Leia a seguir de forma que entre na pele do personagem conduzindo um ritual. Sim, um ritual. Não há fantasia, nem é a única forma de prosseguir com um ritual, mas é uma forma segura de seguirem, até que encontrem sua própria trilha.

pentagrama conduzindo um ritual - conduzindo um ritual de iniciante - conduzindo um ritual modelo - conduzindo um ritual exemplo - conduzindo um ritual iniciante real
“Hoje é segunda-feira, dia da Lua. Todos foram dormir. Estou tranquila. Acredito ser um ótimo dia para um ritual de conexão com a Deusa.

Tranco a porta do meu quarto, deixo a janela fechada. Quero privacidade e não quero interrupções. Aproveito e já desligo o celular, para não perder o foco.

Penso na Deusa e em como eu posso fazer essa conexão.

Como sou iniciante e tenho dificuldade com a visualização, faço um círculo no chão com giz. Ainda não consagrei, então ainda não comecei nada. Pego uma vela branca e coloco em algum lado do círculo. Já aproveito e acendo um incenso de mirra, porque sei que tem propriedades de proteção e limpeza. Quero o ambiente puro e energizado.

Não tenho muitos instrumentos mágicos, mas tenho um caderno que uso como Grimório, um sino, que comprei numa feirinha, e uma faca simples, que uso como Athame. Sinto que não terei tanta energia, afinal, esse é um dos meus primeiros rituais ainda e me sinto insegura. Corro na cozinha e pego uma maçã, algumas folhas de louro, um pouco de cravo-da-índia e também uns pauzinhos de canela. Sei que a maçã tem bastante energia da jovialidade e representa a feminilidade e a eternidade. O louro traz prosperidade e é o que desejo: prosperidade na minha conexão com a Deusa. O cravo-da-índia traz a energia da pureza, e sim, preciso muito disso! Ah… a canela é o sucesso! É o ardor! Quero muito fazer tudo direitinho, então a energia da canela vem a calhar!

Volto para meu quarto. Coloco essas coisas perto da vela e do incenso. Ah, também tem um cristal translúcido que uso como pingente. Vou usá-lo, afinal, o cristal translúcido tem o poder de potencializar a energia. Agora sim. Acredito que é tudo que preciso. Não vi esse
ritual em lugar algum, apenas estou fazendo o que sinto. E está sendo incrível! Estou seguindo minha intuição, que flui sem medo!

Paro, penso. É… é só isso mesmo que preciso. Estou usando um vestido leve… mas sinto que ele me atrapalha. Bem, estou sozinha… então fico nua. Sinto o friozinho da noite. Fecho os olhos, respiro fundo. Está na hora de começar.

Visualizo, ou seja, imagino a imagem da lua em minha mente, o símbolo da Deusa. Sinto sua energia fluir no dia de hoje. Já não estou ofegante nem com pressa, nem ansiosa. Estou pronta.
Abro os olhos, pego meu Athame. Começo a girar devagarinho, em sentido horário, seguindo a linha que fiz no chão. Visualizando a energia se fechar ao meu redor. Não sigo script algum, apenas digo o que sinto:

Grandes Espíritos Antigos e Espíritos da Natureza, convido todos que desejam o meu bem
para este círculo de paz e amor. Hoje eu desejo aproximar-me da Deusa. Peço sua ajuda
neste ritual. Grande Deusa, convido também a sua presença e agradeço. Que assim seja.

Inicio o ritual.
Paro de girar e coloco o Athame de volta no círculo. Sento de frente a vela, também dentro do círculo. Respiro fundo, serena. Pego uma das folhinhas de louro e começo a queimar na chama da vela. Sinto esse cheirinho e começo a falar novamente:

Grande Deusa, neste dia eu peço, permita-me sentir seu poder. Conecte-nos. Eu sinto necessidade de estar junto da Senhora, não entendo muito bem ainda, mas sei que ainda
entenderei com sua ajuda. Grande Senhora, eu peço, me ouça…

Simplesmente senti vontade de parar de falar. Largo a folha de louro, queimadinha, e começo a meditar. Viajo em minha mente. Vejo-me flutuar até a lua, enquanto um espírito, uma mulher, me rodeia e me abraça. Eu sinto como se estivesse com minha mãe ou minha avó, um carinho tão intenso…Sinto minha pele aquecer, sensações como felicidade e vontade de chorar, mas não de tristeza, ao mesmo tempo.

