Existem muitos e muitos textos pela internet e livros pelo mundo, porém, sempre tem aquela pergunta que a gente não encontra a resposta em lugar nenhum, ou quer saber a opinião de outras pessoas! Então, pensando nisso, pedi aos leitores que me acompanham no Instagram para me enviarem suas perguntas! Bem, foram muitas! Escolhi algumas que sei responder, ou para dar minha opinião, e espero que as perguntas apresentadas aqui ajude muitas pessoas por aí!

 

Muito que bem! Lá vamos nós! Hehehe…

Olha, moço, a menos que seja pedido em algum ritual específico (vai saber, tem tantas vertentes, tradições, etc!), não precisa! Em geral, na bruxaria, isso não é nenhum tabu.

 

Ui! Rsrs… Bom, não sei o motivo de ela ter falado isso, mas uma coisa nem tem nada a ver com a outra. Bruxaria não é religião. Não tem dogmas como “tem que fazer caridade pras pessoas”. Porém, dentro da bruxaria, há caminhos que nos ensinam sobre a espiritualidade, caso a pessoa queira buscar isso em sua vida. Eu estou nessa trilha. Pratico a bruxaria como um ofício, mas, pessoalmente, também a tenho como um caminho espiritual. Trabalho com meus guardiões, guias, deuses, enfim, como quiser chamar rsrs, em assuntos sobre evolução, direcionamento, etc. Enfim, ai ai…

 

Cada um sente a energia se manifestar de uma forma! Isso de esquentar as mãos ou sentir formigamentos, ou sentir arrepios, são as formas mais comuns relatadas. Continue! A energia está circulando! Dentro de uma meditação assim, é normal acabar manifestando sua mediunidade conforme for ganhando prática.

 

Letra bonita? A minha? HAUHAUAHAUH! Obrigada! Sobre a autoestima: sim! Afinal, como qualquer coisa que a gente consegue desenvolver, que a gente consegue fazer acontecer, nos dá pique, energia. Nos traz autoconfiança! E a magia em si, quando a gente começa a trabalhar com mais frequência, se entregando ao momento, faz a energia do nosso corpo circular mais vezes, acabando com aquele efeito de “energia parada”, isso, tipo “água parada”. E tem magias, como banhos de rosas em geral, que estimulam o autoamor, autoestima, etc. Bora magiar!

 

Hahuahauh! Achei fofo! Não tem segredo! A pessoa está aprendendo sobre si, sobre a magia, e é uma forma de vocês começarem até a se entenderem melhor! Entendo a essa “vergonha” rsrs mas é  simples: diga que você também está aprendendo. Chame-a para aprenderem juntas!

 

Rsrs não é que negam, simplesmente não seguem a religião. Bom, tem gente que não gosta de religião nenhuma (eu, por exemplo), tem gente que não gosta porque muitas pessoas resumem todo bruxo à Wicca, enfim… Não se trata de “negar”, apenas não segue. E é bem chato quando alguém fica tentando te impor alguma que a gente não quer seguir, não é?

 

Então, né? Somos humanos. Acontecem muitas coisas em nossas vidas. Desanimamos de tantas coisas! Às vezes é porque a vida está mesmo complicada, às vezes é falta de disciplina, às vezes é porque a pessoa ainda não consegue ver a espiritualidade como algo que faz parte da vida – vê apenas como um “bônus” rsrs, se der pra seguir, ok, se não, ok também. Nossa, são tantos  os motivos! Ficar se cobrando, ou com “medo” dos deuses, etc, não ajuda em nada. Que tal se perguntar, sinceramente, o motivo desse desânimo?

 

Ver eu nunca vi, se vi… foi em sonho e não lembro mais! MAHAUAHU! Eu “vejo” por silhuetas, em meditações, visões, mas nunca algo perfeitamente como ver pessoalmente, sabe? E não é sempre. Pra ser sincera, nunca fiz questão de ver. Só de saber que está comigo e me guia, me é o suficiente.

