Sugestão de meditação com a lua! Veremos, em cada semana, uma sugestão para cada fase diferente! Começando pela lua negra, que acontece nos 3 últimos dias da lua minguante – que é quando o céu fica sem nem um risquinho da lua no céu.

sugestão-de-meditação-da-lua-negraEm primeiro lugar, saiba que você não vai sair, logo na primeira tentativa, a pessoa mais zen e tranquila do mundo. Tem dificuldades sim, e você vai ter que aprender a ser persistente.

Num ambiente sem som, e sem muita luz, sente-se confortavelmente.

Arrume um espaço ao seu redor, se for ficar sentado, ou arrume perto da sua cabeça, caso vá deitar.

Recomendo que coloque cristais, velas brancas, taça com água, se tiver alguma plantinha, coloque-a pertinho de você também. Recomendo que faça em casa, no local mais sozinho possível.

Antes de começar suas visualizações, escolha um medo, algo que te incomoda demais, e que você queira minimizar, ou pelo menos entender. Por exemplo: um preconceito, um medo de engordar/emagrecer demais, uma agonia do próprio sangue menstrual, medo de não alcançar algo que todos julgam ser “obrigatório” ou mesmo medo de não alcançar as expectativas de alguém importante para você, como um pai ou mãe.

Escolhido o medo, visualize a situação, como se fosse um filme… Em algum momento, você vai sentir-se bem incomodado, e é nessa parte que vai invocar o poder da lua negra:

“Lua Negra, revele a verdade

Lua Negra, desperte em meu ser

Preciso de saber!

O medo é uma ilusão

O medo é uma ilusão!

Lua Negra, desperte minha visão!”

Pode usar outras afirmações de poder, invocando e pedindo para que revele a verdade por trás do seu medo.

Depois que terminar suas afirmações, apenas pense “verdade, revele-se!”, diversas vezes, até que as palavras pareçam perder o sentido. Sim, como um mantra. Lembre-se: não precisa pensar correndo, crie um ritmo.

Sem pressa, comece a visualizar seu corpo aumentar de tamanho, a brilhar. Visualize a lua negra dividir você em dois… e a conectar-se com você, numa onda de energia sem cor.

Fique assim o tempo que puder.

Se for interrompido, volte do começo, não importa em qual parte estava.

A verdade vai aparecer… aí vai depender de você aceitar, abraçar isso e tentar melhorar… ou negar e continuar piorando o seu medo. Acrescentaria ainda essa recomendação: depois compartilhe isso com alguém de confiança, ou mesmo alguém que tem o costume de usar oráculos para você, para te ajudar a entender o problema e a verdade vista.

Após ver a verdade, significa que você atingiu o objetivo da meditação.

Vá silenciando a mente aos poucos. Volte a prestar atenção no ambiente onde está. Abra os olhos.

Agora é só agradecer da sua maneira. Se quiser, complemente com um brinde ou jantar.

Não esqueça de sempre estar sempre sintonizado com a natureza, ou deuses se você cultuá-los. Assim será mais fácil de compreender seus medos, que sempre é aos poucos (lembre-se de usar a meditação para entender um medo por vez). Ninguém consegue se resolver de uma só vez, sem pressa!

Aprender com o próprio medo é uma arte, e nós podemos aprender muitas coisas, desde fraquezas até situações de vidas passadas, além dos porquês de vários comportamentos aparentemente sem motivo. Interessante, né?

Beijokas e até a próxima!

Autor: Rosea Bellator
E-mail: oficinadasbruxas.odb@gmail.com

Atenção: A reprodução parcial ou total deste texto é proibida e protegida pela lei do direito autoral nº 9610 de 19 de fevereiro de 1998. Proíbe a reprodução ou divulgação com fins comerciais ou não, em qualquer meio de comunicação, inclusive na internet, sem prévia consulta e aprovação do autor. 

Vem ver outros posts! É só clicar nos links a seguir:

15 COMENTÁRIOS

  1. Adorei Rosea, ótima meditação, fiz uma sessão e já me ajudou a compreender um pouco de um medo muuuuito antigo SZ QUE OS DEUSES TE ABENÇOEM MULHEEER

DEIXAR RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here