Vemos por aí todo tipo de ritual: tem ritual que não usa quase nada, tem ritual que pede mais de 20 ingredientes, tem ritual que só dá pra fazer em grupo, tem uns que precisam de uns ingredientes bem difíceis de serem achados, tem aqueles que só dá pra fazer a noite, ou quando chove, ou só em tal época do ano…

Isso é verdade mesmo ou é só pra encher linguiça?

A energia pode ser gerada de muitas formas, para muitos objetivos, com vibrações diferentes.

Digamos que eu queira fazer um feitiço de amor. Bem, não tem um jeito só de fazer, e claro, eles terão maneiras diferentes de agir.

Tem feitiço de amor que traz o perdão entre o casal. Tem feitiço de amor que seduz. Tem feitiço de amor que faz as pessoas ficarem calmas. Tem feitiço de amor que protege contra brigas. Tem feitiço de amor que traz à tona os sentimentos de amor. Tem feitiço de amor que prende a pessoa na marra…

Viu só? Tem vários tipos! E eles não são feitos da mesma maneira. São ingredientes diferentes, são momentos diferentes, energias e vibrações diferentes.

Agora, vamos ser sinceros…

Você acha que é mais fácil fazer um banho para atrair energias de amor ou é mais fácil fazer um ritual para atrair uma pessoa específica?

Pense bem!

Pensou?

Fazer um banho para atrair energias de amor é muito mais simples. Misture um pouco de canela com rosas vermelhas, visualize o amor e tome o banho, e está pronto. Atrairá olhares, atrairá a energia de quem está em busca de alguém.

Fazer um ritual para atrair uma pessoa específica exigirá muito mais do que a energia da canela e das rosas vermelhas. Exigirá outros ingredientes, como algo da pessoa ou algo que represente a pessoa. Exigirá muito mais visualização. Exigirá muito mais concentração. Exigirá uma vela, talvez fogo no caldeirão, talvez isso e aquilo…

Essas coisas que são pedidas não é teatro, nem enrolação, não é só pra gastar mais dinheiro. Não é só cerimônia.

Como falamos, usamos a energia das coisas, os tais ingredientes, que vão em cada “receita” de magia.

Tem muita magia simples é ótima, mas normalmente são para coisas em geral. Como o banho que citamos.

Agora, vamos ver como funciona, por exemplo, numa comparação de rituais para o mesmo objetivo. Digamos que eu queira banir alguém. Então temos as seguintes receitas:

comparação de ritual de banimentoQual delas vocês acham que terá maior efeito e por que?

No Ritual 1 temos arruda (serve para banimento), temos casca de alho (serve para banimento), temos a visualização, temos o pedido de proteção com a vela branca… bom!

No Ritual 2 temos novamente a arruda, a casca de alho também… porém, agora temos mais energia! Pois botamos a quebra-demanda (poderosa erva para banimento) e jogamos enxofre também, que tem grande poder de queimar energia negativa! Bem, continuando. Temos novamente o pedido de proteção com a vela branca… e opa! Para que esses ramos de alecrim ao redor da vela? É para dar mais força à proteção que se pede ao guardião. Além da chama, ele terá a energia do alecrim pra te proteger. Sem dizer que, no Ritual 2 contamos com a força da lua minguante, que é a lua perfeita para banimentos!

Ambos rituais são bons, porém, um terá mais força que o outro.

Ainda sobre o exemplo: Esses rituais podem ter ainda mais força se forem feitos por mais pessoas, pois seriam várias pessoas vibrando intensamente para banir uma pessoa.

Ou seja, a magia em grupo se torna poderosa se todos tiverem o mesmo desejo e foco.

Esses foram exemplos simples para vocês entenderem para que servem os ingredientes.

Estudem cada coisa que é usada e entenderão a importância de cada um deles. Entendendo a importância de cada ingrediente, as dúvidas sobre o que pode usar, o que pode substituir, o que será mais forte, somem.

Outra coisa a se entender: às vezes não precisamos de algo super poderoso. Ás vezes algo simples, mas cheio de fé, pode resolver nosso problema, que não é lá tão grande, ou nos trazer a energia desejada.

Portanto, tanto o ritual, a magia mais simples até a mais complicada, toda magia tem seu momento e utilidade. Esse artigo veio apenas mostrar o motivo de suas existências!

Como sempre digo: estudem! Usar a magia não é simplesmente estalar os dedos. Temos que ter ciência do que usamos, para que usamos, qual a energia gerada por aquele ingrediente, qual a utilidade, etc.

Essa é a diferença básica entre a magia mais simples e a magia mais “complicada”.

Espero que tenham gostado!

Beijokinhas!

Autor: Rosea Bellator
E-mail: oficinadasbruxas.odb@gmail.com
Loja: http://lojaoficinadasbruxas.com/
E-mail da Loja: lojaoficinadasbruxas@gmail.com
Youtube: Canal Oficina das Bruxas

Atenção: A reprodução parcial ou total deste texto é proibida e protegida pela lei do direito autoral nº 9610 de 19 de fevereiro de 1998. Proíbe a reprodução ou divulgação com fins comerciais ou não, em qualquer meio de comunicação, inclusive na internet, sem prévia consulta e aprovação do autor. 

Quer ver outros posts? Clique nos seguintes links: