O que há depois da morte? Os espíritos “vivem”?

Peregrina dos Mundos

Gostaria de falar sobre espíritos. Desde criança vejo e ouço espíritos. E posso tocar em alguns deles também. Tão real e concreto como quando se vê ou toca em qualquer pessoa “viva”. Poucas vezes tentei dizer isso a alguém, mas quase todas as vezes que tentei era recebida com olhares de susto e de estranhamento. Claro que quase ninguém me levava a sério, muitas vezes fui chamada de esquisita, de alienada ou só vista como uma garota com problemas que precisa chamar a atenção dos outros. Por isso começo a escrever com um aviso: não peço que acreditem, pois o que busco com estas palavras não é atenção ou aceitação, quero só falar sobre essa outra realidade que está aí para todos conhecerem. Cada um deve avaliar, fazer suas experiências e chegar às próprias conclusões. Nunca falei disso abertamente, apenas minha família e alguns poucos amigos sabem disso, por isso desculpem se o texto parecer “engessado”.

Como você imagina os espíritos? Saiba, primeiramente, que foram/são pessoas como nós. Foto: Rosea Bellator
Como você imagina os espíritos? Saiba, primeiramente, que foram/são pessoas como nós. Foto: Rosea Bellator

Queria começar falando um pouco de como isso funciona para mim, e depois passaremos a informações mais concretas que consegui nos meus estudos e experiências sobre o tema. Vejo espíritos desde criança. No começo eu não sabia que eram espíritos, só percebia que algumas pessoas pareciam “diferentes” das outras, falavam de temas que outras pessoas não falavam, sabiam aparecer e desaparecer… era mágica? Como aquelas pessoas faziam isso e por que eu não conseguia fazer também? Conforme cresci aprendi que o melhor que podia fazer era fechar a boca. Evitava um monte de broncas, idas para a sala da diretora, indicações de visitas à psicóloga e mais outros problemas… Finge que não vê que passa, certo? Errado, não passou. Então a saída foi lidar com a coisa. Minha infância foi vivida entre as pessoas “normais” e “os diferentes”, até que aos 6 anos, quando fui a um enterro pela primeira vez, soube que os tais diferentes na verdade eram pessoas como nós, que saíram dos seus corpos para sempre (ou, nas palavras dos adultos, morreram). Na adolescência as coisas foram um pouco mais fáceis, pois eu já sabia sobre o que precisava me informar, e principalmente já sabia o que falar e o que não falar, para quem falar e para quem não falar… Foi nessa mesma época, lá pelos 13 anos, que conheci a bruxaria, o que me ajudou muito a entender o que acontecia. Aos 16, não consegui escapar da psicoterapia, tinha muito medo de ficar louca de verdade vivendo nesses dois mundos… Como eu ia contar uma coisa dessas para a psicóloga? Bom, sou uma pessoa de muita sorte, pois a psicóloga era kardecista e super cabeça aberta! Resumindo, com a vida adulta a gente acaba percebendo que não é necessário fazer uma tempestade em copo d’água, que as pessoas são mesmo todas diferentes e que está tudo bem em ser como somos… Vamos percebendo que muitas outras pessoas passam quietas por situações semelhantes a nossa. Quando deixamos de olhar como um problema ou algo extraordinário, as coisas entram no domínio do comum, onde se pode ter acesso a elas com facilidade, estudando esses fenômenos, fazendo experimentos e vivenciando tudo com liberdade.

Desde que comecei a estudar esse tipo de fenômeno, fui registrando tudo em cadernos e no meu livro das sombras. O que trago neste texto é um resumo de algumas das informações que consegui. Quero deixar claro que todas essas divisões que vou colocar são apenas para facilitar a compreensão, não as levem a sério demais. Estes são os tipos de espíritos humanos, da forma[bb] como percebo:

– Espíritos perdidos: quase sempre são pouco lúcidos e estão mais assustados que você. Muitos nem mesmo sabem que estão mortos, e se você disser isso a eles, vão rir na sua cara. Chamo este tipo de “perdidos” porque geralmente estão na forma que estavam quando morreram: podem ter feridas e machucados no corpo que demoram a curar, a roupa suja de sangue… São “perdidos” porque após a morte permaneceram aqui no nosso mundo, não seguiram em frente. Quase sempre a morte ocorreu há pouco tempo. Acho que algumas pessoas apenas demoram um pouco mais para encontrar o caminho. Mas também existem aqueles que morreram há muito tempo, há vários séculos. Certa vez encontrei um homem que morreu no século XVIII, foi enforcado injustamente e queria vingança. Conversando com ele, percebi que para ele era como se o tempo passasse diferente (não por ser um espírito, me pareceu mais que a sede de vingança o deixou cego para todo o resto, incluindo a passagem do tempo e as mudanças no mundo ao seu redor). Depois de uma tarde e uma noite de muita conversa na sala da minha casa ele caiu em si e percebeu que os responsáveis pela morte dele já haviam morrido (e renascido outras tantas vezes, provavelmente) enquanto ele ainda estava na mesma, e caiu num choro desesperado. Seguiu em frente junto com os primeiros raios de sol daquele sábado. Se você consegue conversar com eles, saiba que podemos ajudar espíritos nessa situação, sempre com muita paciência e amor (lembre-se, eles são gente[bb] como a gente), levando-os a tomar consciência de sua condição e a compreender que se a vida acabou, a existência continua: é preciso seguir em frente ou fazer algo da nossa existência. Mas o que os prende aqui? Percebo que quase sempre são pessoas ou situações que eles relutam em deixar para trás, seja por apego, seja por sentimentos ruins. Pode ser até mesmo o medo de se separar de alguém especial (como crianças que morrem e não querem deixar os pais, por medo ou apenas para que a família não fique tão triste). Alguns ainda ficam aqui por medo, pois não sabem o que vão encontrar ao seguir em frente. O medo, a raiva e o amor/apego costumam ser as emoções mais frequentes, e isso nos mostra como são humanos. Esses espíritos sempre devem ser encorajados a seguir em frente. O lugar para onde vão não pode ser tão horrível quanto vagar sozinho por aí através dos séculos… Além disso, os espíritos precisam de energia como nós. Quando vão embora e voltam (vamos falar desse tipo de caso daqui a pouco), podem conseguir essa energia em outros lugares, mas os que permaneceram aqui, precisam “viver” na matéria, precisam que essa energia seja “mediada pela carne” como me diz um deles… e isso significa que em algumas ocasiões, ele precisará drenar um pouco da energia dos vivos. Inclusive a sua e a da sua família.

– Espíritos que ainda não terminaram sua “missão de vida”: Estes são semelhantes aos espíritos que acabamos de falar, também estão presos ao nosso mundo, também precisam de energia mediada pela carne (mas geralmente vão te pedir antes de drenar um pouquinho da sua e não vão se fartar, vão usar apenas o necessário; podem ainda pedir que você dê a eles um pouco de energia, como ocorre nos “passes”, o que costuma ser mais confortável para os “vivos”). A maior diferença é que estes aqui são lúcidos. Sabem que estão mortos, sabem que algum dia seguirão em frente. Geralmente, por serem mais lúcidos, têm mais discernimento, pois conseguem olhar para a vida que tiveram e para sua existência de forma mais ampla, já não estão presos aos esquemas de raiva-medo-apego. As questões que os prendem ao nosso mundo costumam ser mais refinadas e profundas. Ao invés de desejos de vingança ou medo que os entes queridos sofram com sua partida, o que espíritos nestas condições relatam sentir é algo como se a vida que vinham levando continuasse, como um “bônus” para terminar algo (que pode ser simples e rápido, ou mais complexo e demorado), como o resgate de algum tipo de relação, buscar compreender fatos que vivenciaram, descobrir coisas sobre si mesmos… Em muitos casos, estes espíritos podem ser ótimos amigos. Principalmente os que estão há mais tempo por aqui sabem muito sobre como é ser um espírito, por isso têm muito a nos ensinar.

– Espíritos que voltam: Estes espíritos seguiram em frente após a morte do corpo. Foram para o lugar onde os espíritos vão. Sempre que eu encontrava um desses e tentava perguntar como era lá, eles desconversavam, ou apenas diziam que só tem uma forma de descobrir… indo até lá quando chegar o momento de cada um! Mas, ao que parece, observando como se comportam e o que dizem, a vida continua. Alguns vem para o nosso mundo[bb] com alguma tarefa, como acompanhar alguma pessoa que morreu e precise dessa ajuda, trazer um pouco de energia, paz e discernimento para pessoas doentes ou com problemas sérios, que estejam em situações difíceis, trazer mensagens… Outros vêm em visita, seja para rever pessoas queridas (não sei se existe alguma burocracia para isso), ou ainda para avaliar a situação em que pretendem reencarnar, em alguns casos. Na grande maioria das vezes, os espíritos que voltam fazem isso para o bem. São muito lúcidos, pois ao irem para o lugar aonde se vai após a morte do corpo, eles rompem o vínculo com a vida mais recente, que passa a ser vista como apenas mais uma entre tantas outras. Eles já não precisam mais da energia mediada pela carne, podem conseguir forças para se manter no lugar em que vivem. Se por algum motivo um desses te oferecer um pouco de energia, aceite! A energia deles é sutil e muito gostosa, ajuda na saúde e no bem estar. Um dado importante é que, uma vez que os espíritos seguem em frente e cortam o vínculo com a vida mais recente que tiveram, ganham a capacidade de alterar sua aparência. Machucados que apresentavam na morte podem ser curados mais facilmente, podem trocar roupas (me contaram que plasmam as roupas que usam a partir da mesma energia de que eles e todas as coisas no mundo espiritual são feitas, e ainda que em alguns mundos a aparência pode não ser humana, e nesses mundos não há o costume de se usar roupas), podem rejuvenescer (talvez seu avô apareça na forma de menino… mas no caso de antepassados que você conheceu, geralmente eles se mostrarão com a aparência que você poderá reconhecer – ou não, dependendo da intenção deles), podem assumir a forma que tiveram em qualquer vida que já viveram, mas é sempre uma aparência que já foi a deles. Resumindo, de forma geral, estes aqui vêm em paz!

espíritos 2
Desde os primórdios dos tempos os seres humanos falam sobre espíritos… sobre portais para “outro mundo”… será que eles poderiam ter errado tanto? Não seria muita arrogância de nossa parte não acreditar em nada disso?
Foto: Rosea Bellator.

– Espíritos sábios (mentores, guias, protetores…): Eles têm muitos nomes e aparecem em muitas religiões sob a forma de espíritos protetores, iluminados, guias espirituais, etc. São espíritos humanos, que já viveram muitas vidas como as nossas, já erraram muito e já aprenderam com seus erros também. Em certo momento de suas existências, decidem dar um tempo com os ciclos de nascimento e morte e atuam como sábios conselheiros e mentores, ajudam em curas e em outros processos energéticos. São espíritos amigos (não se engane com a palavra, não ache que apenas por serem amigos eles serão sempre simpáticos e engraçadinhos, ou ainda que vão passar a mão na sua cabeça… Aprender algumas vezes pode ser bem difícil). Sabe o que dizem sobre quando o aluno está pronto o mestre aparece? Bom, ela é bem verdadeira! Conforme você avança sem medo em seus estudos e práticas com experiências psíquicas/paranormais, o mentor virá até você, seja por meio de sonhos, presença espiritual ou ainda de forma mais sutil, enviando sinais, intuições e “acasos”. Seu mentor está aí para te ensinar e guiar e ele fará tudo o que puder para isso… Acredite, tudo mesmo! De conversas amigáveis e sugestão de temas para estudo até quebrar o seu computador às vésperas da entrega daquele trabalho superimportante da pós porque ele sabe que mais importante que seus compromissos mundanos, naquele momento, eram os estudos espirituais. Quero deixar claro que estes espíritos, apesar de mais lúcidos que nós, também são humanos, podem sim errar e se enganar como nós, mas ainda assim, podemos confiar plenamente neles, pois além de terem uma visão mais ampla que a nossa das realidades, são muito éticos e têm um grau bem maior que o nosso de discernimento. O maior foco destes espíritos é o bom desenvolvimento da humanidade, seja através de novos conhecimentos seja através de coisas simples como o resgate de valores como a paz e a amizade entre pessoas e povos, o respeito ao próximo e à natureza, etc.

– Os espíritos dos vivos: Não somos todos nós espíritos? Pode acontecer (e acontecerá!) de encontrar espíritos que não morreram. São os espíritos dos vivos, que saem de seus corpos durante projeções da consciência (viagens astrais). Como qualquer pessoa “viva”, suas intenções, grau de lucidez e tudo o mais variam muito. Podem estar fora do corpo com boas ou más intenções, ou mesmo por curiosidade, ou ainda por acidente (projeção inconsciente). Podem estar muito lúcidos ou adormecidos próximo ao corpo físico. Se este for o caso de alguém (ter projeções acidentais), sugiro dominar e estudar bastante esta habilidade, pois este é o melhor jeito de prevenir contratempos e lidar melhor com isso.

Acho que passamos por boa parte das situações em que os espíritos humanos podem estar aqui na terra. Sobre reencarnação, em algum momento todos os espíritos reencarnam, ao que parece, mesmo os mais sábios e “evoluídos”. Mas parece que o tempo entre a morte e a próxima vida pode variar muito. Já vi pessoas (“vivas”) que se lembram de vidas passadas em que morreram pouco antes de renascerem, ao mesmo tempo em que conheço espíritos que já estão mortos há vários séculos, sem perspectiva de quando vão nascer neste mundo outra vez. Não sei do que isso depende, nem até que ponto essa escolha é de cada um.

