Então, você sentiu que tem uma divindade por aí, tentando falar com você? Ou você quer se aproximar de uma divindade que você sente muita vontade de aprender algo, e tal? Calma, não precisa se desesperar!

A ideia aqui não é te dar uma tabela sobre como FUNCIONA TUDO sobre TODOS OS DEUSES do MUNDO, pois isso é impossível. São MILHARES DE MILHARES de deuses, ok?

Outra coisa, o que estou tentando passar aqui faz parte de experiências pessoais minhas e de amigos, pessoas que conheço há um bom tempo e que confio de trocar informações.

 

Bem, pense neste artigo como um PRIMEIRO PASSO para desenrolar essa situação. E lá vamos nós!

 

PESQUISE

1 Sentiu uma divindade por perto de ti, te chamando? Uma divindade cujo nome não sai da tua cabeça? Sabe o nome? Digita lá no Google. Ok, não terá todas as respostas, mas ninguém vai ter também. Vai lendo as publicações de diferentes sites, blog, redes sociais. Não se prenda em nada, mas tenta já ir vendo os pontos em comum. Anote, não confie apenas na sua memória.

2 Não sabe o nome? Viu algum símbolo? Mesma coisa: pesquise. Vá até achar o nome desse símbolo. Se não achar, paciência. Faça o seguinte…

3 Quando não se sabe o nome, nem símbolo, nada, a gente tenta prestar atenção na energia. Se você é sensitivo ou médium, deve ter notado algo. Pesquise as divindades ligadas à essa energia. Foi energia de quê? Morte? Amor? Prosperidade? Natureza? Enfim, não custa tentar, não é?

4 Agora, se você quer se aproximar de uma divindade (seja lá qual for seu objetivo/religião/caminho/etc), mesmo sem sentir nada dela previamente, ao menos pesquise sobre a divindade, como já falamos. Tente ter uma noção de quem é que você está tentando se aproximar. Acontece muito de uma pessoa querer a ajuda de uma divindade, por exemplo: Um poeta que quer a ajuda de Apolo para criar poesias ainda mais belas e ficar famoso! Então pesquise, busque saber quem é Apolo, como é sua magia, etc. Leia muito, e só então prossiga.

5 Apesar de saber o nome, é uma divindade que você não encontra NADA (depois de fazer várias pesquisas no Google, certo?)… Acontece! São milhares de milhares de deuses!

 

Sigamos…

 

SE ORGANIZE

Muito que bem! Você já fez suas pesquisas, já tem uma noção mais ou menos – afinal, a gente só sabe mesmo depois que a gente tem alguma experiência real, não é? Releia, com calma. Sem pressa.

Essas coisas são importantes porque, veja bem, as divindades não são brinquedinhos apenas esperando você usá-las e depois colocar de volta na prateleira. Também não quer dizer que as divindades são monstros, que vão te engolir só porque você tentou uma aproximação. Respeito. Eles não são obrigados a te ajudar, mas virão se julgarem ser algo que merece atenção.

Cada divindade age de um jeito. Se você pesquisar, vai ver. Tem divindade super da paz, tem divindade mais agitada, tem divindade mais séria. Tem aquelas que querem ver você disciplinado, meditando. Tem outras que vão só pedir uma oferendinha. Só tem como saber quando pesquisamos e entramos em contato mesmo. E aí você decide se segue adiante ou não.

Não existe um ritual CERTO para isso, bem como não tem dia/lua/hora/local. Então, novamente: pesquise, veja como essa divindade é. Preste atenção na sua intuição: Pode ser que sinta de acender alguma vela, ou incenso, ou sinta que só precisa meditar, o que precisa de alguma outra coisa. Pode ser que sinta que só precisa mesmo estar quieto e então orar em nome da tal divindade. Pode ser que sinta que a tal divindade goste do dia ou da noite. Pode ser que queira nesta ou em outra fase lunar. Enfim, quando estiver tranquilo, com as coisas que decidiu usar em mãos, vamos para os próximos passos!

 

PURIFIQUE O ESPAÇO

Pelo menos um dia antes, tome um banho gostosinho de arruda, ou alguma erva que faça uma boa limpeza astral. Em seguida, toma um chá energizante (exemplo: mate, alecrim, hibisco, floral, etc) ou um suco natural de frutas, para não ficar mole depois do banho.

O banho é simples: Coloque 1 litro de água para ferver. Quando subir a fervura, desligue. Ponha um pouco da erva (não tem medida certa), abafe e espere ficar na temperatura de sua preferência. Coe. Tome seu banho higiênico e então o banho de ervas. Pode ser do pescoço para baixo.

Você pode pegar um pouco desse banho, colocar num recipiente spray e borrifar pela casa ou pelo menos no local onde irá fazer o seu ritual.

Esta é apenas uma ideia, mas se você souber outras maneiras de purificar o ambiente e a sua energia, manda ver!

 

PROTEJA-SE CONTRA INVASORES E ENGANADORES… E CHAME A DIVINDADE!

Ué, se proteger contra enganadores? Sim, pode ser que você tenha se enganado, não é verdade? Quem nunca? E para que nenhum espírito se aproveite disso, ou tente te enganar de fato, ou mesmo para evitar que uma energia negativa que você mesmo emane te atrapalhe (como aqueles pensamentos insistentes que ficam te subestimando), é sempre bom fazer alguma proteção.

Se você já sabe fazer o círculo mágico, faça. Se souber algum feitiço de proteção, faça. Se só tiver um amuleto, use-o.

