“Descobri quem são minhas Divindades, e agora?”

Demorou, mas alguém perguntou! Eba!

Dia desses, lá no nosso grupo do Facebook, uma pessoa perguntou assim:

“Queridos, tanto se fala em descobrir sua deusa mãe, deus pai, divindades. Quando se descobre, qual é o passo a seguir? Sei que vocês vão cultuá-los, mas isso precisa ser sempre? Tem que ter altar, imagem, fazer ritual no dia certo a risca? Por que da pergunta? Bom, eu nunca pensei em fazer tal ritual e ter tal descoberta porque aqui em casa meus estudos são discretos, não tenho altar nem nada e só faço feitiços quando meu marido viaja ou não está em casa. Se eu descobrir minha deusa mãe ou deus pai e ficar ciente de que temos que ter esse compromisso de cultuar, eu prefiro não fazer pra que eu não falte com compromisso com os deuses.”

 

Eita… e aí? Calma, gente! Vem comigo!

Primeiro, vamos pensar: Qual a função dos deuses?

As divindades estão aí para nos instruir, orientar, guiar. Nos ensinar como evoluir. Nos mostrar como prosseguir nosso caminho espiritual. Vencer carmas passados, vencer as barreiras que virão. Sair desse plano da carne e evoluir para os próximos planos. E claro, eles evoluem também conforme conseguem nos ajudar. Afinal, o mestre sempre acaba aprendendo com seus discípulos.

Descobriu sua deusa mãe e seu deus pai, sua divindade guia? Legal, mas e aí? Tenho só que ficar cultuando para agradá-los?

A ideia não é simplesmente cultuar para inflar o ego deles.

É passar energia para eles, assim eles tem condição de abrir seus caminhos e te mostrar por onde seguir. É para isso que servem os cultos, as oferendas.

Quando fazemos rituais, estamos gerando energia e passando essa energia para algo ou alguém. No caso do culto a um deus, ou deusa, estamos dando energia a essa divindade.

É como se, para sua mãe fazer um bolo para você , você tivesse que ir buscar os ovos.

Então sua mãe terá os ovos para fazer o bolo para você. Entendeu?

Descobrir suas divindades é descobrir os guias certos para apontar onde ir, contra o que lutar, como evoluir.

Peça que te mostrem o caminho. E virá aos poucos, uma batalha que será mostrada passo a passo.

Ok, mas e se as divindades que me for mãe/pai não tiver muito material de estudos pelas internetes, livros ou pessoas que entendam? Como fica? Como vou prosseguir se nada sei?

Ahá! Também não precisa se desesperar!

Como cultuar uma divindade que ainda não tenho informações?

Existem muitas divindades que simplesmente não temos informações. Não temos livros. Não temos mais do que suas lendas e mitos. Ou simplesmente você não consegue achar algo sobre elas de jeito nenhum.

Seja essa divindade sua deusa mãe, seu deus pai, ponte ou fusão, ou simplesmente uma divindade que está no seu caminho para te auxiliar em algo…. não é impossível, nem precisa se desesperar.

O primeiro passo sempre será literalmente entrar em contato e perguntar: E aí, como prossigo?

Espere um momento tranquilo, de preferência à noite, que não terá que correr com mais nada e o espiritual é notado com maior facilidade…

Traga algo que lembre a tal divindade. Pode ser uma imagem impressa, pode ser um símbolo (exemplo: digamos que seja uma divindade lunar, como Hécate, então ponha o símbolo de uma lua, já serve), pode ser só uma vela de uma cor que você sentiu que representaria.

Não precisa de mais nada. Só a imagem e uma vela ou só a vela.

Então vá lá, de coração aberto, concentrado e comece se apresentando.

Exemplo:

“Deusa/Deus Tal, eu te chamo e me apresento. Meu nome é Fulano, eu te descobri em meu caminho e gostaria de saber como aprender mais de ti. Eu já li e ouvi falar algumas coisas sobre você, mas ainda não entendi, nem vejo como prosseguir.

Se realmente estiver em meu caminho, pois posso ter me enganado, se for de teu desejo e para minha evolução, me mostre como te cultuar. Como aprender nos teus caminhos. Como seguir adiante com esse aprendizado.

Mostre-me através de (especifique um sinal).

Deusa/Deus Tal, eu te agradeço.

Parta em paz se assim desejar.

E que assim seja.

Feito isso, fique atento ao sinal QUE VOCÊ PEDIU.

Certamente não virá tudo de uma vez. Primeiro virá, por exemplo, um livro. Uma intuição de feitiço, ou ritual ou meditação. Um sonho. Um artigo na internet. Alguém com certo conhecimento que possa te passar… e assim você irá aprender sobre essa divindade.

O conhecimento é gradual, nunca virá tudo de uma vez.

Menos dúvidas e incertezas e mais confiança em seus deuses.

Peçam respeitosamente e eles falarão. Prestem atenção. Os deuses gostam das pessoas que os procuram para aprenderem mais sobre eles, para trilharem o caminho da maneira correta.

Seja humilde, diga que não sabe e peça para mostrar. Simples assim.

Autor: Rosea Bellator
E-mail: oficinadasbruxas.odb@gmail.com
Loja: http://lojaoficinadasbruxas.com/
E-mail da Loja: lojaoficinadasbruxas@gmail.com
Youtube: Canal Oficina das Bruxas

Atenção: A reprodução parcial ou total deste texto é proibida e protegida pela lei do direito autoral nº 9610 de 19 de fevereiro de 1998. Proíbe a reprodução ou divulgação com fins comerciais ou não, em qualquer meio de comunicação, inclusive na internet, sem prévia consulta e aprovação do autor. 

Quer ver outros posts? Clique nos seguintes links: