porcaria enviada à você, vai limpar você e o ambiente e ainda faz uma proteção.

Importante saber antes de fazer: Se a pessoa voltar a enviar porcarias contra você, uma hora você vai ter que fazer novamente esse ritual ou outro. O efeito da proteção feita ao final não é eterna.

O que você vai precisar:

  • caldeirão
  • arruda seca
  • quebra demanda seca ou fresca
  • guiné seca ou fresca
  • pétala de rosa branca seca fresca
  • uma colher de vinagre – tinto ou branco, tanto faz
  • uma colher pequena de enxofre em pó
  • uma turmalina negra – pode ser pequenina
  • caule de uma rosa vermelha, pegue a parte que tem mais espinhos
  • cascas de alho (pode conter alho também se quiser)
  • um punhadinho de sal grosso
  • incensos de sândalo ou mirra ou olíbano ou verbena
  • um punhado de alecrim seco ou fresco
  • 1 vela branca
  • opcional: 1 vela prata

Uau! Quantas coisas!

Posso substituir algo? Não, senão vai perder o efeito ou pode ter outro efeito.

Posso deixar de por algo? Vai perder o efeito total.

Espere a entrada da lua minguante ou a lua negra. Porém, o sabbath de inverno/yule também é um bom momento.

O Ritual Quebra-Feitiço

Ingredientes na mão, lua correta no céu, espere apenas o sol se pôr. É hora da feitiçaria!

Comece abrindo o Círculo Mágico.

Chame pela força dos Elementais.

Acenda a vela branca em algum canto do seu altar, seja ele montado só para esse ritual, seja seu altar fixo. Acenda a vela, coloque o alecrim ao redor dela e peça aos elementais que te protejam de qualquer energia maligna.

Se quiser, em vez de pedir proteção aos elementais, pedir à sua divindade, pode ser feito. Mas não deixe de invocar os elementais ao círculo, eles vão ajudar no processo do ritual.

Chame a força da lua. Peça que te ajude a quebrar os feitiços malignos feitos contra você. Se quiser, pode acender uma vela de prata para a lua. É só um símbolo e uma maneira de a representar dentro do ritual.

Concentre-se. Invoque forças dentro de si mesmo. É a hora!

Coloque metade de tudo no caldeirão, exceto o enxofre, a turmalina e o vinagre.

Pode colocar um pouco de álcool e então, risque o fósforo e …. fogo!

Mexa o fogo devagar com uma colher de pau. Com energia, com força, chame as forças do fogo! Peça que as chamas sejam fortes e tragam à tona a energia das ervas.

Quando você sentir que a energia de tudo que está no caldeirão está sendo liberado, puxe essa energia para se limpar e limpar sua casa. Visualize toda sua casa e veja essa energia passar por todo o local.

Agora, foco novamente no caldeirão.

Comece a por a outra metade das ervas, chame os elementais e peça para criarem uma energia poderosa, energia que será usada para quebrar um mal e dissipa-lo.

Queimada todas as ervas, continue colocando gotinhas de álcool se necessário. Mantenha o fogo alto!

Coloque a colher de vinagre e diga:

“EU INVOCO O PODER DA ÁGUA

O PODER CURATIVO E QUE TAMBÉM PODE BANIR

QUE SEJA BANIDA TODA ENERGIA FLUÍDA E MALIGNA!”

Em seguida, coloque a turmalina negra e diga:

“EU INVOCO O PODER DA TERRA

O PODER CURATIVO E QUE TAMBÉM PODE BANIR

QUE SEJA BANIDA TODA ENERGIA SÓLIDA E MALIGNA!”

Depois chame a força do fogo, diga:

“EU INVOCO O PODER DO FOGO

O PODER CURATIVO E QUE TAMBÉM PODE BANIR

QUE SEJA BANIDA TODA ENERGIA ETÉREA E MALIGNA!”

Por fim, pegue o enxofre com os dedos, atire-o ao fogo e diga em voz altar:

“EU INVOCO O PODER DO AR

O PODER CURATIVO E QUE TAMBÉM PODE BANIR

QUE SEJA BANIDA TODA ENERGIA DE PENSAMENTO MALIGNA!”

Mexa o caldeirão e termine dizendo:

“PELA FORÇA DOS QUATRO ELEMENTOS

PELA FORÇA EVOLUTIVA QUE HÁ EM MIM

ESTOU QUEBRANDO E BANINDO FEITIÇOS MALIGNOS

LANÇADOS CONTRA MIM E MINHA CASA

ESTOU LIMPANDO E CURANDO MEU SER

ESTOU LIMPANDO E CURANDO MINHA CASA

ESTÁ FEITO!”