 

Ou seja, fazer mais de um feitiço por dia: sim, claro que pode. Faz um, termina, depois faz o outro.

 

Aqui temos três respostas. Um: digamos que eu fiz um ritual, invoquei minha deusa e pedi para ela me mostrar se tinha alguém me fazendo mal… E eis que, na hora que me vou me concentrar, eu vejo … sei lá… minha melhor amiga fazendo umas bruxarias nervosas, cabulosas, contra mim. Puxa…Eu iria ficar muito mal. Não gostaria de ver algo assim, mas se eu pedi para ver o que me fazia mal, bom, foi mostrado.

Dois: digamos que eu estou fazendo um ritual que eu peguei na internet ou em um livro, e nem sei do que realmente se trata. Alguém disse que é um ser muito foda que vai me dar dinheiro. Simplesmente faço o ritual e BOOMMM, invoco um ser que eu não gostaria de ver, que eu não queria que entrasse em minha casa. Nesse ponto eu digo: PAROU A PALHAÇADA! Como que a pessoa invoca algo que nem buscou saber o que realmente era? Como que vocês saem fazendo qualquer ritual sem antes pesquisar o que estão invocando? As invocações são textos: leiam. Do que se trata? Você sabe o que é isso aí?

O que nos leva ao Três: mas, e se a pessoa conhecia a entidade que seria invocada no ritual? Digamos que era  um ritual de Ísis, mas veio sei lá, o Cão Chupando Manga… Gente, isso não vai acontecer. Só virá o Cão Chupando Manga se vocês chamarem por ele.

Faça o círculo mágico, chame por (seguindo o exemplo dado) Ísis. Fim. Não tem como vir outra coisa.

 

Moça, o melhor  jeito mesmo é estudando e entendendo exatamente do que se trata cada coisa usada em sua magia. Vai queimar folhas de louro para chamar prosperidade? Bom, como isso pode ser do diabo? Uma folha de louro é algo que pertence à natureza, assim como o fogo… e o pensamento, chamando pela prosperidade, é seu. Sua energia. Cadê o diabo nisso? Viu? Não faz sentido.

 

Aff… Já ouvi e ouço ainda sobre isso. Uns dizem para apagar com os dedos molhados. Outros dizem que isso afoga as salamandras. Se assopra, é desrespeito, ou está empurrando as salamandras para longe…Enfim… Quando termino e quero apagar a vela, simplesmente agradeço, finalizo, e apago. Nunca tive problemas. Ps: fogo é algo  que eu trabalho todos os dias rsrs!

 

Vamos repetir com a bruxa: BRUXARIA NÃO É RELIGIÃO.

ACREDITAR EM UMA DIVINDADE NÃO QUER DIZER QUE VOCÊ FAÇA PARTE DE UMA RELIGIÃO.

Então: sim, pode ser bruxo e não ter religião nenhuma, nem crer em deus nenhum.

 

HAUHAUAHA! Sim. Mas não como a gente. Já vi divindade ignorar a pessoa porque a própria pessoa se fechou (e depois ficou reclamando da vida). Contudo, em geral, o que vejo é: não é que os deuses fiquem ignorando, são as pessoas que chamam e não prestam atenção aos sinais. As pessoas chamam pelas divindades, as divindades vêm, as pessoas ficam com medo, rsrs! As pessoas pedem coisas como “sabedoria”, a divindade dá uma situação para a pessoa passar e assim obter sabedoria, e aí a pessoa se afasta porque achava que ia surgir magicamente uma sabedoria em sua mente. A gente faz muita coisa errada e põe a culpa nas divindades, em diabo, e por aí vai. Seria bom ver em algum oráculo a situação de fato.

 

Se o que você busca é a BRUXARIA, então é só se enfiar nos livros, nos estudos, nas práticas e entender que assim como tudo, tem que subir degrau por degrau. Assim como um aluno da 5ª série não vai conseguir responder questões do 4° período de um curso de Direito, assim como aquela pessoa sedentária que chegou agora na academia não vai começar correndo 100km, não vai levantar 400kg, não vai fazer 9999 abdominais… você, que está começando agora qualquer estudo, qualquer caminho, vai subir degrau por degrau. Vai com calma, que não tem erro.

 

Bruxaria é um ofício. No caso, a Bruxaria Natural trabalha mais com a Natureza, com elementos naturais. A Wicca é uma religião que tem Bruxaria em sua estrutura. Então, uma pessoa que é bruxa pode participar da religião que quiser, ou de nenhuma. Bem como pode cultuar ou não os deuses, e claro, é bom lembrar: não é porque uma pessoa cultua ou segue os ensinamentos de uma divindade que ela siga uma religião.

 

O oráculo. Afinal, o oráculo é uma ferramenta que “lê” as energias e “traduz” pra gente. Ps: não é obrigatório, nem necessário, chamar uma entidade para responder através de um oráculo. A menos que seja um oráculo de uma divindade específica. Importante dizer: Existem pessoas que não conhecem nada de baralho cigano, por exemplo, mas quando incorporam alguma entidade, passam a ler. Ou seja, é a entidade que lê. E também, é possível sim que você peça a uma entidade que te responda através de um oráculo. Digamos, outro exemplo, que eu quero falar com Shiva, e quero muito que ele me ajude a entender uma coisa. Eu posso pegar um oráculo, chamar por Shiva, e pedir que ele responda através do oráculo. Porém, pode ser que ele não queira te responder rsrs, então, antes de fazer isso com qualquer entidade, pergunte se a entidade quer/está disposta/vai te ajudar. Vai que a entidade nem pode te responder a questão? Vai saber, né? Até porque eles não são obrigados a nada, rsrs!

 

Moço, deuses não são meras criações humanas. Se fossem, realmente, não teria o menor sentido qualquer culto ou fazer pedidos, rsrs! Deuses são espíritos, seres que evoluíram, e agora estão aí nos ajudando do outro lado (e sim, eles continuam evoluindo). São feitos de energia, como nós, só não possuem um corpo físico como nós. “Ah, mas e a as mitologias?!??!?!!?!?”, bom, isso realmente foi escrito pelas pessoas da época.

Agora, vem cá comigo: imagina que você, agora, veja Afrodite. E você vê ela negra, de cabelos vermelhos. Ela diz pra você “Eu sou Afrodite e vim trazer amor em sua vida!”. Um minuto depois, você arruma alguém pra namorar. Uma pessoa SENSACIONAL. Aí você vai e, maravilhado,  escreve sobre aquilo. A primeira coisa: vai ter um monte de gente dizendo  que nada a ver, pois “lá na mitologia” ela é loira. Vai ter gente dizendo que, na verdade, você viu outra face da deusa, que na verdade tem outro nome. Vai ter gente achando que você fumou alguma coisa…Vish! Vai ter um monte de comentários! Rsrs! Mas olha, você tá na era da informação! Agora, imagina isso láaaaaaaaaa atrás… Nas eras mais remotas da humanidade! Você acha que era simples assim a comunicação entre as pessoas? Acha que uma visão saia percorrendo o mundo rapidinho? Ou que todo mundo acreditaria? Dependendo da pessoa que teve a tal visão, a história pode ser contada de diversas formas, de acordo com cada ponto de vista. Isso, sem contar com as pessoas mentirosas, que ganham dinheiro  sobre a fé alheia. Ou você acha que isso é coisa de hoje em dia? rsrs! Percebe? A mitologia é interessante pra gente ter uma noção das divindades, mas CONHECER mesmo, e SENTIR que são seres reais, só chamando por eles e sentindo sua força. Vivenciando. Infelizmente, ainda hoje, é assunto que as pessoas dividem entre deboche, uma forma de ganhar dinheiro sobre os outros, e as poucas pessoas que realmente se dedicam…

Agora, entendendo isso: a coisa toda não é simplesmente adorar, porque sim, porque é lindo ficar gritando “Apolo, lindo, tesão, bonito e gostosão” rsrs… O culto às divindades é algo opcional sim, onde aquele que está la de coração irá ter essa troca de energias, conhecimentos, vivências com as divindades. “Adorar” deuses não é ficar lá batendo palma, dizendo “ai ki lindo, te amo, deuses!”, não é puxar o saco, mas vivenciar com as divindades, a espiritualidade. Contudo rsrs! Quem realmente tem essa dedicação, recebe muitas bênçãos! O que é perfeitamente normal! Você não troca presentes com quem você ama? Então pessoas que estão apenas interessadas em ganhar coisas começam a buscar os deuses, apenas pensando em si mesmas…As divindades são diversas, cada uma com sua forma de pensar. Tem divindade que adora  ouvir os caprichos e deixar a pessoa apanhar da vida depois para aprender, tem divindade que ignora, tem divindade que tenta endireitar a criatura…Aí as pessoas não gostam, demonizam, ou não entendem nada, não chegam onde queriam e dizem que a divindade não existe… bom, acho que você já entendeu.

Falando de minhas experiências: olha, a diferença entre uma egrégora (força do pensamento de muitas pessoas) e de uma divindade é absurdamente diferente, rsrs! Ufa, que textão!

 

Já conversou com ela? Já buscou algum oráculo? Pode ser que não tenha nada para se purificar, mas algo a ser entendido. Pode ser que ela estava contigo para ensinar algo, aí, quando você aprendeu, ela se foi. Ps: porém, um banimento em obstáculos sempre será bem-vindo, faça sem medo.

 

Poxa, que coisa chata! Eu entendo que até sinta frustração, quem não sentiria? Mas olha, eu não sei o que você andou fazendo, o que andou pedindo, então não tenho como afirmar nada, porém, existem algumas coisas que você pode fazer para entender o que está acontecendo:

1 Será mesmo que você fez tudo certo ou é o que você acha? rsrs! Anote tudo que fez, como fez, o motivo, quando, o que usou. Tá tudo certo mesmo?

2 Será que os resultados não já chegaram e você nem percebeu? Muita gente faz magia e depois fica achando que as coisas que acontecem são apenas coincidências… Será que os resultados não foram fracos, mas proporcionais à energia posta neles? A coisa mais comum de ver, também, é o pessoal fazendo uma simples vela amarela pedindo grandes riquezas, e aí ganha 50 reais de uma tia e  fica chateado rsrs!

3 Já checou algum oráculo com alguém de sua confiança? Afinal, nessas situações, é bom que alguém de fora nos oriente.

4 Será que esses feitiços tiveram sua força, concentração, energia? Pode ser que você andou fazendo muitos feitiços, e aí ficou sem energia, e por isso eles não tiveram bons resultados…

5 Será que não tem algo na casa que consome todas as energias boas que você gera? Às vezes, um bom banimento pode expulsar alguma carga negativa que esteja se alimentando dos seus  feitiços, e por isso eles não estão acontecendo (por isso falamos tanto para fazer limpezas, abrir o círculo, etc).

Essas são algumas alternativas para se buscar entender e acabar com o problema.

E sim, você pode fazer mais de um feitiço por dia – mas, antes de se encher de feitiços, verifica direitinho essas coisas, ok?

 

Ufa! Quantas perguntas, ein!? Hahaahhah! Agradeço a participação de todos! Mês que vem teremos mais! Lembrando sempre: esta bruxinha não é melhor que ninguém, apenas divido o que sei, pesquisas, o que vivencio.

Espero ter ajudado!

 

Beijokas!

Autor: Rosea Bellator
E-mail: oficinadasbruxas.odb@gmail.com
Youtube: Canal Oficina das Bruxas

Atenção: A reprodução parcial ou total deste texto é proibida e protegida pela lei do direito autoral nº 9610 de 19 de fevereiro de 1998. Proíbe a reprodução ou divulgação com fins comerciais ou não, em qualquer meio de comunicação, inclusive na internet, sem prévia consulta e aprovação do autor.