Quem tem o prazer de ter a presença de um gatinho em casa, sabe como é encontrar bigodes dele por aí. Simplesmente caem, afinal, assim como os pelos, eles também trocam de bigode. E é com esse bigodinho que caiu que a gente vai trabalhar!

Quem não tem aquela caixinha onde guarda umas tranqueirinhas? Nessa caixa, eu guardo os bigodes que encontro, bem como umas moedas, cristais… e pele de cobra rsrs!

 

Aqui em casa, atualmente, eu tenho…8 gatinhos! E eles adoooooooooram dormir no sofá…onde, volta e meia, eu acho um bigode caído.  Vou juntando e juntando, até conseguir uns 5, pelo menos. E aí? E aí que os gatos possuem, naturalmente, a energia de transmutar o que é negativo em positivo. Eles curam, só de estarem sentadinhos num cantinho. O bigodinho é uma forma de orientá-los enquanto caminham ou se enfiam naqueles cantinhos que a gente  fica “uai, como você passou por aí?!?!?”. A ideia de usar o bigode é justamente aproveitar essa energia de transmutar e orientar, de dar uma ideia de auto-defesa, de sobrevivência intuitiva.

Vou apenas deixar aqui um pedido: não corte e nem arranque os bigodinhos dos bichinhos! Não faz sentido fazer magia natural de proteção fazendo isso com o animal…Os bigodes caem. Fique atento e recolha. Se precisa tanto de algum feitiço de proteção, tem várias outras maneiras de fazê-los – inclusive, aqui no blog!

Amuleto de Proteção 

Num pedaço de pano, coloque uns bigodes e umas 3 folhas de louro. Faça uma trouxinha e amarre com barbante ou fita branca de tecido. Deixe uma noite sob a luz da lua, qualquer lua, e peça que ela o consagre para proteção. No outro dia, já pegue e coloque debaixo do travesseiro.

1 Esse amuleto precisa dessa consagração na luz da lua pelo menos 1x por mês.

2 Recomendo para crianças, por ser leve. Mas qualquer pessoa pode usar, ok?

 

Amuleto de Proteção 2: Relicário

Dia desses eu postei no Instagram uma dica bem legal, que até acabou gerando esse artigo, hehe! Bem, mas teve gente que ainda ficou sem entender direito… não faz mal! Vou explicar melhor aqui.

Eu usei este relicário por que é um colar e ninguém desconfiaria que é um amuleto também. Contudo, qualquer outro recipiente que você quiser usar, use!

Quanto menor o recipiente, menor tem que ser o que você vai usar, para poder caber, certo? Pois bem. Existem algumas lojas que vendem pó de cristais – eu gosto do pó de turmalina negra. Não é bem um pózinho, fininho… ele é meio grosseiro, tem uns grânulos maiores, mas é pó.

Usei papel manteiga (isso, aquele que usamos na cozinha!) para fazer um mini mini mini pacotinho de duas dobras.

Coloquei um pouco de pó de turmalina, quase uma pitada… E então enrolei 2 bigodes pequenos e enfiei tudo, rapidinho, dentro do relicário.

Bem, eu gosto de consagrar tudo quanto é amuleto ou talismã. Apenas segurei o relicário, já fechado, entre as palmas de minhas mãos, e esperei aquecer um pouco… Então eu chamei a energia do Sol (pois estava de dia), e pedi que consagrasse com seu calor brando, e trouxesse proteção e conforto a quem usasse o amuleto.

Poderia ter consagrado de outras formas, chamando outras energias? Sim!! Apenas pensem na sua necessidade. Eu fiz o amuleto pensando na necessidade de minha amiga, que se sentia muito mal em velórios.

Inventem outras formas! Tenho certeza de que vão gostar da energia!

 

Queima na chama do caldeirão ou da vela

Acendeu uma vela branca para uma oração, ou para harmonização, ou alguma coisa do tipo?

Aproveite e queime uns bigodes de gato na chama da vela. É só pegar o bigode… e levar até a chama! rsrs! Pode queimar vários de uma vez ou  um por um. Eu prefiro ir queimando um por um, enquanto vou fazendo meus pedidos de proteção e harmonização.

E é só isso! Simples!

Devem sobrar restinhos: pode jogar na natureza. Está feito.

 

Você usa os bigodinhos dos gatos de outra forma? Conta pra gente!

 

Beijinhos!

 

Autor: Rosea Bellator
E-mail: oficinadasbruxas.odb@gmail.com
Youtube: Canal Oficina das Bruxas

Atenção: A reprodução parcial ou total deste texto é proibida e protegida pela lei do direito autoral nº 9610 de 19 de fevereiro de 1998. Proíbe a reprodução ou divulgação com fins comerciais ou não, em qualquer meio de comunicação, inclusive na internet, sem prévia consulta e aprovação do autor.