Ao terminar, respire fundo, veja a energia se espalhar por toda a casa e arrancar todo pedacinho de energia negativa, seja lá em qual forma esteja.

Respire fundo… Deixe o fogo apagar sozinho.

Agradeça a todos que você invocou, e os despeça. Acenda os incensos e espalhe pela casa.

Desfaça o círculo. Está feito.

Sugestão: Eu faria esse ritual pelo menos a cada 2 meses.

Beijokinhas!

Autor: Rosea Bellator
E-mail: oficinadasbruxas.odb@gmail.com
Loja: http://lojaoficinadasbruxas.com/
E-mail da Loja: lojaoficinadasbruxas@gmail.com
Youtube: Canal Oficina das Bruxas

Atenção: A reprodução parcial ou total deste texto é proibida e protegida pela lei do direito autoral nº 9610 de 19 de fevereiro de 1998. Proíbe a reprodução ou divulgação com fins comerciais ou não, em qualquer meio de comunicação, inclusive na internet, sem prévia consulta e aprovação do autor. 

Quer ver outros posts? Clique nos seguintes links:

by

Meditação de Inverno para Abrir a Mente

6 comments

Categories: Meditação, Tags: , , ,

Aproveite em qualquer dia, dentro da estação de Inverno para fazer esta meditação. Claro que, quanto mais próximo da data de entrada do inverno, mais fluída é. Abra-se. Veja dentro de si mesmo. Veja as coisas que precisam ser analisadas, desconstruídas, para então você mesmo abrir seus caminhos.

meditação de inverno para abrir a menteÉ importante começar avisando que seria bom chamar alguma divindade ou força para te auxiliar, afinal, será liberada uma grande energia, que é muito difícil de manipular e compreender sozinho.

Vou dar alguns exemplos:

Maria tem como maior sentimento obstáculo, a Raiva. Por isso ela chama divindades ou forças do fogo, para queimar, transmutar, fazer a raiva virar um fogo que traga Força.

Mário tem como maior sentimento obstáculo, que o impede de pensar direito, o medo e a sensibilidade aflorada demais, Mário se ofende muito facilmente. Então seria uma boa chamar uma divindade ou fora da água, para ajudá-lo a ser mais flexível, a permitir a si mesmo a fluir, e onde não achar saída, criar a própria rota.

Eliana tem como maior sentimento obstáculo a sensação de sempre perder o foco, de ficar perdida. Seria interessante chamar a força dos ventos, ou alguma divindade que trabalha muito o poder da mente. E assim banir essa falta de foco e deixar uma sensação de leveza quando estiver no caminho certo. Outra boa opção, seria chamar força ou divindade da terra para ajuda-la a fixar os pés no chão e ter um foco mais próximo da realidade.

Eu, particularmente, acabo chamando por Sekhmet quando estou com raiva, para transformar a raiva em força. Ou chamo Poseidon, para me mostrar o caminho mais profundo nas águas, e ali me tornar flexível e suave, nadando na escuridão do fundo do mar sem medo…

Escolhida a força ou divindade que vai chamar, organize um pequeno espaço. Que é onde será enviada a sua energia para ser transformada, e então retornar para você.

Se for trabalhar com fogo, tenha fogo. Se for trabalhar com água, tenha um pote de vidro, ou madeira, ou barro, ou porcelana, ou metal com água. Se for trabalhar com ar, tenha incensos ou esteja em ambiente aberto. Se for trabalhar com a terra, tenha uma plantinha ou cristais à sua frente.

Tudo organizado, vamos começar…

Que fique claro que nem todo mundo consegue meditar sentadinho. Eu medito melhor dançando, por exemplo. Tem quem medite melhor deitado. Faça como você consegue melhor.

Sinta a energia da natureza. Sinta a força do inverno. O inverno não é só frio, é reflexão, é a mudança da natureza… Sinta…

Antes de começar a meditar, programe em sua mente: primeiro colocarei meus sentimentos que mais me atrapalham de pensar para fora. Vou gerá-los para fora de mim, como se tirasse lixo de dentro de mim. Vou colocar essa energia sobre o altar.

Chame pela força ou divindade escolhida.

Chame e diga o propósito: transformar a energia que você vai por para fora em … (escolha o que está precisando. Mas escolha uma coisa só, para não perder o foco).

Então comece sua meditação, como preferir. Se vai ter ou não música, é com você.

