Eu sei, eu sei… assunto batido. Todo mundo fala “ouça sua intuição”, “acredite em si mesmo!”.  Tá, mas… quando realmente é a intuição? E o que é aquela super intuição gritante, que nos move rapidamente, que nos fazer parar de pensar e só agimos, que nos faz fazer a melhor coisa na hora certa?

Quem sou eu nesse mundão para afirmar o único caminho certo, não é mesmo? Mas posso passar adiante o que aprendi e que me ajudou a compreender essa coisa chamada “intuição”.

Já ouvi muita gente dizer que não escuta a intuição porque sempre dá ruim. Ou que resolveu fazer o que o coração pedia e errou tudo. É, é complicado. Achamos que uma escolha será acertada para sempre. Hum… como assim?

Entendam e aceitem: não é porque algo deu errado, em algum momento na vida, que tudo foi um erro. Digamos que você se case com alguém. Fiquem 15 anos maravilhosos juntos, e aí um dia, a pessoa morre. Não é que “deus” não queria vocês felizes, ou que não deveria ter seguido o coração… Viveu o que tinha que viver e acabou. Nós morremos. É triste? Sim, mas não foi perdido o tempo que passaram juntos. Digamos que você se apaixone por uma profissão, então estude e siga sua vida trabalhando nisso. Após uns 10 anos, pode ser, pois acontece, de você cansar e querer fazer outra coisa. Não foram 10 anos desperdiçados. Foram 10 anos que você viveu algo, e um dia acabou a empolgação. Você quer algo novo. Você mudou. Não foi um erro. Digamos que você se torne amigo de alguém e essa amizade dure 5 anos. Um belo dia, a pessoa precisa ir para outro país e… bom, aos poucos, o contato se vai. Acontece. Não foi falsidade, só acabou.

Entendido isso, vamos entender algumas coisas: nós temos sentimentos. Nós sentimos medo, amor, carinho, confusão… É, a gente sente isso tudo. Agora, entenda que, independente se você tem ou não um caminho espiritual, uma religião, sei lá, tanto faz, você sente. Temos, todos nós, um nível de sensibilidade de emoção, sensibilidade espiritual, etc. Ainda que seja o mínimo, todo mundo sente medo de algo, todo mundo ama algo. Então, é normal que essas coisas estejam em nossa mente… o tempo todo. Preciso que entendam isso pois a intuição auxilia, ajuda a entender as coisas, e até “nos revela” sobre o coração das pessoas. Porém, as pessoas mudam com o tempo. A intuição pode avisar algo bom agora, mas pode ser que daqui uns 5 anos ela diga “cuidado com essa pessoa, ela está te escondendo algo!”, Nem sempre foi assim, mas agora está sendo. Coisas acontecem, nós mudamos. Não é que a intuição não acertou na época…

 

Agora, imaginem Maria.

Maria tem um emprego, uma casa para cuidar e 2 filhos que cuida sozinha há anos, desde que o marido simplesmente os abandonou. Apesar de dar algumas tarefas para seus filhos colaborarem em casa, ela ainda é a responsável. Ela tem muitos medos, sonhos, vontades… e intuições. De manhã, por exemplo, ela sempre se preocupa se os meninos vão chegar certinho na escola. Vai saber, né? Todo dia tem uma notícia bizarra na TV! Todo dia ela tem que ouvir do chefe, que não faz nada, mas sempre exige e leva os créditos por tudo que ela faz, que ela é quem não faz nada. Ele sempre faz questão de dizer “ai, essas mulheres surtadas!”. Só que ela tem um aluguel pra pagar e 2 filhos pra sustentar. Ela procura outro emprego, porém está difícil, sabe? É, ela aguenta. É uma carga pesadíssima. São muitas coisas em mente, fica até um pouco difícil de discernir um pensamento sabotador de um medo real. Só que não dá só para ficar levando a vida, não é?

Seja você a Maria ou não, você pode e deve prestar atenção:

Os pensamentos que já chegam dizendo “você é uma idiota, não sabe fazer nada”… isso é um pensamento de medo, um pensamento que só sabota. Isso não ajuda em nada.

Pensamentos que dizem “Tome cuidado com Fulano”… Talvez seja só uma precaução.

Pensamentos que dizem “Tá tudo bem FAZER TUDO QUE VOCÊ QUISER, dá nada não”… são apenas suas vontades querendo tudo, sem pensar em consequências. Cuidado.

Pensamentos que dizem “Se eu der uma volta, só tomar cuidado para não gastar muito, terei um bom dia”… Ah, isso já é uma intuição. Ela instrui a gente. Ela mostra por onde dá para andar, com o que tomar cuidado. A intuição diz “Ei, dá para fazer aquele feitiço de prosperidade para o amor, só trocar a rosa amarela por rosa vermelha, que fará mais sentido pra amor”. Não, você não endoidou!

E ainda tem aquelas situações que você nem consegue pensar muito. Vem aquela sensação, uma linha rápida de pensamento “corra, faça tal coisa”, você faz e já vê como aquilo foi importante. Seu corpo apenas se move e faz o que tem que fazer. Isso acontece quando nos alinhamos com nossos guias, e eles falam alto conosco. O corpo reage rápido, como numa urgência. Quando vemos, evitamos alguma coisa. Quantas vezes eu esqueci algo importantíssimo, batendo papo, e então vinha uma voz “Corre, faz tal coisa agora!”. Ah, eu nem consigo pensar! Corro e faço, sem nem entender na hora, mas logo em seguida eu percebo.

Enfim, são várias as situações, ouça.

Talvez um pensamento sabotador só deixe claro algum medo que você precise trabalhar junto de seu psicólogo. Talvez um desejo louco deixe claro para você algo que esteja faltando em sua vida. A intuição tenta nos ajudar a lidar com diversas situações na nossa vida. De repente estamos fazendo um chá e TCHAM, uma intuição pedindo para fazer uma oração antes de beber o chá. Um estranho te adiciona no Facebook e TCHAM, a intuição manda dar uma investigada e quando você vê, a pessoa é só um fake daquela pessoa que você quer se afastar. Ás vezes, você está falando com uma pessoa bacaninha, mas a intuição manda ficar na sua, nada de amizade. De repente, olha só, é uma pessoa muito encrenqueira que gosta de culpar os outros pelos problemas dela. Não quer dizer que é alguém “do mal”, alguém “maligno”, só que não te fará bem.  Ouça. Pode ser também um guardião astral tentando te avisar algo.

Mesmo que às vezes a intuição mande fazer algo que eu sei que vai ser meio chato de resolver, se eu preciso resolver, eu ouço. Digamos que tenha que falar para uma amiga que o marido dela tentou fazer uma gracinha comigo… Bom, talvez ela se chateie, sei lá. Se a minha intuição mandar falar, eu vou falar. Se minha intuição falar que eu entendi mal, me mandar esperar, eu vou esperar e entender melhor o que aconteceu. Talvez dê medo de perder a amiga? Sim, porém falo com medo mesmo. Aos poucos, vamos aprendendo a ter mais amor próprio, mais confiança, vamos aprendendo que a intuição é nossa amiga.

 

Aproveito para deixar uma dica! Sempre que sinto assim alguma coisa que não sei explicar, mas é uma intuição de me proteger, eu queimo um pouco de alecrim e peço proteção, boa sorte e que me seja revelado o que preciso entender. Não precisa ser bruxa e nem pedir para divindade nenhuma. Apenas uso a força do alecrim e do fogo.

 

Ouça. Aprendemos muitas coisas com a intuição, principalmente coisas sobre nós mesmos, sobre nossas capacidades. Ninguém mais tem o poder de te dominar pelo seu medo, ou pelo seu ego, pois você se conhece e não cai nesses truques. É isso. Algo simples e importante… intuição!

 

Beijokas!

Autor: Rosea Bellator
E-mail: oficinadasbruxas.odb@gmail.com
Youtube: Canal Oficina das Bruxas

 

Quer ajudar o blog a seguir com mais e mais publicações?

Vem conhecer o PADRIM << só clicar!

 

Atenção: A reprodução parcial ou total deste texto é proibida e protegida pela lei do direito autoral nº 9610 de 19 de fevereiro de 1998. Proíbe a reprodução ou divulgação com fins comerciais ou não, em qualquer meio de comunicação, inclusive na internet, sem prévia consulta e aprovação do autor.