No episódio dos #ContosDaBruxa de hoje, vamos falar sobre um assunto complicado. Foi algo que ouvi há algum tempo, quando ainda atendia pessoalmente na minha casa.

Uma senhora veio e pediu para ler as cartas. Somente algo geral. Li e vi, na parte espiritual, que tinha algo empacado. Ela concordou e pediu para jogar mais sobre aquilo. Conforme fui vendo, me parecia que tinha um espírito na casa dela, ou com ela, que não estava bem.

Ela chorou muito e disse que isso confirmava o pensamento dela… Disse que a avó havia cometido suicídio após saber que foi traída, pelo menos era o que a mãe dela dizia.

Acontece que a casa ficou fechada por anos, e agora, a família tinha decidido dar para ela morar. Desde que entrou, sentiu o ar pesado. Não sabia o que fazer. Mas também não queria simplesmente banir a avó.

Recomendei então que pedisse aos Guardiões dela que mostrassem, nem que fosse em sonho, o que fazer. Assim foi.

Uma semana depois, ela disse que teve um sonho bem real! Sonhou com a avó, jovem, pendurada pelo pescoço, onde agora havia um ventilador de teto. Porém, no sonho, ela não se enforcava… Ela era enforcada pelo marido!

Indignada, essa senhora foi falar com a mãe. E foi insistente. A mãe chorou e disse que tinha medo do pai. E sim, ele tinha enforcado a mulher para ir embora com a amante.

Depois disso, a senhora acendeu um incenso e uma vela, pediu desculpas a avó, desejou que partisse em paz… Pois, enfim, a filha havia assumido a verdade. Infelizmente, não poderia fazer nada com o avô. Ele já tinha sumido há anos.

Teve uma noite turbulenta, mas teve despedida. No outro dia ela me pediu um feitiço para harmonizar a casa. Está morando lá até hoje, sem o ar pesado.

E que os deuses permitam que esse espírito descanse em paz!

 

Quer me contar sua história? Só mandar para o meu e-mail: oficinadasbruxas.odb@gmail.com

 

Até a próxima!

 

Autor: Rosea Bellator
E-mail: oficinadasbruxas.odb@gmail.com
Youtube: Canal Oficina das Bruxas

 

Quer ajudar o blog a seguir com mais e mais publicações?

Vem conhecer o PADRIM << só clicar!

 

Atenção: A reprodução parcial ou total deste texto é proibida e protegida pela lei do direito autoral nº 9610 de 19 de fevereiro de 1998. Proíbe a reprodução ou divulgação com fins comerciais ou não, em qualquer meio de comunicação, inclusive na internet, sem prévia consulta e aprovação do autor.