Seria a Deusa?! Sim, só pode ser ela! Eu a chamei!
Entrego-me a este abraço, sentindo seu poder, sua força e amor. Estamos nos conectando.
Não consigo sustentar essa visão por muito tempo, e logo escurece tudo.
Abro os olhos e me sinto quente. Lágrimas caem… eu estou feliz.
Teria isso sido um ritual? Não… ainda não! Sinto que tem mais! Sentindo o poder dentro de mim se manifestar, pego o cristal translúcido e o seguro perto do peito. Com a outra mão, eu rondo os ingredientes que deixei junto da vela. Sigo minha intuição e digo:

Grande Deusa, sinto sua presença diante de mim! Eu reúno minhas forças com as tuas. Eu invoco toda energia que reuni aqui para estabelecer nosso primeiro contato e união! Peço que esteja comigo, que me mostra como seguir teus caminhos!

Sinto que quero falar mais, mas estou incrivelmente cansada! O incenso já terminou de queimar e a vela parece querer se apagar, porém não me preocupo… só que entendo que é hora de finalizar, enquanto ainda tenho energia.

A ponte foi estabelecida! A conexão flui entre nós, Grande Deusa! Agradeço por ouvir-me e peço para receber-me novamente! Que assim Seja! Queimo um pouquinho da canela na chama da vela e sinto, de olhos grudados no fogo, que tem algo acontecendo. Não seria por acaso que fiquei tão cansada.

Paro de queimar e me ponho de pé. Pego o Athame. Sinto meu braço cansado.
Agora em sentido anti-horário, começo a liberar o círculo, pois já não consigo sustentar. Sei que jamais devemos forçar além de nossas forças.

Grande Deusa, eu agradeço por vir ao meu chamado! Libero agora o círculo e peço que parta em paz. Grandes Espíritos Antigos e Espíritos da Natureza, eu agradeço por virem ao meu chamado! Libero o círculo e peço que partam em paz. Partam todas as energias benevolentes presentes aqui, mas peço ainda, que deixem sua proteção e bênçãos, para que este ambiente possa continuar a receber sua presença, para que eu possa continuar com nossa conexão! Eu agradeço a todos! O círculo está desfeito. Que assim seja!

Pronto… terminei.

Estou muito cansada, mas feliz. Foi tão rápido! Olho para meu relógio na parece e vejo que levei mais de 3 horas! Incrível! Eu ainda posso sentir a presença da magia, e fico serena.
Recolho tudo que usei e devolvo a seus lugares. Exceto o louro e a canela que queimei, esses eu deixo separado com a vela, para terminar de queimar outro dia, ou talvez jogue no meu vaso de flores.
Jogo meu tapete sobre o círculo. Não falta mais nada. Estou muito cansada… mesmo! Cada minuto fica pior! Decido ir dormir.
Esta noite tenho sonhos bons, nada “mágico” ou que prenda minha atenção, porém no dia seguinte eu ainda lembro de tudo e lembro da visão… da Deusa abraçando-me diante da imagem da Lua. Tudo aquilo foi real. Tenho certeza que farei outro dia novamente, porque a magia é assim: é contínua, magnífica… infinita. Sou grata aos deuses e aos espíritos antigos, meus guardiões e os espíritos da natureza. Que eu possa evoluir e melhorar nossa conexão cada vez mais.”

Que a Deusa e o Deus estejam conosco sempre!

Até a próxima!

Autor: Rosea Bellator
E-mail: oficinadasbruxas.odb@gmail.com

Atenção: A reprodução parcial ou total deste texto é proibida e protegida pela lei do direito autoral nº 9610 de 19 de fevereiro de 1998. Proíbe a reprodução ou divulgação com fins comerciais ou não, em qualquer meio de comunicação, inclusive na internet, sem prévia consulta e aprovação do autor. 