Em dado momento, quando você tiver silenciado a mente e colocado toda a energia para fora, abra os olhos e coloque a energia sobre o altar. Diga:

“Eu coloco toda energia que eu coloquei para fora sobre o altar.”

Chame novamente a força ou divindade escolhida e diga:

“Estou me livrando a energia de (diga do que está se livrando) e te peço, (diga o nome da força ou divindade) que transforme com teu poder de (diga se é de água, de terra, fogo, mente, etc) que transforme! Transforme essa energia em (diga no que quer transformar a energia que você colocou para fora.”

Novamente, feche os olhos e volte a meditar à sua maneira. Sinta a transformação. Permita que seu único pensamento seja de a sensação de transformação e gratidão.

Quando você sentir que terminou, volte ao altar, agradeça. Deixe uma taça de água ou vinho como agradecimento. Diga que a força ou divindade pode ir em paz se assim desejar.

Está feito.

Essa é uma sugestão de meditação para o inverno, pois é a estação que a natureza se abre para a reflexão. Para por para fora o que deve morrer e mantém o que deve ficar para florescer. Esse tipo de meditação no inverno é favorecida… Mas você pode fazer em qualquer época do ano.

Feliz inverno! Feliz Passagem de Inverno! Ou, como diriam também: Feliz Yule!

Beijokinhas!

Autor: Rosea Bellator
E-mail: oficinadasbruxas.odb@gmail.com
Loja: http://lojaoficinadasbruxas.com/
E-mail da Loja: lojaoficinadasbruxas@gmail.com
Youtube: Canal Oficina das Bruxas

Atenção: A reprodução parcial ou total deste texto é proibida e protegida pela lei do direito autoral nº 9610 de 19 de fevereiro de 1998. Proíbe a reprodução ou divulgação com fins comerciais ou não, em qualquer meio de comunicação, inclusive na internet, sem prévia consulta e aprovação do autor. 

Quer ver outros posts? Clique nos seguintes links:

by

O Caminho de uma Bruxa

40 comments

Categories: Experiências, Tags: , , , , , , ,

Eu sou a Rosea Bellator.

Mas meu nome é Raquel Melo. Tenho 26 anos, e bem, em Outubro farei 27. Sabe, as coisas como são hoje… nem sempre foram assim.

o caminho de uma bruxa“Gostaria de contar alguns causos dos meus caminhos como bruxa para vocês. Vou começar com o que aconteceu agora, no começo do mês. Entre os dias 5 a 8 de junho de 2016.  A ideia era ir para uma ilha, e lá fazer nossos trabalhos mágicos. Rituais importantes. E aproveitar e encaminhar alguns espíritos que estavam perdidos por lá. Bem, não foi bem como o planejado. Demoramos para chegar onde deveríamos, nos perdemos um pouco no meio do caminho, alguns espíritos tentaram nos enganar, a trilha era difícil… ufa!

Não fizemos tudo que queríamos e ficamos bem frustrados. Mas tudo bem, sempre existe o dia seguinte. Fomos embora de lá quebrados e não percebemos que veio um espírito maldito junto no carro, porque estávamos levando uma pedra bonita que achamos na ilha…

Deu um baita trabalho expulsar o espírito depois, mas expulsamos. Ficamos ainda mais esgotados. Tivemos sonhos ruins e ficamos o tempo todo pensando: será que veio mais alguma porcaria conosco? Não, não veio, mas ficamos uns dias um tanto paranoicos. Você deve estar pensando: então por que você não larga a magia? Bem, eu estudando ou não, eu praticando ou não, espíritos como esse vão continuar existindo. Se eu não estudasse e não praticasse, não saberia que ele estava nos seguindo e não saberia como banir. Poderia ter acontecido em qualquer viagem, em qualquer lugar. Foi frustrante sim, mas aprendi muito com isso. Toda a viagem foi um longo aprendizado que me valeu mais do que anos em livros.

Bem, antes dessa experiência, tive outras, claro. Vou contar mais algumas.