Se não sabe nada disso, faça o seguinte:

Já no seu cantinho onde irá chamar a divindade, abra os braços e diga “Eu lanço agora o círculo de proteção ao meu redor. Eu chamo meu guardião, meu protetor, que seja bem-vindo. Eu lhe peço que me ajude, que fale comigo através de fortes intuições. Eu peço que me ajude a proteger-me contra quaisquer invasores, contra quaisquer energias negativas que possam querer me atrapalhar. Neste círculo de proteção, eu convido e invoco…. (se souber o nome da divindade, pode falar o nome. Se não  souber o nome da divindade, diga algo como “eu invoco a divindade que eu sinto perto de mim /ou que anda falando comigo /ou que me apareceu em sonho /ou que gostaria de me guiar e ensinar /ou que está querendo me ajudar ). Eu peço, por favor, que me ouça e que venha, se faça presente se assim desejar!”

Pronto, está feito. Pode relaxar os braços.

Lembrando que nada é obrigatório, mas estas são apenas sugestões: se você sentiu de levar alguma vela, incenso, oração, etc, use neste momento. Não precisa ter um altar para a divindade. Você a está conhecendo agora. Concentre-se. Ou prossiga e deixe a intuição dizer o momento de usar suas coisinhas (ou de não usar, pode ser que sinta de não usar).

Agora, converse. Apresente-se. Agradeça pela presença. Fale o que você deseja. Pergunte o que você quer saber. Enfim, ouça sua intuição. Prossiga com o motivo que te fez chegar até aqui. Se não souber colocar isso em palavras, apenas diga que sentiu. Só não minta, não faz sentido. Seja honesto, ok?

Uma dica aos que desejam continuar essa comunicação com a divindade em outros momentos: peçam por isso. Peça sinais, peça que a divindade te guie, que te ensine, que te ajude, que se comunique contigo. Peça sonhos. Peça por algo específico para chamar sua atenção no dia a dia e você conseguir entender que a divindade está falando contigo. Peça algo que você tenha facilidade de entender. Exemplo: uma pessoa que tem muita facilidade em sonhar e lembrar, peça sonhos.

Durante essa conversa, pode ser que você sinta alguma intuição. Realmente, é algo muito intuitivo. Sinta. Se tiver dificuldade, medite. Peça para a divindade te mostrar na meditação. Você já vai ter falado/pedido o que queria, então agora será a hora de “ouvir”. Quem é médium/sensitivo provavelmente terá mais facilidade. Quanto mais prática com o próprio dom, mais fácil a comunicação. Lembre-se: pode ser que você seja médium/sensitivo, mas ainda  não tem prática. Medite mais vezes, treine a mente, o corpo, a energia – isso vai te ajudar a se desenvolver, a se conhecer.

Quando terminar, agradeça.

Abra os braços novamente. Diga algo como “Eu agradeço ao meu guardião por me ajudar. Eu agradeço à (se souber o nome da divindade, diga o nome. Se não souber, diga “agradeço à divindade que veio ao meu chamado”). Agradeço à todas as boas energias que facilitaram este encontro, este ritual. Partam em paz, e que assim seja. Desfaço o círculo de proteção, pois seu propósito foi cumprido, e que assim seja. Está feito!

 

E DEPOIS?

Novamente: depende de qual o seu objetivo com essa divindade.

Aos que só desejam uma ajuda, um auxílio em um ritual ou algo assim, prossiga. Faça o que deseja. Tente sempre meditar e chamar a tal divindade para entender como desenrolar a coisa toda (já não precisa mais se apresentar, fazer o círculo de proteção, etc. Agora você já tem noção da energia, a divindade já sabe quem é você, etc). Quando terminar, agradeça. Dê alguma oferenda (Pesquise! Ou peça para a divindade te enviar uma dica!).

Aos que desejam prosseguir com aprendizado… A estrada é longa. Não tenho como falar muito. Mas, as dicas seguem as mesmas: esteja sempre falando com a divindade, trabalhando sua magia, meditando para ouvir/ver o que a divindade tem a dizer/mostrar. É uma caminhada com seus altos e baixos, como todo aprendizado. Tem o dia difícil, tem o dia fácil. Tem coisas que são bem tranquilas de se entender, tem outras que parecem enigmas… O maior conselho é: anote. Anote tudo! Anote o dia, a lua do dia. Anote suas sensações. Anote sonhos que teve. Anote as intuições. Anote o feitiço que fez. Anote os resultados. Tenha registros da sua jornada. Só assim poderá fazer comparações no futuro e perceber os padrões que se repetem.

A divindade fica mais falante na lua tal.  Você tem mais sonhos pela manhã ou pela noite? Vai perceber, em seus registros, que você teve mais dificuldades aqui e umas facilidades ali. O que mudou? O que você aprendeu? Ok?

É isso que posso ensinar. É sim algo básico, mais para que possa conseguir um contato inicial com a divindade que deseja ou sente contigo. Aliás, recomendo sempre que busque uma divindade por vez. Não é que não pode chamar por várias, mas se já está tendo dificuldades de entender uma, chamar várias só vai te atrapalhar! Apenas bom senso, rs!

Por fim: não importa sua religião, caminho, crença, etc. Se você deseja falar com uma divindade, chame-a. Tenha respeito, apenas. Esse artigo não tem a intenção de dizer que esta é a única maneira de fazer isso, mas é uma maneira segura, que visa ajudar aqueles que têm medo de prosseguir sem orientação.

 

Ufa! Espero ter ajudado!

 

Beijokas!

Autor: Rosea Bellator
E-mail: oficinadasbruxas.odb@gmail.com
Youtube: Canal Oficina das Bruxas

Atenção: A reprodução parcial ou total deste texto é proibida e protegida pela lei do direito autoral nº 9610 de 19 de fevereiro de 1998. Proíbe a reprodução ou divulgação com fins comerciais ou não, em qualquer meio de comunicação, inclusive na internet, sem prévia consulta e aprovação do autor.