Quer ver outros posts? Clique nos seguintes links:

22 COMENTÁRIOS

  1. É um artigo antigo eu sei mas decidi comentar em agradecimento!
    Eu sou iniciante e me vi nesse texto. Foi praticamente assim meu primeiro contato à cerca de 3 meses atrás… Senti muito calor, chorei muito, mas era um choro bom, agradecido por poder sentir, por ter sido me dado a oportunidade de me conectar com os Deuses e minha nossa, como é forte esse sentir!!! E ele só vem crescendo, agora acompanho os esbbath’s e fiz meu primeiro sabbath (litha), a felicidade percorre meu íntimo quando vejo o que cresceu em tão pouco tempo 😀
    Aos poucos ando lendo, estudando e a Oficina tem sido um grande guia, sempre recorro ao site quando tenho dúvida do que fazer. Alias, foi por um texto sobre a Deusa Interior que começou tudo. Eu sai de uma depressão graças a busca e as respostas que esse texto trouxe, à você Rosea, só agradecimentos! Eu venho crescendo, refletindo, estudando, encontrei um lugar tão bom, uma acolhida, uma inspiração, algo que me move na direção de ser alguém melhor. Que me fez recordar quem eu sou e que esteve adormecido por tanto tempo!

    Que seu trabalho renda ainda muitos frutos e que continue, um texto nunca é apenas um texto, ele é um canal que toca as pessoas de formas profundas! Obrigada <3

  2. Olá, linda. Estou adorando o seu blog, aprendendo muito. Sou iniciante, sigo a linha celta, o druidismo e tal, mas nunca fiz rituais nem nada. Gostaria de saber sobre as ervas. Por exemplo a folha de louro que você cita aí, ou ervas em geral. Elas precisam estar frescas ou podem ser secas ou desidratada como encontramos nessas casas de ervas para se fazer chá, remédios, etc?
    Obrigada :*

  3. Olá Rosea, primeiro parabéns pelo site, passei por muitos antes de parar e ficar no seu site. Material excelente, escrito com lógica e sinceridade, adorei.
    Tenho uma dúvida sobre rituais para proteção durante o feitiço: preciso fazer um ritual de proteção sempre que quiser fazer qualquer feitiço mesmo que simples? Os rituais de proteção sao sempre abertura e fechamento de circulos? Eu tenho uma tia que abre e fecha o circulo cantando em outra lingua, é lindo, mas eu perdi contato com ela. Eu só tenho medo de atrair espiritos perdidos para a energia que estou acumulando/manipulando na hora do feitiço.
    Obrigada.

    • Olá!! 😀

      Ritual de proteção é ritual de proteção. Ou seja: vc vai tirar um dia só pra ele.
      Outra coisa é preparar o ambiente de forma mais simples para fazer qualquer outra coisa, mesmo mais simples.
      E cada um abre o circulo à sua maneira 😀

      Agradeço o carinho! <3
      Beijokas!

  4. Oi sou eu de novo obrigado por me responder, mas vamos a pergunta , eu posso usar uma faca normal, limpa e após consagrá-la usar como atheme e outra como boline?

  5. Olá, fiquei muito impressionado com toda a sua descrição, e confesso que senti uma vontade de ter essa sensação que tenho certeza que é única, mas tenho uma dúvida, o Deus Ares da guerra é para a vontade e confiança, e com base seus antigos posts eu sou do fogo, mas sou “devoto” do Deus Possêidon. Para que ele serve especificamente?

    • Gio, que interessante…
      Esses dias eu estava mexendo em meus tarots, e um deles é sobre os deuses gregos. Peguei uma carta de Poseidon e fiquei pensativa. Senti que tinha que escrever algo sobre ele. Acho que seu comentário era o empurrãozinho que me faltava!
      Poseidon, além de representar o elemento água, a força da nossa psique e um forte intelecto e força de vontade, representa o nosso interior mais profundo da mente, onde tudo é possível de acontecer, e onde a mente cria nossa realidade.
      Interessante, não?
      😀
      obrigada por comentar, vou escrever!

  6. Maravilhoso!…só tenho a gradecer por ter “conhecido” vc, cresci muito, aprendi muito, aprendi a despertar de forma mais intensa a bruxa q sou!..obrigado e mt luz!!

  7. Lindo rosea. Como sempre eu amei td. Bjs de luz. Q vc seja ainda mais abençoada. Pessoas como vc merecem o poder e as graças q a acompanham. Blessed be

DEIXAR RESPOSTA

Por favor, insira um comentário!
Por favor, insira seu nome.