Há um mês atrás, eu tinha uma tarefa. Precisava consagrar uma baita turmalina negra em nome de minha deusa. Só que não era um processo assim tão simples. A pedra precisou ficar o dia inteiro no sol, e aí quando viesse o por do sol, rapidamente eu teria que fazer um baita fogaréu no meu caldeirão grande, chamar pela deusa, e colocar a pedra lá no meio do fogo. Com a mão. E tinha que ficar ali, pertinho, colocando minha energia no fogo, transmutando a energia da pedra. Eu só estava meio preocupada, com medo de fazer errado. Algo que vivo falando para as pessoas: faça sem medo. Haha! Me concentrei ao máximo e então me veio na mente: aproveite esse fogo e queime algo em nome de sua deusa! Corri no altar dela, peguei uma rosa branca, joguei no fogo e lhe agradeci. O único pedido foi que me ajudasse a abrir meus dons. Eu não sentia energia alguma da flor que queimava e isso me deixou angustiada. Meu coração doeu. Será que estou fazendo tudo errado? Fiquei tão triste que chorei como uma criança abandonada. Na verdade acho que era esse mesmo o sentimento. Será que fui abandonada? Será que ela ficou de saco cheio? De frente ao fogo, de braços aberto, eu só fechei os olhos e me entreguei à energia transformadora que subia, da pedra lá no meio do fogo… E de olhos fechados eu vi uma mulher me olhar. Eu achei, claro, que era coisa da minha cabeça. Então agradeci – afinal eu estava finalizando o que tinha começado, a consagração da pedra – e declarei terminado. A mulher que eu achava ser coisa da minha cabeça então se virou, indo embora. Num impulso, eu perguntei: “quem é você?”. Ela se virou, me olhou espantada e então simplesmente sumiu.

Eu abri os olhos, cheios de lágrima, assustada. O coração disparado. Não foi coisa da minha cabeça. Não muito tempo depois eu tive a confirmação de 2 lugares diferentes: era ela, minha deusa, acompanhando todo o procedimento, me ajudando a abrir os meus dons, como eu havia pedido. Ainda fico meio trêmula quando lembro disso.  Foi uma experiência e tanto aflorar assim o meu dom, chamado sensorial. Um dom que funciona como ondas emitidas pelo nosso corpo, que nos fazem ver com a mente, como morcegos, qualquer ser ao nosso redor. Interessante, não?

Antes dessa experiência, teve uma que foi bem gostosinha…

Estava um climão em casa. Não lembro bem o porque, mas a energia estava estagnada. Energia estagnada é uma porcaria. É uma energia neutra, que se mistura com o que vier. Se vier briga, vira uma briga que não acaba mais. E conhecendo os seres humanos, o que vocês acham que veio? Sim, uma briga. Foi algo tão sem noção que até hoje não lembro o motivo, mas todo mundo em casa começou a discutir por qualquer coisa. Lá pela noite, antes de dormir, ou eu já estava dormindo? Me veio Héstia, deusa do lar. Ela me ensinou algo a se fazer pela casa, para acabar com a energia parada e com as brigas, e todo mundo voltar ao normal. A princípio parecia balela, porque era simples. Muito, muito simples.

Enfim pela manhã, eu fiz. Em cada cômodo da casa, eu acendia uma vela, sempre de uma cor diferente, e chamava por Héstia, pedindo que sua chama aquecesse o local e trouxesse amor… E lá fui eu, pela casa da frente, a casa de trás e no quintal. Muitas velas. O coração acreditando de verdade naquilo, desejando mesmo a harmonia. Estava uma situação muito chata, sabe?

Eis que… não muito tempo depois… Uma pessoa resolve fazer um bolo. Outra chama todo mundo pra ver filme. A outra está rindo… Está todo mundo de bem. Uma energia gostosa pela casa. Estava até cheirosa, e eu nem havia acendido incenso! Agradeci Héstia e a oferecemos a primeira fatia do bolo no fogo do caldeirão. Afinal, ela é a Primeira Chama. Obrigada, Héstia. Foi muito bom ver todo mundo percebendo que o ambiente mudou e que ninguém entendia porque tinham brigado… todo mundo se perdoou e vimos nosso filme com alegria.

Ai… foram tantas coisas… bem, antes dessa experiência, no final do ano de 2015, aconteceu uma coisa muito interessante também…

Vimos os fogos na praia. Foi tão lindo. Depois fomos pular as ondinhas, como tradição local. Aos risos, as pessoas iam pulando e pedindo. Eu só tinha 2 pedidos e um imenso agradecimento a fazer. Só pedi que não faltasse nada em casa e que sempre houvesse amor. Só isso. E agradeci. Foi  primeira vez que realmente não pedi algo. Ao pular, senti uma energia tão forte que mal consegui pular a segunda. Fiquei na minha. Voltamos para casa.

