Claro que vai ter #ContosDaBruxa de #Natal ✨🎅🎄🎁 kkk!

Sônia não queria passar o Natal com a família. Estava de saco cheio da falsidade! Aliás, ela queria mesmo era uma pequena bagunça, ia dar uma lição em todo mundo!

Pediu uma “receitinha” para uma amiga, para mandar um espírito, alguma assombração para “o local que a festa de Natal da família aconteceria”. Um dia antes, fez tudo como mandava a receita e avisou a todos que não iria, pois estava gripada e estava com medo de sair de noite e pegar sereno.

Qual não foi a surpresa dela saber que todos foram até sua casa, todos de máscara, e ainda levaram Vitamina C para todos, para que ela não ficasse de fora?

Em pânico, ela não conseguiu achar a amiga para desfazer … Pois a amiga estava ocupada na própria festa de Natal em família.

Todos estavam celebrando, rindo e dançando na sala, e Sônia correndo de um lado a outro com o celular na mão, procurando como desfazer a invocação. Nenhum amigo estava online. Não tinha ninguém para pedir ajuda… Era cerca de 23h00 e nada aconteceu. Deduziu que a invocação nem deu certo. Enfim, iria só aproveitar.

Deu a 00h. Natal! Todos celebraram, brindaram! Que noite gostosa! Então se juntaram na sala para orar. Sônia foi para o banheiro… Ah, e quem estava lá? Um homem, com uma boca sinistra e chifres, alto, obscuro, começou a rir na orelha dela, e ela ainda chegou a sentir os dedos dele em seus ombros. Dedos esqueléticos e frios.

Saiu correndo do banheiro, como uma louca. O momento da oração tinha acabado e ninguém entendeu o que aconteceu com ela. Sônia preferiu ficar quieta dizer que se assustou com uma barata.

Uiiii!!!

Kkkkk FELIZ NATAL BRUXARADA!

 

Quer ajudar o blog a seguir com mais e mais publicações?

Vem conhecer o CATARSE << só clicar!

 

Beijokas!

Autor: Rosea Bellator
E-mail: oficinadasbruxas.odb@gmail.com
Youtube: Canal Oficina das Bruxas

 

Atenção: A reprodução parcial ou total deste texto é proibida e protegida pela lei do direito autoral nº 9610 de 19 de fevereiro de 1998. Proíbe a reprodução ou divulgação com fins comerciais ou não, em qualquer meio de comunicação, inclusive na internet, sem prévia consulta e aprovação do autor.