Tem #ContosDaBruxa 👻 Uhh! Uma consulente, Hellen (nome fictício), teve uma experiência intensa! Vamos ao relato dela!

“Eu viajei para o Canadá com minha família, para passear e tal. Eu tinha uns 16 anos. Na época, eu era muito arteira e não dava ouvidos à minha mãe. Ela dizia para ter cuidado, pois a floresta (atrás do hotel) era perigosa.

Ignorei e fui conhecer o lugar. Claro, acabei me enfiando na floresta e saindo em alguma estrada. Me assustei e acabei sendo atropelada.

Essa é a parte que ninguém acredita em mim: eu me vi sair do corpo. Eu era só uma “bolinha” de luz e fui subindo. Eu estava até tranquila, vendo meu corpo cheio de sangue lá embaixo! Não sentia frio, nem nada. Eu ouvia alguém chamar meu nome e então veio o som da sirene de uma ambulância. Lembro até que ri e pensei “nossa, vou passear de ambulância internacional”. Aí, uma voz começou a me chamar de novo. Falava meu nome e soluçava.

De verdade, eu não reconheci a voz na hora, mas depois de um tempo, eu lembrei ser da minha mãe. Aí me deu um frio “na barriga”… Ela vai ficar brava comigo! Tentei descer a todo custo, mas não conseguia. Até que veio um choque, super intenso, e fui sugada para a ambulância.

Acordei com um negócio de respirar na cara, minha mãe chorando de um lado e uma enfermeira do outro. Já estava no hospital. Falaram que “morri” por uns 2 minutos.

Eu nunca esqueci essa experiência, e pra ser sincera, vivo curiosa pra saber para onde eu estava indo. Hahaha! Bom, acho que quando morrer mesmo, eu descubro.”

Eita… Eita! Eita!!!!

 

Quer me contar sua história? Só mandar para o meu e-mail: oficinadasbruxas.odb@gmail.com

 

Até a próxima!

Autor: Rosea Bellator
E-mail: oficinadasbruxas.odb@gmail.com
Youtube: Canal Oficina das Bruxas

 

Quer ajudar o blog a seguir com mais e mais publicações?

Vem conhecer o PADRIM << só clicar!

 

Atenção: A reprodução parcial ou total deste texto é proibida e protegida pela lei do direito autoral nº 9610 de 19 de fevereiro de 1998. Proíbe a reprodução ou divulgação com fins comerciais ou não, em qualquer meio de comunicação, inclusive na internet, sem prévia consulta e aprovação do autor.