Hefesto é o deus do Fogo dos Vulcões. Também deus da tecnologia e da metalurgia. Deus dos ferreiros, dos artesãos e escultores. Um inventor. Hefesto transformava materiais como ferro em imponentes espadas, escudos e outras maravilhas para os deuses e heróis. Hefesto tinha como esposa a deusa Afrodite, porém esta o traía por ser manco. Sua deficiência[bb] o tornava quase uma aberração entre os deuses, até mesmo diante dos olhos de sua mãe Hera.

Esta meditação tem como objetivo aprender a usar o melhor de si, mesmo quando o mundo parece ruir ao seu redor, assim como Hefesto faz todo dia.

Gaetano Gandolfi, Afrodite na forja de Hefesto, c. 1770-5
Gaetano Gandolfi, Afrodite na forja de Hefesto, c. 1770-5

O que você vai precisar

Uma pequena imagem de um martelo, ou uma bigorna, ou um machado ou uma tenaz (pode ser um pingente, uma pequena escultura), estes são alguns dos símbolos de Hefesto. Caso não ache nenhum desses objeto, leve para a meditação uma ágata de fogo de qualquer tamanho. Este objeto servirá para atrair a força do fogo, força essencial de Hefesto.

Vamos meditar?

Não importa o Sol que estiver, esteja em um local isolado e aqueça-se o máximo que puder. Sim, isso mesmo, você precisa sentir calor, bastante calor.

Feche o objeto que atrairá a força do fogo dentro da palma da sua mão dominante.

Agora feche os olhos e comece a sentir o calor cada vez maior.

Aos poucos permita-se ouvir o barulho de metal sendo fundido, manipulado. Martelos, água fervendo. Agora abra os olhos de sua mente e veja-se dentro de uma Oficina. Como qualquer oficina há barulheira, correria, calor e muito trabalho a ser feito. Diversos auxiliares estão correndo para todos os lados com peças nas mãos ou fabricando-as. Hefesto está no fundo da oficina criando uma verdadeira obra de arte que você ainda não faz ideia do que seja.

Aproxime-se de Hefesto passando por seus auxiliares e toda aquela bagunça. Você percebe que a oficina fica dentro de uma caverna e toda sua estrutura fora modificada[bb] artesanalmente com extrema maestria.

Assim que chegar perto de Hefesto sentirá seu rosto pegar fogo tamanho o calor onde ele está trabalhando. Não precisa dirigir-lhe a palavra, qualquer movimento é facilmente percebido por ele.

Hefesto o olhará de cima a baixo, sem sair de onde está, sem largar seu trabalho. E ele lhe dirá: “Trabalhe na forja e teremos uma conversa…”. Seu tom não é soberbo, tão pouco é suave.

Volte para os auxiliares. Um deles vai parar o que está fazendo para te atender. Você percebe que eles tem asas, usam um elmo de aço e trabalham com perfeição. O auxiliar não dirá uma palavra, apenas colocará um par de asas nas suas costas e lhe dará um elmo pesado de aço. Pronto, agora você é um auxiliar.

Trabalhe duro como eles, torne cada pedaço de metal em uma chapa a ser trabalhada. Aos poucos sentirá exaustão, porém nada ao seu redor lhe importa. A um sinal de Hefesto e todos saem da oficina deixando-os a sós.

O deus do fogo toca seu ombro e pede que o acompanhe.

No fundo da oficina você vê a obra que ele estava trabalhando. Ela está incompleta. Hefesto diz que agora que você sabe como trabalhar é hora de ajudá-lo a finalizar este trabalho.

Ajude-o. Dê o seu melhor. Esqueça seu cansaço. Esqueça o trabalho cruel que fez junto aos auxiliares. Finalizou a obra?

O que você vê? Para cada pessoa aparecerá algo diferente e caberá somente a você compreender seu significado. Você deu a vida a algo deslumbrante, feito de seu suor junto a ajuda de outros, como Hefesto e seus auxiliares. O deus do fogo permite que você leve a obra com você e que a utilize sempre que sentir-se cansado, fatigado de tanto trabalho, fatigado de tanta preocupação, fatigado de “ter que ser perfeito” para alguém.

Enquanto carrega sua obra, abra os olhos devagar. Livre-se de todo o calor tomando um banho suave. Mas não esqueça da lição de Hefesto: não importa o que aconteça, crie sua obra prima!

Rosea Bellator

ATENÇÃO: A reprodução parcial ou total deste texto é PROIBIDA e protegida por LEI. Para usar este texto entre em contato com a autora.

Quer ver outros posts? Clique nos seguintes links:

9 COMENTÁRIOS

  1. Olá Rosea. É bom ter conhecimento, saber a origem de tudo, sendo assim, sei o que estou fazendo e tenho noção de como devo proceder para realizar rituais iguais a esse, ñ faço no “escuro”.
    Muito obrigada.
    Bjs e que Deusa te abençoe sempre, sempre e sempre.

  2. iiiiuuuupiiii!!! Adorei esta dica!
    Ao ler, já fui meditando…..obra prima magnífica! que é pegar todas as gravuras das deusas que tenho guardado na minha gaveta da cômoda, colocar molduras estilo antigo e colocar em um canto da minha sala, no sentido vertical.

    Certo ou errado Rosea, minha linda mestra? 🙂

DEIXAR RESPOSTA

Por favor, insira um comentário!
Por favor, insira seu nome.