Tudo lindo. Fogos. Final de ano! Feliz ano novo! Então as coisas voltam ao normal… Como todo mundo sabe, início de ano é uma época paradona. Bem, esse ano foi diferente. Todo o mês de janeiro foi de folia, mesmo com o céu meio nublado. Colocamos uma piscina, farreamos, veio gente que faz tempo eu não via. Foi uma energia tão boa… Eu sabia que não foi acaso. Aquilo era inédito pra mim. Foi como tirar férias, umas férias bem merecidas, pois 2015 foi um ano pra lá de difícil. A gente acha que a magia dura pra sempre ou que o pedido durará  ano inteiro. Claro que não. A magia dura um tempo e então precisa ser renovada, pois a energia usada acaba. Bem, aquela magia foi bem poderosa, pois durou janeiro inteiro e até quase o final de fevereiro. Agradeço mais uma vez. Gosto de lembrar dessa época quando preciso me motivar.

Voltando mais um pouco no tempo, antes desse final de ano gostoso, como falei, 2015 foi um ano difícil… E bota difícil nisso. Perdi amigos e alguns deles descobri serem verdadeiras cobras que tentavam me derrubar escondido.

Eu fiquei bem frustrada, triste… descobrir que pessoas que você deu o melhor de si para ajudar, pra levantar, estavam fazendo magia para te ver pobre, para te destruir o relacionamento… Fiz o que se deve fazer quando a gente não gosta de um presente que é nos dado: eu devolvi. Devolvi e bani da minha vida.

Falar assim parece fácil, mas… De fácil não teve nada. Não sou um robô. Sou uma pessoa. Tenho memórias. Antes de ter que banir essas pessoas e devolver a porcaria que me mandaram, eram, para mim, minhas amigas. Pessoas que sabiam da minha vida, que me ajudaram a ajudar outras pessoas. Havia uma convivência. Não foi um monstro que saiu do armário do nada. Eu tive que tomar providências contra essas pessoas, que de repente se viraram contra mim.

Acho que esses rituais foram os mais dolorosos para mim… Eu não queria, mas sabia serem necessários para que energias negativas parassem de me serem enviadas. E cortou. Acabou. Eu saí disso tudo renovada sim, e aprendi que lutar é necessário.

Ufa! Esse foi tenebroso. É, mas essa é a vida.

Houveram rituais que não deram certo. Teve uns que foram interrompidos e desisti. Já fiz besteira. Aliás, por falar em besteira…

Isso me lembra uma vez que eu, acho que com meus 22 anos, fiz de birra e me ferrei tão…. ui! Eu já tinha noção de quem era minha deusa. Maaaaaaaasss…. mas…. mas… Teimosa. Cabeça-dura. Sim, isso mesmo.

Eu insistia que minha deusa não poderia ser Sekhmet, afinal, eu sou libriana, não poderia ser uma deusa de guerra… tinha que ser uma deusa do amor. E Sekhmet se resumia a isso para mim. Eu não admitia de jeito nenhum.

Eis que eu fui lá e busquei uma deusa do amor, em um ritual para me conectar. Não senti nada. Não fluiu nada. E eu lá, teimosa. Meu coração dizia: eu sei que não é, mas vou tentar! Ai ai… depois de todo trabalho, depois de ver que nada fluiu – e ter levado adiante assim mesmo – desmanchei tudo, agradeci, e fui dormir. Bem, dormir… ahahaha! Eu tive sonhos lúcidos terríveis. Acordei parecendo que fui chicoteada e fatiada. Que dor!

Enquanto eu batia na tecla, mais sonhos terríveis, pesadelos, dores, cólicas demoníacas, sinusite em crise em tempo integral. De alguma maneira, eu sabia porque eu estava sofrendo. Ah, eu sabia… mas era teimosa.

Insisti, insisti, insisti. Sekhmet já havia me dado mais do que meros sinais que era minha deusa mãe. Já estava mais que claro que meu poder como bruxa ficava poderoso com o fogo e que eu sentia uma leoa comigo.

Eu teimei mais. Fui buscar outras faces de deusas do amor, até chegar em Hathor. Até deu uma amenizada, afinal, é a outra face de Sekhmet. Acho que ela pensou: hum, está chegando! E eu… fiz besteira de novo. Não busquei às duas, busquei apenas Hathor. E toma-lhe dores de novo. Dessa vez tudo aquilo, só que em dobro.

Eu cheguei a ficar num estado que nada fazia sentido. Bem, fazia, só que eu queria que o universo fizesse o que eu queria – haha, como se eu fosse o centro do mundo, não é mesmo?

Até o dia que eu simplesmente me rendi. Acendi uma vela vermelha e a chamei. Pedi desculpa e disse: se a senhora é então minha deusa mãe, te peço, me cure e me mostra como cultuar uma deusa tão terrível…

No dia seguinte eu estava nova, sem dor, sem crise de sinusite, sem nada. “Coincidentemente” uma moça apareceu na internet falando de Sekhmet e me falou de um livro que ela queria comprar. Comprei o danado e … e vi como eu poderia me aproximar de Sekhmet. Pra ser bem sincera, foi fácil. Ela não exige coisas. Ela só quer sua determinação e fé. Não tem velas? Não faz mal, vá para o sol. Não precisa de mais nada.

Então, algumas semanas depois, eu tomei coragem, me fechei no quarto, vestida de céu… e a chamei.

Eu dancei, senti a energia fluir loucamente, me fazendo ter a sensação de voar. Fiz minha dedicação a ela. Naquela dança eu entendi a energia dela e me quebrou o maldito pensamento de que Sekhmet é apenas uma deusa da guerra. Uma louca sanguinária. Pedi perdão mil vezes.

Sekhmet é uma guerreira. Uma mulher cheia de paixão, de determinação, que não suporta injustiça. É uma deusa que traz doenças sim, mas isso é para os malditos. E claro, ela também tem o poder da cura, que é para os justos. Uma filha da leoa de fogo não apenas tem férrea determinação. Tem o poder de trazer a praga e tem o poder de trazer a cura, mas somente se estiver alinhada com a deusa. Conquistei isso sim, depois de muito teimar.

Me foi explicado depois porque isso aconteceu. Sekhmet é assim também. Dura, teimosa, demora para confiar. Afinal, é uma leoa! E depois que confia, ela aquece e te veste de fogo. Ninguém mais vai te derrubar.

Obrigada minha mãe.

Hehe… bem, e bem antes de conhecer minha deusa, quando eu ainda estava aprendendo o que era magia, eu passei por umas poucas e boas também.

Eu já tentei sim fazer magia para sumir. Ficar invisível, isso mesmo. É claro que acabou saindo um glamour errado e todo mundo passou a me ignorar por um dia inteiro! Hahahaha!

Eu já fiz feitiço pedindo dinheiro… e no dia seguinte achei 2 reais na calçada. Fim. É isso. Taí seu dinheiro. Ué, quem mandou não ser específica? Hahahaha!

Eu conheci a magia por causa do tarot. Acho que já contei isso aqui…

Eu tinha uns 14-15 anos. Era uma Jovem Aprendiz. Estava no meu primeiro emprego. Comprei o tarot, fui aprendendo sobre ele… e entrando de blog em blog, eu conheci a magia. Que me fez conhecer um monte de gente. Que me fez ficar muito brava por não ter informações legais. Que me fez criar a Oficina das Bruxas. Então percebi que não saberia levar tudo isso diante… estudei e criei meu nome mágico – A Guerreira da Rosa – que me fez lutar com doçura e força, sem nunca esquecer meus espinhos e belas pétalas… Que me fez compreender meus dons… e uau! É muita coisa…

Sendo bem honesta, eu me vejo como uma menina que guerreou bastante para descobrir O Caminho da Arte, d’Os Mistérios. Eu achei minha trilha. Estou no topo? Não, com certeza não. Mas o caminho é importante. A gente vai passar por maus bocados, que se analisarmos, veremos uma lição. Vamos passar por situações lindas, que vão ficar na memória. Temos que ponderar e entender que tudo vem e vai por um motivo, e que mesmo as situações que parecem um fracasso nos mostram alguma coisa. Eu aceito meu caminho como mulher livre, como feiticeira, como sacerdotisa…

Eu sou Bruxa.”

Ufa! Quantos caminhos uma bruxa passa, não?

Espero que minhas histórias sirvam para vocês entenderem que os caminhos são muitos, mas com fé e determinação, os caminhos vão continuar aparecendo e a gente vai evoluindo.

Beijokinhas!

Autor: Rosea Bellator
E-mail: oficinadasbruxas.odb@gmail.com
Loja: http://lojaoficinadasbruxas.com/
E-mail da Loja: lojaoficinadasbruxas@gmail.com
Youtube: Canal Oficina das Bruxas

Atenção: A reprodução parcial ou total deste texto é proibida e protegida pela lei do direito autoral nº 9610 de 19 de fevereiro de 1998. Proíbe a reprodução ou divulgação com fins comerciais ou não, em qualquer meio de comunicação, inclusive na internet, sem prévia consulta e aprovação do autor. 

Quer ver outros posts? Clique nos seguintes links:

by

Celebre os Sabbaths: Yule & Litha

14 comments

Categories: Comemorações: Sabbaths, Tags: , , , , , , , , ,

A noite de 20 para 21 é a entrada do Inverno no Hemisfério Sul e entrada de Verão no Hemisfério Norte.

Aqui no Brasil estamos no Hemisfério Sul, porém você não é obrigado a seguir a roda sul se não quiser.  Ambos são sabbaths muito importantes, já que um mostra a vida no ápice, o crescimento e amadurecimento e o outro fala sobre o entendimento da morte, a reclusão para proteção e reflexão, além também da preparação da vida que virá em seguida. Ambos causam mudanças drásticas no clima e são impossíveis de serem ignoradas.

Pois é, o mundo é redondo, o Sol movimenta nossas estações, e a vida na Terra, e por isso essas diferenças. Celebre a vida em todas as suas formas!

A seguir, vamos ver algumas sugestões do que fazer nesses sabbaths!

yule e litha passagensPara quem vai comemorar Yule

Sabbath voltado para o acolhimento, para a reclusão, reflexão. Compreensão de que tudo que morreu volta para a terra e retornará. Que há renovação. Ensinamento da paciência e fé.

Artigos recomendados: Ritual para Yule, O Sabbath: Yule, Oração de Inverno, Meditação de Inverno para Abrir a Mente.

Banho

Dentro de um lenço ou pedaço de pano limpo, coloque: um pouco de folhas de guiné, algumas folhas de artemísia ou 3 anis estrelados inteiros e um pouco de canela em pó ou em pau.  Faça uma trouxinha e amarre com uma fita roxa ou azul ou barbante. Coloque 1 litro de água para ferver. Quando começar a ferver, desligue. Coloque o saquinho lá. Abafe a panela por uns 20 minutos.

Remova o saquinho, reserve-o.

Vá para o seu banho higiênico, e depois pode usar o banho mágico, da cabeça aos pés. Conforme sente a água, visualize seu terceiro olho se abrir, visualize acima de sua cabeça, uma lótus se abrir. Visualize o céu noturno e a lua se alinhando com você. Diga: Eu abro minha mente, eu abro minha intuição, eu abro minha conexão com meus dons e os seres que desejam minha evolução.

Depois do banho, coloque o saquinho do lado de uma vela branca ou roxa e deixe lá até que a vela termine. Enfim, pode enterrar o saquinho e jogar os restos da vela no lixo. Não esqueça de agradecer.

Feitiço

Esse feitiço é muito simples, mas exige visualização. Acenda uma vela branca e deixe-a no chão. Vista-se de maneira confortável. Comece caminhando ao redor da vela. Chame pelo poder que reside dentro de você. Chame pelas forças que desejam sua evolução. Comece a dançar, sempre ao redor da vela, não fique parado em um lugar só! E então, aos poucos, comece a dançar com pulinhos, chamando as forças da natureza, chamando suas forças e pedindo que se unam em você. Peça que os caminhos sejam mostrados e que você tenha orientação. Dance! Feche os olhos de vez em quando e veja outras pessoas dançando com você! A vela é uma fogueira. e vocês estão numa floresta, sem medo. Dance! Cante! E no ápice dessa energia gerada, pare, vá até a vela, coloque suas mãos sobre a chama e diga: Eu liberto meu poder. Eu me conecto com o Todo. – e diga isso várias vezes.

Respire fundo. Você está agitado e gerou muita energia. Deixe a energia ser transformada enquanto você respira de olhos fechados. Quando sentir que terminou, apague a vela. Agradeça. Está feito. Pode usar essa vela no que quiser depois.

Sugestão de Celebração

Comece reorganizando seu altar, deixando somente imagens e símbolos referentes à lua, ao frio, à água, à passagem, caminhos, intuição, face sombria ou anciã, referente à compreensão. Converse com os deuses, com seu guardião, com a natureza e o universo. Com quem você cultua. Escolha algo que realmente deseja que aconteça, tente não pedir muito, assim você foca em algo, evitando diluir a energia em muitas direções.

Concentre-se e permita-se sentir a energia que você mesmo convidou para sua vida. Absorva essa manifestação. Pode colocar fogo no caldeirão e queimar algumas ervas, como arruda para banir energia ruim, levante para levantar os ânimos, flores como um convite para iluminar os caminhos e trazer alegria, artemísia para melhorar a intuição, entre outras, e celebrar. Ou pode também fazer uma fogueira, com o mesmo intuito, também queimando ervas.

E por fim, não precisa ir muito além… abra seu coração para esse final de ciclo. Seu Eu morre, para seu novo Eu nascer. Você precisará de um tempo para si, é sempre assim não é mesmo? Permita o coração e o espírito descansarem. Seus caminhos podem recomeçar e você sempre terá uma nova porta para seguir. Isto é o período de reclusão, mas também de compreensão. Pois tudo que um dia morreu, vai renascer. E esse é seu momento.

Viva, Yule! Viva a Passagem de Inverno!

Para quem vai comemorar Litha

Sabbath voltado para o amadurecimento, celebração da vida como um todo, luz, celebração da terra pronta para acolher a todos além de repassar o conhecimento aos mais novos

Artigos recomendados: Ritual de Litha: Consagração da alma, Feitiços para Litha, O Sabbath: Litha, Celebre o auge do Verão, Meditação de Verão, Cantos aos Deuses e Forças do Sol.

Banho

Dentro de um lenço ou pedaço de pano limpo, coloque: um pouco de folhas de guiné, algumas folhas de levante, um pouco de quebra-demanda e pétalas de uma rosa branca. Todas essas ervas podem ser secas. Ainda que você não tenha todas essas ervas, mas tenha duas, faça! Faça uma trouxinha e amarre com uma fita laranja ou vermelha ou barbante. Coloque 1 litro de água para ferver. Quando começar a ferver, desligue. Coloque o saquinho lá. Abafe a panela por uns 20 minutos.

Remova o saquinho, reserve-o.

Vá para o seu banho higiênico, e depois pode usar o banho mágico, da cabeça aos pés. Conforme sente a água, visualize o céu azul, e uma floresta cujos caminhos vão se abrindo numa energia brilhante. Esses são seus caminhos se abrindo com fertilidade. Visualize a si mesmo entrar nesses caminhos e chegar a algum lugar onde deseja.

Depois do banho, coloque o saquinho do lado de uma vela branca e deixe lá até que a vela termine. Enfim, pode enterrar o saquinho e jogar os restos da vela no lixo. Não esqueça de agradecer.

Feitiço

Durante o pôr do sol ou o nascer do sol, acenda uma vela de qualquer cor, menos preta,  e se concentre no calor dela. Comece pensando no fogo. Veja o fogo crescer. Veja o fogo passar por todo seu corpo. Veja seu corpo tomar a forma de um pássaro e se elevar. Nesse momento, se você estiver se entregando e se concentrando de verdade, você vai sentir seu corpo vibrar, se aquecer, como que um leve formigamento. Aí, nesse momento, chame o que você deseja para si. Por exemplo: Eu desejo que haja amor entre eu e Fulanx. Outro exemplo: eu desejo que meu medo por tal coisa seja queimado e suma! Outro exemplo: Eu desejo que todos os obstáculos no meu caminho para conseguir um emprego sejam queimados e sumam!

Abra os olhos. Agradeça. Deixe a vela terminar de queimar.

Sugestão de celebração

Comece reorganizando seu altar, deixando somente imagens e símbolos referentes ao sol, ao fogo, à luz. Converse com os deuses, com seu guardião, com a natureza e o universo. Com quem você cultua. Escolha algo que realmente deseja que aconteça, tente não pedir muito, assim você foca em algo, evitando diluir a energia em muitas direções.

Concentre-se e permita-se sentir a energia que você mesmo convidou para sua vida. Absorva essa manifestação. Pode colocar fogo no caldeirão e queimar algumas ervas, como canela (amor e sucesso), louro (prosperidade), alecrim (proteção) entre outras, e celebrar. Ou pode também fazer uma fogueira, com o mesmo intuito, também queimando ervas.

E por fim, não precisa ir muito além… abra seus braços para a vida que está no auge. Deixe toda energia negativa, todo pensamento negativo ser queimado pela força do sol em seu auge, pelo verão que se inicia. Permita seu corpo e seu espírito se revigorarem e veja com mais seriedade sua vida, suas escolhas. Você cresceu.

Viva, Litha! Viva a Passagem de Verão!

E é isso, meu povo! Saia do sofá e celebre! Pare de reclamar, improvise! Celebre! Deu pra entender, né? Hunf! 😉

<3 Bom sabbath!

Beijokas!

Autor: Rosea Bellator
E-mail: oficinadasbruxas.odb@gmail.com
Loja: http://lojaoficinadasbruxas.com/
E-mail da Loja: lojaoficinadasbruxas@gmail.com
Youtube: Canal Oficina das Bruxas

Atenção: A reprodução parcial ou total deste texto é proibida e protegida pela lei do direito autoral nº 9610 de 19 de fevereiro de 1998. Proíbe a reprodução ou divulgação com fins comerciais ou não, em qualquer meio de comunicação, inclusive na internet, sem prévia consulta e aprovação do autor. 

Quer ver outros posts? Clique nos seguintes links:

1 2 3 4 5 151 152
error: