Oba!! Tem histórias de leitores! 😀

Vem, vem se inspirar e ver que você não está só!

“Olá Rosea, olá pessoal que lê este blog.

Decidi contar a história de como conheci a magia, então lá vai:
Diferente da maioria das pessoas que contaram suas histórias, minha família nunca me forçou a ser nada, mas sou batizado na católica. Passei parte da minha infância em um sítio maravilhoso, cheio de árvores, com uma verdadeira mata virgem nele. Minha primeira convivência com a magia foi quando meus pais me levaram num terreiro, mas não posso dar detalhes porque ainda era muito pequeno. Conheci a Wicca por meio de um livro que achei em casa de minha tia, o li e me encantei sobre o que ele falava. Depois, continuei vivendo, até que novamente minha mãe me leva a um terreiro, adorei a experiência, me sentia melhor lá do que em uma missa, acho que foi nessa ocasião que decidi “virar bruxo”, mas preciso falar que ler Harry Potter foi mais uma influência para eu fazer isso hahahaha. Então, a partir daí comecei meu “treinamento”, consagrei uma varinha e comecei a fazer minhas magias. Este blog foi um dos meus maiores guias, e agradeço a Rosea por este maravilhoso trabalho que ela vem fazendo, Muito Obrigado!”

– Francisco R

“Chamo-me Mia e vivo nos Açores com os meus pais. Desde pequena que era doida por fadas e elfos e esses seres da fantasia e passava a vida a brincar que eu era uma deles e que eles falavam comigo quando ia para o jardim.

As minhas experiências com coisas místicas começaram bem sedo, quando tinha 10 anos. Estava a dormir e, pouco antes de acordar, senti que algo estranho se passava comigo, como se o meu corpo fosse inundado por uma fonte suprema de luz e eu vi uma espécie de feixe de uma outra luz muito mais forte que me dizia “adeus” e sorria. Não compreendi o que isso era, mas mais tarde vim a perceber que era uma alma de um ente querido a despedir-se de mim.

Não consegui falar disto a ninguém durante dois anos, e durante esses anos tive mais sonhos como estes. Um dia, ao falar disto com um padre católico, ele disse-me que eu tinha mesmo visto uma alma e que as almas conseguiam falar connosco. Ora, se as almas conseguem falar connosco, isso quer dizer que nos também havemos de conseguir falar com elas, certo?

Pois bem, começou aí a minha pesquisa por coisas do sobrenatural. Andei ai meio à deriva quando, no Halloween de 2014, encontrei uma amiga que dizia que as pedras tinham energia e que se podia usar essa energia para curar as pessoas e por aí fora. Começamos a falar e ficamos grandes amigas, e ela começou a ensinar-me a fazer coisas com energia. Ao mesmo tempo que isso acontecia, eu apercebi-me de que uma vida na comunidade católica não era o que eu queria, falei com os meus pais e, por sorte, eles demonstraram ser muito compreensivos comigo.

Ajudaram-me a procurar outras religiões/filosofias de vida em que eu me sentisse melhor, e eu cheguei à conclusão de que devia criar a minha própria filosofia de vida tendo em base a magia.

Quando eu achava que nada de mais místico podia acontecer, um dia estava eu a tocar violino no fundo do quintal e senti que a natureza à minha volta dançava à minha volta e que havia ali uma coisa sobrenatural a vigiar-me. Era a entidade superior, e desde aí falo com essa entidade todos os dias, e ela responde-me, quer por vozes na minha cabeça, por sinais da natureza ou por reações ou frases que vejo escritas em livros. Quando estou preocupada ou tenho medo, sinto um peso no ombro, como se alguém tivesse ali posto a mão para me ajudar, e eu sei que é essa entidade que ali está comigo pronta para me ajudar.

3Hoje em dia faço magia todos os dias para praticar, nem que sejam só pequenos feitiços ou coisas simples, tenho o meu laboratório de ervas na garagem e o meu altar mágico, não acredito em deuses/deusas mas sim numa entidade sobrenatural que fala connosco, visto-me quase sempre de preto e tenho um gosto por coisas que os outros consideram macabras, como caveiras ou esqueletos a dançarem. Faço leituras com chá, café, tarot, tigelas com água e consigo adivinhar, quando eu vou às compras, se vale a pena ou não ir comprar roupa e se vou ou não encontrar o que quero. E, mais recentemente, ando a conseguir comunicar mentalmente com uma bruxa amiga minha (se bem que coisas muito simples como dizer a cor em que estou a pensar ou podes ir buscar um copo de água para mim) e ando a conseguir comunicar com as almas de entes queridos meus.
Adoro ser a bruxa que sou, e tenho muito orgulho nisso.”

– Mia

Viu só? Cada um conhece o caminho da magia de um jeito! E você, como foi? Mande um e-mail pra Oficina das Bruxas! O e-mail é: oficinadasbruxas.odb@gmail.com .

Existem muitos bruxos solitários por aí que não entendem o que está acontecendo consigo mesmos, não entendem a situação ou mesmo têm medo – sua história de como tudo aconteceu pode ser o que falta para eles!

Quer ver outras histórias? Tem aqui: Histórias dos Leitores.

PESSOAL, ATENÇÃO: aos que finalmente encontraram seu caminho com algum deus ou deusa, envie pra cá também! Como foi essa descoberta? O que você sentiu durante sua caminhada? Não tenha vergonha! Sua história pode ajudar outras pessoas!

Estou esperando o e-mail de vocês, ein!

Beijokas!

COMPARTILHE !
Artigo anteriorA Magia do Mar #1: Aprendendo sobre os Elementos Básicos
Próximo artigoSugestão de Feitiço para Abertura de Caminhos
Bruxa natural, sem medo de botar a cara no Sol. Sacerdotisa de Sekhmet, com orgulho. Taróloga pra todas as horas. Escritora sem vergonha, fazer o que, né? Libriana sim, mas com ascendente em Aquário, dá licença!? Aqui a conversa é fluida, sem drama, sem segredos. Bem, segredinhos só na hora de bater o tambor cazamigas! Falou em magia, já to lá! #ÉnóisQueVoa!

2 COMENTÁRIOS

  1. Ola Rosea, tenho-le uma coisa para perguntar, acredita em sinais? Enfim, tenho 12 anos e estou iniciando na magia.
    Sou um grande fã do Paulo Coelho, hoje estava lendo “O Alquimista” quando me deu vontade de fazer algum feitiço, mas lembrei que estava sem meu tablet (pois minha mãe limpou meu quarto e sumiu com ele). Estava lendo pela terceira vez quando estava chegando na parte onde o protagonista vê duas aguias, e acaba tendo uma miragem de um exercito de guerreiros com espadas desembainhadas atacando o oasis, quando cheguei nessa parte eu acabei dormindo de olho aberto e me veio a imagem do meu tablet dentro do bau da minha cama, logo em seguida acordei e fui ver, adivinha, estava lá, alguem pode me explicar oque aconteceu (OBS: nunca uso o bau da cama pois da ultima vez que usei fui roubado).

DEIXAR RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here