Sobre a energia mediada pela carne, isso acontece ou quando damos um passe para o espírito, apontando as palmas das nossas mãos para ele e visualizando a energia indo até ele, sempre com pensamentos felizes de amor, paz, harmonia… Expire o ar e veja a energia sair enquanto o ar também sai. Outra forma é quando eles tocam partes nossas com maior fluxo sanguíneo (pulsos, pescoço, região abdominal e outras), “puxando” a energia para eles. Se drenam demais, podemos nos sentir fracos, sonolentos[bb], com frio… Nunca dê energia quando estiver doente ou debilitado de alguma forma. Crianças e pessoas muito idosas também não devem dar energia dessa forma. Já quando recebemos energia, (da forma como eu sinto, pelo menos), nosso corpo se aquece de um jeito confortável. Podemos sentir um leve formigamento, maior disposição e lucidez. Ah, um dado interessante sobre os espíritos que estão aqui terminando suas missões: no começo precisam de mais energia. Conforme recebem com frequência, se fortalecem e precisam cada vez de menos (mas sempre vão precisar). Conforme se fortalecem, eles desenvolvem as habilidades que os espíritos sábios e os que voltam já dominam bem, como a psicometria (perceber informações sobre algo ou alguém através do toque… o que todos nós, “vivos”, podemos treinar também), ficar visíveis ou invisíveis conforme queiram e falar com os outros pela via mental, entre outras tantas.

Sobre deuses, divindades e entidades… ao que tudo indica, é tudo real. Cada deus, deusa ou entidade que os diversos povos e religiões cultuam ou mencionam existe, seja enquanto um ser autônomo, seja enquanto egrégora. Para quem não sabe, uma egrégora, falando de um jeito bem simples, é como um “acúmulo” de energia carregada com uma intenção. Por exemplo, a oração cristã do pai nosso. Independente de haver ou não um deus ouvindo, independente da fé de quem pronuncia as palavras, ela pode sim atuar na realidade, pois de tanto ser repetida ao longo dos séculos, a energia foi armazenada e carregada com a fé e boas intenções de muitas e muitas pessoas… Claro que o mesmo vale para os mantras orientais, as orações de outros povos e culturas. De alguma maneira tudo existe, ou porque já existia ou porque criamos com a nossa fé e energia. Talvez os deuses sejam espíritos humanos muito evoluídos, como sugeriu uma amiga? Sim, talvez. Talvez sejam mesmo deuses. Acho difícil que venhamos a saber sobre a realidade, e acho também irrelevante. O fato é que, seja como for, estão aí.

Espero que tenham gostado. Futuramente pretendo falar mais sobre o contato com os “mortos” (entre aspas, pois quando se sabe que a existência continua, os conceitos de vida e morte perdem um pouco do sentido) e formas de treinar as habilidades chamadas de “paranormais”, o que pode ser muito útil[bb] a pessoas que seguem a bruxaria ou apenas queiram se equilibrar entre as realidades em que vivemos. Agradeço à Rosea Bellator pelo espaço e pela forma aberta como conversamos sobre o tema.

Peregrina dos Mundos

********************************************

Bom, você deve estar se perguntando quem é Peregrina dos Mundos… bem, eu gostaria de divulgar mais sobre ela, mas por medos inclusive da família, essa moça preferiu que ficasse assim mesmo. O que eu posso dizer? Eu conversei com ela, achei tudo muito plausível e decidimos que seria justo dividir isso com vocês. A Peregrina dos Mundos (sim, esse é um nome mágico) é uma pessoa muito razoável e coerente, acredito em suas palavras. Fiquem a vontade para enviar e-mail para a Peregrina através do e-mail: peregrinadosmundos@gmail.com , no assunto mencione esse artigo para ela saber do que se trata 🙂

Rosea Bellator

ATENÇÃO: A reprodução parcial ou total deste texto e imagem é PROIBIDA e protegida por LEI. Para usar este texto entre em contato com a autora.

Quer ver outros artigos? Clique nos links abaixo:

Dieta dos Bruxos – Saúde e Magia
Livro: Wicca Essencial
Feitiços para Proteção Familiar com a Pedra Ônix
Magia para Receber e Enviar Mensagem
Exercício para Fazer Fluir os Sentimentos com as Ondinas
Quem sou eu? Experiências de uma Bruxa Anônima I
Exercício com as Salamandras para a libido
Reconhecendo Símbolos (Pt.1) – Triplos, Estrelas e uma Cruz Diferente
Exercício: O Controle e as Estrelas – Gisela Cambui
A Arte da Bruxaria (Pt.1) – O que é a Arte da Bruxaria?
“Quero aprender bruxaria, quero ser bruxo, como faço?”
Ritual do Jardim Florido
Livro dos Mortos do Antigo Egito
A Arte da Bruxaria (Pt.7) – Introdução aos Feitiços e Rituais (Pt.1)

63 COMENTÁRIOS

  1. Feliz encontro Rose, eu posso Sentir espiritos desencarnados eos que estao em processo de desencarne, estou iniciando na Doutrina espirita para mais conhecimento e na Umbanda pra limpeza e estudo estou gostando..tenho ainda os mesmos problemas de comunicar com a minha familia, e alguns ( amigos) mas me libertei desse medo e sigo. agora tambem estou no estudo sobre Wiccas Religiao paga, e por incrivel que possa parecer, eh como se ja tivesse estado nesse climax em toda minha vida, so me faltava as pessoas que hoje fazem parte do meu circulo de amigos.. tenho ate um Sarcedote.. bjus e Gratidao… Feliz Partida..Blessed be

  2. Ola depois de ler o que escreveu posso dizer que me identifico
    Eu vejo,ouço e falo com espiritos apesar de ninguem o saber
    Assusto me muitas vezes com alguns e ando sempre Cansada sei pouco sobre eles porque tento sempre que parecer que sou normal para que nao percebam e me sigam ate casa.

  3. Eu de novo, agora com uma dúvida que nunca me esclareceram… Eu sempre sinto a presença de espíritos, sinto cheiros: ( quando mulher, perfumes de mulher, quando homem perfume de homem) quando criança sinto que tem muita alegria, bagunça…. eu queria poder vê-los, conversar com eles, por que sinto que eles querem me falar algo, mas não escuto, tento fazer silêncio pra ver se escuto, tento fechar os olhos e abrir com calma para ver se vejo, mas nunca obtive sucesso… sou bruxa de outras vidas e estou começando agora a aprender… eu queria saber se tem algum exercício que eu possa fazer pra aflorar a minha visão e minha audição. Como faço pra conversar com eles, pra escutar recados que possam ajudar as outras pessoas… muito obrigada, vocês são de mais ❤

    • Oi!
      Desculpe me meter, mas gostaria de te fazer uma sugestão: tentar ouvi-los por meio de gravação! Muitas vezes aparelhos eletrônicos conseguem captar sons e frequências que o ouvido humano não consegue. Isso se chama Fenômeno de Voz Eletrônica (ou FVE). Pesquise sobre, é muito interessante!
      Mas também tome cuidado porque pode atrair espíritos mal intencionados! Usar algum tipo de proteção antes de tentar se comunicar pode ser bom.
      Enfim, espero ter ajudado. Boa sorte!

  4. Oi
    Eu realmente amo o trabalho feito nesse site
    E eu segundo oq minha mãe e vó me disseram eu podia ver e falar com espíritos
    Eu tinha um amigo imaginário (segundo ela eu dizia q ele me beliscava) que minha mãe achava ser só imaginário até ver o vulto de uma criança que pensou ser eu
    Depois disso ela acreditou
    Minha vó dizia q eu via quando ela fazia seus trabalhos (ela e espírita) eu via ela fazendo
    Eu n lembro dessas coisas
    Minha mãe acha que eu possa ter bloqueado isso
    Pq eu não consigo mais vê-los
    Mas eu ainda sou sentivo e as vezes tenho uns sonhos q se realizam (que no começo me deu bastante medo)
    Eram ate frequentes quando eu estava aprendendo quiromancia
    Depois foi ficando bem parado
    Talvez seja falta de treino
    Enfim
    Oq você imagina que pode ter acontecido
    Eu posso recuperar isso ?
    E rosea oq posso fazer quanto a videncia?
    Obg pelo que fazem e pelas duvidas que tiram

  5. Ola. Meu nome eh Stefany, eu tenho 15 anos,e gostaria de me desenvolver. Desde quando nasci,consigo manipular o vento, chuva,fazer portas se abrirem, movimentar objetos, fazer pessoas tropeçarem, as vezes consigo saber o que a pessoa esta pensando, e saber tambem o que ela vai falar antes de abrir a boca. As vezes tenho visao do futuro.Mas nao eh sempre que consigo fazer essas coisas. As vezes acho que estou ficando louca, tenho medo de falar para as pessoas,nao quero que saibam.
    Quero aprender a controlar meus “poderes”…Me ajudem.
    Obrigada por me ouvirem…E espero resposta.
    Bj,Abraço.

  6. Olá, resolvi procurar algo esta manhã,pois acabei de ter um sonho com meu pai,falecido a 2 anos não há um dia em que eu não pense nele,e pelo sonho que tive a pouco, me faz pensar se ele encontrou o caminho,aqui no.meu quintal,tem uma quitinete que ele costumava ficar, normalmente quando estava bêbado, e depois quando adoeceu(com câncer de orofaringe) costumava ficar ali,hoje após sua morte, aquela quitinete ficou pra.mim..como se fosse algo assombrado, pois minha mãe mantém as coisas dele ali dentro trancadas..des do chinelo até o cinto,mais em fim..voltando ao sonho, ele ainda estava doente.. Só que não possuía nenhuma ferida ou o buraco da traqueostomia, ou sonda..nada disso,somente estava deitado..podendo falar( que era algo que ele não podia devido a cirurgia),muito feliz e esperançoso.. Me parece que eu ia visita lo,com algumas pessoas, como uma tia minha que ele não gostava,ela entrava e ele tratava ela muito bem, e eu estranhava tal comportamento, mais em fim,a gente conversava muito e ele só sabia me dizer que ia ficar bom da doença, que não queria nen saber,que final do ano ele ia abrir um negócio pra ele,que ele ia ficar bom,só que escondido dele eu chorava, pois dentro de mim eu sabia que ele não ia ficar bom,como se soubesse que ele iria morrer,mais quando ele olhava pra mim eu disfarçava, ele repetia isso direto,que ia ficar bom,e depois me perguntou.. Aliás, já passou o natal? Porque eu to tão perdido no tempo.. Aí eu falava não pai ainda não passou,e dava um calendário pra ele que colocava na parede ao lado pra ele ir riscando os dias pra não ficar perdido,e assim fez..depois daí eu não me lembro de muita coisa,so que me parece que eu entrava lá..após sua morte e via o calendário riscado por ele, e caia em prantos..acordei soluçando de tanto chorar..
    Antes de morrer ele escrevia ( que era uma forma de conversar já que não podia falar) que tinha muito medo de morrer e deichar as crianças.. Meus irmãos de 12 anos na época..
    Em fim,estive lendo sobre psicografia a uns dias.. E gostaria de fazer algo assim mais tenho medo,muito medo.
    Por favor se puder me ajude com esta questão,será que ele realmente não encontrou o caminho?/como faço?
    Aguardo. Grata.

    • Ola, Taiza. Sinto muito pela sua perda.
      Esse tipo de sonho pode ter dois significados. Um é de ter sido, realmente, uma comunicação com o seu pai, e se for este o caso, ao que tudo indica ele não está bem. Outra possibilidade é o sonho ter sido um reflexo da sua dificuldade em superar essa perda tão dura (falo isso por vc ter comentado que sempre pensa nele). Mortes por doenças graves ou em situações violentas são as mais complicadas, tanto para quem vai quanto para os que ficaram. Especialmente quando a pessoa morre relutante, com medo ou com expectativas ruins sobre o outro mundo. O que sugiro que façam é ajudar seu pai a tomar consciência de que morreu, apenas assim ele pode melhorar e se recuperar de fato. Tenho um artigo aqui sobre o que fazer (espiritualmente falando) quando alguém morre http://bosquedepersefone.blogspot.com.br/2015/09/o-que-fazer-quando-alguem-morre.html
      É importante doar os objetos do seu pai, isso irá ajudar tanto a família a superar essa morte, como também irá ajudar ao seu pai a tomar consciência de que já não precisa delas onde está agora, pode seguir em frente, pois o período de sofrimento já pode terminar.
      Para vc e sua família, falem sobre isso. Chorem se tiverem vontade. Digam adeus, digam o que gostariam de dizer a ele, se ele teve a chance de se comunicar, irá ouvir ou receber o recado de alguma forma. Podem fazer, se tiverem vontade, este ritual simples de honra aos antepassados, focando apenas no seu pai. Um jantar especial, uma homenagem. http://bosquedepersefone.blogspot.com.br/2015/10/rituais-para-o-dia-de-finados-honra-aos.html Algumas coisas práticas e simples: orações da fé de vcs, sempre em voz alta e dizendo que é na intenção dele; imagina-ló sempre cercado de luz dourada; pedir aos guias e guardiões do seu pai para que o ajudem neste momento de dificuldade (basta falar, como se estivessem aí, acredite, eles sempre ouvem).
      Fiquem em paz e confiem no Bem. Tem muitos por aqui protegendo a todos nós, mesmo quando a dureza da vida não nos permite ver.

      • Poxa vou ler sim o artigo que vc mandou!! acredito que vai me ser muito útil.
        obrigada mesmo,está sendo muito complicado,minha mãe realmente não se desfaz das coisas…por isso ja sonhei inclusive que havia uma fila enorme com velas na mão para ver algo que estava la dentro..eu olhava de fora,cada um olhava uns minutos e saia,parecia um velório,com a mesma quitinete.muito complicado!
        :(,mais mesmo assim,obrigada mesmo pela ajuda!! vou acompanhar suas postagens de perto,parabéns pelo trabalho.

    • Oi, Paulo! O segredo é muito estudo, prática é muita paciência. É um processo longo, especialmente para quem não vê nem ouve nem percebe presenças (não sei se é o seu caso). Comece desbloqueando todos os chakras, equilibrando sua energia e praticando meditação. Praticas de autoconhecimento, como manter um diário de sonhos, livro das sombras, etc também podem ajudar, assim vc permite que sua intuição aflore e aprende a confiar nela. Escrevo um blog apenas sobre esses temas de mediunidade e paranormalidade, tem alguns textos e exercícios: http://bosquedepersefone.blogspot.com.br

  7. Muito legal suas experiências. Adorei saber mais sobre os espiritos, achei muito interessante esses assuntos sou muita mística e acredito em vida espiritual outros mundos. É de fato uma grande importância o conhecimento e levar esse assunto para as pessoas. Parabéns e obrigada por dividir isso conosco. Abraços!

  8. bom eu me interesso demais por esses assuntos , eu sei que requer tempo para virar um bruxo não da noite para o dia e não brincadeira !! mais queria saber em quanto tempo eu conseguiria fazer a minha primeira magia que realmente funcionasse ? estou mega animada e lenda livras fazendo meu proprio grimorio e pensando ne como seria meu primeiro feitiço criado por mim

    • Não tenho como dizer um tempo, afinal, cada pessoa se desenvolve de maneira diferente, sem contar a dedicação de cada um.
      Faça quando sentir confiança, segurança e possuir conhecimento suficiente para saber o que está fazendo.

  9. Como posso ter certeza se sou uma bruxa? Já fiz alguns rituais , des de criança fazia. Pensava que era brincadeira, mas tudo oque eu fazia tem sentido. Espero me ajudar.

  10. Amei o texto,e eu tambm vejo espiritos mas mais sinto eles e tenho medo deles pelo oq algum deles sentem,comesei a ver eles quando tinha 7 anos era uma mulher fiquei assustada e dormir de medo dela q estava sentada na minha cama mas hoje em dia n tenho mais medo dela pq ela esta sempre ao meu lado como se fosse o meu guia,mas com os outros e diferente pq eles me assustam . goatei muito do seu texto. vou procurar deixar o medo de lado e tenta ajudar eles ,

  11. mto legal a materia, o texto, os comentarios…Ja “estive” c alguns, outros j me assustaram enormemente, agora ja n vejo tanto.Teve um, o ultimo q me assustou por 3 noites, eu deitava e ele puxava minhas cobertas, n falava nada, so ficava la parado e n me deixava dormir…no terceiro dia eu me estressei e falei: Caramba, se vc n quer contato, se quer ficar parado ai me olhando, tudo bem, mas me deixa dormir pq n vou aguentar mais uma noite dessas…ele foi embora, eu acho. Mas o espirito q mais tempo ficou perto de mim vou do meu avo, foram anos, aparecia de tempos em tempps, sempre q a coisa estava ruim p meu lado, la estava ele e tudo melhorava, ate q um dia ele se despediu de mim, tocou minha mao, meu rosto e se foi…Sinto mta falta.Ele n podia mais ficar…Mas, sei oqto esse espirito me amava, e espero por nosso reencontro.

  12. Olá, estou lendo seu site a 2 dias e estou imprecionada com as coisas que estou aprendendo bem eu queria falar sobre algumas dúvidas que eu tenho quando eu tinha 4 anos normalmente eu via vultos ou pessoas andando pela minha casa eu sempre pensava que era besteira minha conforme eu fui crescendo comecei a ver espiritos mais não conversava com eles quer dizer eu conversava apenas algumas vezes e as vezes que eu conversava era sobre assuntos animados como se nos conhecessemos a anos quando contei ao meus pais eles não acreditaram então resolvi guardar pra mim e aprender algumas coisas sobre feitiçaria,deuses,livros espiritas e etc pouco tempo depois na minha casa não se tocava no assunto espiritos até que um dia minha mãe estava trabalhando e eu fui ficar com ela no trabalho e vi um homem atras dela era um espirito indentico ao meu avo mais eu sabia que meu avo estava vivo por isso não dei muita importancia quando chegamos em casa falei pra minha mãe sobre o espirito que eu tinha visto e ela mandou eu esquecer alguns dias depois na mesma semana meu celular tocou quando atendi era minha tia nessa hora meu coração já estava acelerado sabia que alguma coisa tinha acontecido já que ela nunca ligava pra mim ela foi bem direta como sempre e disse “seu avo morreu” naquela hora meu mundo parou e eu chorei minha mãe tirou o celular de mim e minha tia novamente deu a noticia minha mãe já tinha chorado muito na vida então não tinha mais o que colocar pra fora minha tia contou uma mentira sobre a morte a morte do meu vô ela falou que assassinaram ele num mato e deixaram o rosto dele inrreconhesivel e que só reconheceram pelos documentos que estavam com ele quando descubri que o que verdadeiramente aconteceu foi que meu avô morreu jogado em um sofá de morte cardiaca a primeira coisa que pensei da minha tia foi maldade passei um mês chorando quase entrei em depressão mais depois que minha mãe falou que acreditava em mim que eu via espiritos e aquilo bastou pra minha vida deixar de ser o inferno que era depois de uns 2 anos eu entrei pro mundo wicca e aprendi muito os principais foram meditação,chakra e regressão juntando os três até hoje eu não consigo fazer a regressão direito mais funciona um pouco eu ouço barulhos e vejo imgens e é isso que quero que me ajude na primeira vez que fiz a regressão foi o bastante para me confundir eu vi: tudo branco e depois vi uma menina sentada encostada em uma parede chorando com a cabeça baixa ela tinha cabelos pretos ondulados deveria ter uns 8 a 10 anos quando ela se levantou vi que seus olhos também eram negros e sua pele era branca e usava um vestido branco solto cheio de detalhes de renda e um cordão de ouro no pescoço e estava descalça ela passou as costas das mãos nos olhos e depois eu ouvi barulhos de alguns gritos e espadas batendo uma na outra a menina olhou para o lado depois saiu correndo corria corria cada vez mas e eu tentava acompanha-la mais depois tudo ficou claro e eu abri os olhos e parei a regressão quando não tinha mais nada pra ver na segunda vez que fiz tudo novamente ficou branco e ouvi gritos e mais gritos de varias pessoas juntas eram vozes de homens logo depois eram susurros e depois comecei a ver uma espécie de arco-iris se ondulando em todo o local branco era lindo logo depois abri os olhos denovo isso tem algum significado?

    • Ola Graziela.
      Minha família também não acreditava em mim quando eu era criança/adolescente. Que bom que vcs se entenderam, penso que tudo flui melhor assim.
      Sobre a regressão, eu não indico fazer sem ter um motivo forte para isso. Nossa mente tem um equilíbrio delicado e ha motivos para certas lembranças e habilidades não estarem ao nosso alcance. Se vc precisar fazer uma regressão, sugiro fazer com acompanhamento profissional, alguns psicólogos fazem. É conveniente ter uma pessoa treinada, que saberá guiar vc através das lembranças e mesmo resolver qualquer problema que possa surgir.
      Quanto aos significados do que vc viu, é interessante vc ter essas lembranças e visões anotadas. Só vc mesma pode montar esse quebra cabeça. Pelo que vc conta parece muito uma experiência de morte ou relatos de pacientes que tiveram EQM. Eu, pessoalmente, não costumo fechar as possibilidades. Pode ser uma lembrança, pode ser algo que o nosso cérebro criou porque precisava (como faz com os sonhos), podem ser visões simbólicas que quando bem interpretadas fazem algum sentido para si. E nenhuma das possibilidades teria menos importância. Faça um caderninho com essas experiências, isso ainda sera útil para vc e ajudará a organizar as “pecinhas” desse quebra cabeça.

  13. acho lindo esse dom, na verdade tinha vontade ter tbm, não tenho esse, mas sou muito intuitiva, não sei explicar bem, sei que me identifico com tudo que escreve, como xamanismo tbm, to estudando ambos pra me encontrar em mim mesma, pq as vezes me sinto perdida, sem explicação, mas quando leio sobre o assunto me acalma, quando falo com a lua, sinto uma energia fluindo em mim.

    • Obrigada, Ana, e que linda sua experiência! Acho que esse tipo de fenômeno se mostra de forma diferente para cada um. Uns tem mais intuição, outros são sensitivos, outros tem jeito com ervas ou oráculos… Como vc disse, o mais lindo nisso tudo é a gente se encontrar e ir descobrindo mais sobre nos mesmos e a nossa realidade. Continue sempre, mesmo que algumas vezes se sinta perdida (acho que todo mundo sente assim as vezes), aos poucos tudo vai ganhando sentido.
      Bjs

    • Os deuses sao os guardioes responsaveis, cada qual por uma determinada area…esta tudo interligado….numa sintonia, energia sem par….com os planetas, com a natureza…e assim vai…e quanto aos espiritos, aqueles que os ouve, instrua com amor, aqueles que sentem sua presença, orem…é desta forma que vejo as coisas….quando criança achava que muita coisa nao era real, hoje, percebo, que tem muito de real naquilo que achei que era conto de fadas…

  14. nas eqms a pessoa morre mesmo? porq ao q tudo indica sim, descobri q muita gente tem eqm e esconde com medo de serem chamadas de loucas, outras só contam anos depois, eu vi um caso de 10 anos depois, pessoa com atividade cerebral zero batimentos zero e circulação parada e gelada ficando roxa isso é morte, eu acho q o misterio esta em voltar, teve um caso em q o ser q apareceu pra pessoa lhe perguntou se ele queria ficar ou voltar,

    • Olá Alcides!
      Que coincidência, estou estudando esse fenômeno das eqms. O que acontece, como o nome diz, é a quase morte, nao a morte em si. Interessante apontar que hoje em dia, a visão que a medicina tem da morte é um pouco diferente da visão tradicional do senso comum. Se antes (e na visão leiga de hoje) morte era o mesmo que a parada dos batimentos cardíacos, hoje, para a medicina, a morte é um fenômeno muito mais complexo, pois se usa o conceito de morte encefálica. Para que se tenha morte encefálica é preciso ter resultado do EEG (eletroencefalograma) com ausência de atividade, ausência de respostas reflexas ou de respostas a estímulos nocivos e pupilas fixas. A ausência de resultados no EEG é um fator decisivo mas, ao mesmo tempo, não pode ser usada sozinha para declarar a morte de um paciente. Ou seja, a fronteira entre vida e morte é muito tênue.
      É comum que com a má oxigenação cerebral a pessoa tenha alucinações. Alguns apontam isso como EQM, que seria apenas as reações naturais de um cérebro que está à beira da morte. No entanto, observo que pacientes que voltam de uma EQM, voltam transformados. Eles tendem a rever suas atitudes e conceitos, mudar a forma como levam a vida e como vêem a morte. É uma experiência altamente transformadora e plena de sentido (diferente de alucinações comuns). Viram algo de verdadeiro e espiritual nesse processo? Ninguém sabe, fica o mistério. Mas ao mesmo tempo, pouco importa, o que mais me encanta é a nova postura de buscar a vida que esses pacientes normalmente passam a ter.

  15. se privar dela ja é um sacrificio e tanto, eu ja tentei por varias vezes mais ñ consegui, ja fiquei periodos grandes mais ñ da pra ser permanente a ñ ser q ja venha do nascimento os espiritos q estão aqui em missão

    bjs!!!

  16. ñ me julgue mal por essa pergunta

    sexo é pecado? porque as vezes eu mesinto sujo, achando que vai atrapalhas minhas crenças e praticas espirituais, tipo uma vergonha, pra mim quem faz parte de praticas espirituais e misticas ñ combinaria esse ato, queria saber sua opinião

    bjs

    • Olá Alcides!
      Mas falando sério, penso que é difícil pensar em conceitos únicos para os fenomenos da vida humana (como a sexualidade ou a vivência espiritual) que se apliquem à toda a humanidade. Eu não aplico a ideia de pecado à minha vida. Logo, não vejo sentido em pensar a sexualidade como pecado. O que penso é em ética ou na falta dela. Acredito que alguém falta com a ética sempre que faz algo que prejudique outra pessoa, o mundo ou a si mesma intencionalmente e sem justificativas. Não vejo como viver a sexualidade, sentir prazer de forma saudável (isto é, com adultos e com consentimento) me faria faltar com ética, prejudicar alguém ou mesmo dificultar minha espiritualidade. Penso bem o contrário: sinto como se a espiritualidade e outros setores da vida não fluíssem tão bem quando a sexualidade não vai bem. Sexo é bom e eu gosto. Faz parte da experiência humana e não vejo motivos pra me privar dela.
      bjs

  17. tenho uma duvida q acho q só vc pode me ajudar

    tem um livro chamado a viagem das almas, aqui a sinopse:

    Este livro notável revela, pela primeira vez, o mistério da vida no mundo espiritual, depois da morte do corpo físico. O seu autor, o Dr. Michael Newton, desenvolveu uma técnica pessoal de hipnose que lhe permite ter acesso às memórias escondidas dos seus pacientes. No estado hipnose profunda, 29 destes pacientes descrevem o que lhes aconteceu entre as suas reencarnações anteriores na Terra, revelando pormenores sobre as sensações no momento da morte, sobre quem encontramos imediatamente a seguir, como é, realmente, o mundo espiritual, onde vamos e o que fazemos enquanto almas e por que motivo escolhemos regressar em determinados corpos.

    pergunta: a hipnoze é capaz disso? tem minhas duvidas sobre hipnose se ela existe mesmo

    aqui o link pra comprar o livro se vc quizaer:

    http://www.livrariasaraiva.com.br/produto/419113/viagem-das-almas-a

    • Olá, Alcides. Sim, a hipnose existe e não tem nada de mágico ou místico, é uma técnica psicológica usada, geralmente, para tratar sintomas e distúrbios de solução mais difícil. Alguns outros profissionais, como alguns dentistas, usam a hipnose no lugar da anestesia, para bloquear a dor.
      As técnicas de regressão a vidas passadas, que também funcionam por meio de hipnose, podem sim ajudar a pessoa a se perceber no momento entre vidas, embora geralmente as memórias que trazemos mostrem apenas o período após a morte, quando a pessoa deixa o corpo físico. É uma técnica que precisa ser feita com muito cuidado e com um objetivo determinado (geralmente curar um sintoma ou algum tipo de problema mais serio, nao apenas por curiosidade).
      Importante saber: o paciente sob hipnose continua com controle de si mesmo. Isso quer dizer que, se for sugerido que faça algo que vá contra sua vontade e seus valores, ele simplesmente sairá do estado de transe. Memórias profundas são delicadas como flores. É preciso saber colhe-las com a devida atenção e cuidado.

  18. obrigado!!! pensei q fosse começo de projeção astral conciente

    vc faz viagem astral ou desdobramento? tem gente q faz isso com maior naturalidade conversam com desencarnados inclusive com seus mentores, pedem dicas conselhos informações deles , e também visitam diversos lugares, tem todo o estudo de como conseguir uma viagem astral em cursos, vc acredita nisso?

    bjs!!!

  19. eu queria uma ajuda sua, e ñ é a primeira vez q acontece, vou relatar:

    na noite passada eu fui dormir e quando estou pegando no sono derrepente minha perna da um solavanco pra cima, ai eu me espanto, ai de novo quando tava pegando no sono o meu braço esquerdo q estava todo pro lado direito sobre minha testa, derrepente ele é puxado pro lado dele e eu me espanto, e outra noite meu pé direito, eu deitado normal, derrepente ele é puxado de lado pro lado direito, um puxão lento mais forte, e também sinto meu corpo vibrar quando estou deitado de barriga pra cima, ele fica mexedo pro lado e pro outro e puxando pracima tudo simutaneamente, ñ sei se vc entendeu; eu fico paradinho deitado ai fica essa pulsação q vai pro lado direito, esquerdo e pra cima,

    vc sabe o q pode ser isso

    bjs!!!

  20. Aiii….!! Meu deus….. que medo kkkk brincadeira o que eu posso afirmar que existe são ((fadas)) sereais demônios espíritos também óbvio que sim como o espírito do Jorge, da Maria padilia que estão porai tô pensando em fazer aquele feitiço pra ter sonhos reveladores mas tenho medo dos sintomas…

  21. nossa!!! vc é mesmo surpreendente e bem misteriosa, eu também ñ vejo muita tv, tipo, eu ñ ligo a tv pra ficar vendo big brother, a maior besteira ja enventada da tv, e nem assisto jornais também e nem novelas, só assisto coisas q me ensine algo transcedente e edificante.

    sobre a serie mestre dos magos, foi um desenho animado antigo q estreou em 1986 muito famoso no brasil, repeti bastante na tv, foram 4 temporadas ai acabou, o capitulo final nunca saiu do papel permanece em misterio até hoje entre os fãns, existem episodios especiais do desenho mais nunca teve o final da historia, atualmente ele ta passando na sky, na tv aberta eu ñ sei se ainda passa.

    queria saber mais sobre vc, tipo, como é seu dia a dia? quantos anos vc tem? e etc… se eu ñ estiver enganado eu li no seu blog q vc tem um caldeirão de bruxa é verdade?

    desculpa por tanta curiosidade e perguntas rsrs

    bjs!!!!

  22. muito bom o q vc escreve, muito interessante.

    a pergunta foi se vc gosta dos magos, tipo eu adoro o q o mestre dos magos fala na serie caverna do dragão, adoro aquela liguagem por parabola q é complicado de entender,mas é essa a linguagem deles, pelo menos os antigos como o mago merlin ñ se se vc conhece

    obs: além dos magos, gosto muito dos ciganos e dos bruxos da wicca

    • Como eu disse, sou meio avessa a rótulos. Gosto de pessoas que sigam qualquer caminho, religião, estilo de vida, etc., se dizem coisas coerentes e agem conforme aquilo que pregam. Se agirem com respeito, o respeito será reciproco. Pode ser mago, wicca, cristão, ateu ou o que for.
      hehe, e sobre mestre dos magos e séries vou ficar devendo, quase não vejo tv, pago cada mico por causa disso que vc nem imagina!
      bjs

  23. eu adimiro muito essa sua sede de conhecimento sobre a vida e seus mistérios, só assim, penso eu, a pessoa chega a algum lugar.

    quando vc responde a pergunta: O que acontece, a gente apaga ou é como uma experiencia de quase morte (eqm)?, ai vc responde: Já ouvi relatos dos dois tipos e de outros ainda, quais seriam esses outros?

    ler essa pagina aqui apartir do 2º topico chamado Biocentrismo: a Consciência como Centro Criador

    http://animamundhy.com.br/blog/vid-morte-consciencia-criadora-universos-paralelos-cientifica-incrivel

    eu sou doido pra ler esse livro desse cientista, mas só tem em espanhol

    vc gosta dos magos?

    e no meu comentario anterior vc ñ respondeu como vc consegue pegar, apolpar um espirito, seria porq vc é uma medium de efeitos fisicos?

    bjãooo

    • Muito interessante esse link. Ainda não li esse livro, mas conheço o trabalho do Dr Lanza na área médica e de pesquisa com células tronco, sei que é sério e confiável.
      Relatos diferentes de “apagar” ou algo como uma eqm vêm de espíritos que continuaram aqui. Um deles continuava a perceber tudo como no momento da morte, apenas quando perdoou as pessoas envolvidas e a situação, quando superou, é que ele viu as mudanças no mundo, como se tivesse ficado em suspenso, fora do tempo se isso for possível. Semelhante a pacientes com traumas profundos, que ficam emocionalmente presos à situação não superada, mas no caso dos espíritos, a situação não é apenas simbólica, se reflete de forma concreta na realidade deles. Outro caso é o de um homem que não se recorda de haver dormido ou ido a outro lugar, ele apenas morreu no seculo XVII e apareceu em 2009. Não sabemos como ou por que, a explicação mais lógica até agora é ele ter encontrado algum tipo de fenda no tempo ou buraco de minhoca. Mas, claro, não podemos ter certeza.
      Não sei por que nem como posso tocar neles. Não sei se sou uma medium de efeitos físicos e, muito sinceramente, sou avessa a esses rótulos, acho que é algo que em maior ou menor grau todos podem fazer. Tenho curiosidade de entender o processo, a física da coisa. Até agora só sabemos a parte do vento de ions, mas essa teoria não dá conta do fenômeno. O jeito é continuar pesquisando.
      Nada tenho contra ou a favor dos magos ou de pessoas que seguem o caminho que for. Se forem pessoas justas, o respeito será recíproco.
      bjs

  24. nossa!!! gostei muito do blog, como vc consegue pegar, apolpar um espirito, achei fascinante isso

    e outra coisa vc conhece o processo de como é morrer, tipo, agente perde a conciencia e apaga? tenho muito medo disso ou é q nem nas EQM ?

    bjs!!!!!

    • Oi Alcides… acredito muito na dúvida e no mistério.
      Como é morrer? Penso que só na hora de cada um é que a gente tem certeza. Ao que tudo indica, existe uma continuidade, a morte não é o fim. Pensei muito sobre a sua pergunta, tenho lidado com a morte mais que o usual nos últimos dias. Acredito que existem muitos jeitos de morrer, assim como existem muitos jeitos de viver. Vida e morte são parte de um mesmo todo. São lados diferentes da mesma moeda.
      Como vamos lidar com a morte? Na certa da mesma forma como lidamos com a vida.
      O que acontece, a gente apaga ou é como uma experiencia de quase morte (eqm)? Já ouvi relatos dos dois tipos e de outros ainda. Ao que tudo indica, “apagar” é algo temporário.
      Para onde os espíritos vão quando seguem em frente? Isso eles falam bem pouco, eu também tenho essa curiosidade. Para mim parece mais lógico pensar que devem existir diversos caminhos e lugares possíveis (as colônias espirituais dos kardecistas, o país do verão, o paraíso cristão, o mundo dos mortos dos gregos…). Acredito que todos devem existir e receber pessoas de acordo com a afinidade de cada um de nós.
      Mas, claro, esta é a minha visão pessoal, faz sentido para mim e não espero que faça para outras pessoas. Por isso falei no mistério. A morte não é o fim, é um rito de passagem, uma iniciação. E cabe apenas aos “iniciados” saber o que existe ou o que acontece depois. O consolo: a nossa vez vai chegar. Quando a gente pensa em possibilidades, o mistério deixa de ser ameaçador e fonte de medo, passa a ser algo mais confortável e, talvez, até algo pelo que a gente espere com curiosidade.
      bjs

  25. Ola Peregrina dos Mundos, prazer… Então, gostei muito do seu site pq tenho o mesmo dom q vc, a diferença e´ que nao consigo tocar nos espíritos mas os ouço e os vejo desde criança. Quero estudar mais sobre esta “nossa” realidade. Se qser, entre em contato comigo. BJKS

  26. Rosea, vou lhe contar uma coisa e vou pedir para que voce identifique-o para mim, por que eu realmente não consegui identificar qual é mesmo lendo o texto, e sempre que pergunto isso sempre dão respostas diferentes, vamo lá.

    Desde pequena vejo uma menina, pele branca,olhos fundos, cabelos longos,roupa clara, e em sua compania havia um animal hibrido, não sei mutio bem o que era.
    Sempre vejo ela em sonhos.
    Ela sempre ficava quieta, me observando junto com o animal.

    Da ultima vêz que eu há vi ela estava maior, antes era aparentava ter uns 5 ou 6 anos, e agora parece que ela tem uns 10/12 anos, e não vi mais o animal.

    Irei te contar como foi.

    Eu estava com minha avó na frente de uma porta que parecia ter sido lacrada ha muito tempo.

    Minha avó estava desesperada, eu sentia o medo dela.
    Ela abriu a porta do quarto, ele estava todo cheio de poeira, mas tinha uma cama, e um criado mudo.
    Olhei ao meu redor e vi essa mesma menina crescida, ela estava alegre em me ver novamente, parecia uma criança quando fica muito tempo sem ver sua mãe, os olhos dela brilhavam de alegria, e eu via que o desespero da minha avó aumentava, pedi para que ela fechasse a porta, e assim ela fez.
    Eu fiquei alí com aquela menin, e logo depois acordei, fiquei gelada o dia inteiro.

    • Olá!
      Muito interessante isso que você contou. Pode acontecer de espíritos aparecerem nos sonhos, existem técnicas pelas quais nós vivos também podemos entrar nos sonhos de outras pessoas. No caso de espíritos, desde que saibam o que fazer, é ainda mais fácil conseguir entrar nos sonhos de alguém para se comunicar com a pessoa. Acredito que a menina seja sim um espírito, pois como vc comentou, ela já apareceu várias vezes nos seus sonhos.
      A questão é mais delicada do que apenas “o que é isso”, cabe pensar “o que ela quer?”. Dois dados: o primeiro é o desespero da sua avó (sua avó é falecida? Pense na relação que vc tem/tinha com ela, assim terá pistas da razão pela qual ela demonstrou tanta agitação com o contato que vc teve com a menina); o segundo é sobre vc ter passado o dia gelada, mostrando que gastou muita energia. Alguns espíritos podem sugar mais energia de nós do que esperamos. Isso não significa necessariamente que o espírito seja “ruim”, algumas vezes eles apenas perdem o controle sem perceber, alguns até mesmo se sentem culpados quando percebem o que fizeram… O espírito que vive comigo, no começo, precisava de muita energia, pois estava muito enfraquecido. Nesse processo, eu acabava doando bastante energia e quando isso acontecia me sentia fraca e sonolenta, gelada como vc falou, parecia que eu nunca iria me aquecer outra vez… Precisa repor a energia que usou! Chás revitalizantes ajudam muito (como o mate, gengibre, cravo, chás que “esquentam” e estimulam), quando vou fazer algo que já sei que me faz gastar mais energia que o normal, gosto de deixar o chá pronto e por perto. Bom dizer! Nem sempre o espírito “drenou” vc, quando estamos nos acostumando a esse tipo de contato nós também usamos mais energia que o habitual. A boa notícia é que com o tempo, aprendemos a administrar melhor o nosso gasto energético, e também a lidar melhor com essa oscilação no nosso nível de energia. Escrevi outro texto aqui no blog apenas sobre energia, inclusive ensinando técnicas para equilibrá-la. Segue o link – http://oficinadasbruxas.com/equilibrando-trabalhando-energia/
      Sugiro que vc se mantenha aberta para o contato com a menina. Da próxima vez que se encontrarem, não tenha medo de perguntar por que ela está aqui, se precisa de alguma coisa, enfim, converse com ela normalmente. Claro, com cuidado (e manter a nossa energia em ordem já é um cuidado mais poderoso do que muitos pensam), mas com a mesma abertura com a qual vc conversaria com qualquer pessoa como vc ou eu. É isso o que eles são, pessoas como nós.

  27. Gostaria de parabenizar ambas!!!!
    Acabei de encontrar este site fiquei fascinado por esta matéria (por assim dizer),sempre fui muito curioso a este respeito, apesar de tê-ló esquecidos pelo tempo.
    Meu pai também fala com o espíritos,não sei o por q mas nunca perguntei muito sobre isso a ele, ou a pessoas que entendem do mesmo, mas após este texto fiquei intrigado novamente com este mundo q nos cerca. Estou ansioso pela próxima matéria Peregrina.
    Novamente quero agradecer a Peregrina dos Mundos pela excelente matéria e a Rosea Bellator pelo incrível espaço q criou neste mundo virtual!

  28. Nossa, que barato, quanta informação nova pra mim e que fascinante é o mundo dos espíritos. Sempre tive bastante vontade de poder vê-los e falar c eles. Admiro sua coragem e a forma como procurou lidar c isso da melhor maneira possível, entendendo e encarando a situação. Você é mesmo um pessoa muito especial, senão o mundo espiritual não teria te escolhido entre tantas pessoas. Muito legal estar compartilhando conosco essa fascinante experiência!
    Quero ler mais sobre você!
    Bjo!

    • Helga, muito obrigada!!
      No próximo texto vamos conversar sobre formas de perceber os mortos e de entrar em contato com eles. Acho que muita gente pode se surpreender com a própria capacidade de fazer isso. É um “dom” que todos temos e o primeiro passo para desenvolve-lo é abrir a mente para essa possibilidade.
      bjs

DEIXAR RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here