UHUL! Hoje tem: “Como conheci a Magia”!

Hoje vamos conhecer a história do Gabriel! Leia, veja que você não está sozinho! E caso ainda tenha medo da magia… pare com isso JÁ! Vamos lá?

witchs_cauldron

Meu nome é Gabriel Figueiredo e tenho 14 anos, bem novo né? Porém me sinto sortudo pois terei muito tempo pela frente para estudar a bruxaria.

Bem, a história de como conheci a magia se remonta desde quando eu era bastante pequeno, coloque uns quatro anos de idade, pois a minha mãe, que me teve com 20, ou seja ainda era bem nova, quando era adolescente ela estudava a bruxaria e a Wicca, porém ela nunca se iniciou oficialmente na religião, e depois de engravidar apenas se focou no cotidiano em si, largando suas crenças mas não sua sabedoria no assunto.
Então, voltando para quando eu era bem pequeno, eu sempre tive muita curiosidade em tudo, e adorava revirar livros que eu encontrava abandonados pelos cantos da casa até que um dia eu achei um chamado ” O Livro de Ouro das Ciências Ocultas ”, que inclusive é um livro que está nas indicações do blog. E daí o livro falava sobre as ciências ocultas e citava bruxaria então eu sempre gostava de pegar ele e ficar imaginando que eu era capaz de soltar fogo pela mão ou até mesmo voar e eu literalmente ficava correndo com o livro pela casa e não soltava mais ele. Então desde essa época eu já tinha uma noção de que a natureza era poderosa.
Agora começa a parte mais obscura da minha vida. Quando eu tinha 11 anos, passei por uma crise existencial muito forte mesmo. Eu costumava ir a centros espíritas para receber passe, pois eu via espíritos e inclusive posso afirmar que já vi demônios, e como eu era ingênuo, eu pesquisava sobre o assunto e me aprofundava mais em estudar demônios e espíritos ruins, já que eu os via constantemente e inclusive quando eu era bem pequeno, minha avó conta que eu costumava ”brincar” com meu avô falecido e inclusive conversar com ele. Então nessa mesma fase de ver coisas, eu sofri uma crise existencial pois parei inusitadamente de acreditar em deus, céu e inferno, e me senti perdido, como uma bomba relógio, achando que iria morrer a qualquer momento e ficar preso dentro de um caixão, amaldiçoado no eterno. Porém, após um tempo, essa crise foi embora após idas ao centro, conversas com minha mãe e parando de procurar o que não me favorecia.
Então, segui minha vida normalmente, entrando na adolescência tentando ignorar as crenças para não voltar a ter mais crises, então, tudo começou esse ano.
Meus amigos conseguiram me convencer a ir para um acampamento presbiteriano, mas não com o intuito de eu me converter e sim em apenas se divertir, já que, tirando toda a baboseira de culto, lá tinha umas atividades bem legais, entretanto, eu escutava todo dia durante uma semana o pastor falando sobre deus, sobre céu e inferno e eu só ficava pensando como alguém poderia acreditar em algo tão besta, pois mesmo eu respeitando a crença do cristianismo, eu apenas não me sentia lá. Após a volta do acampamento que foi em julho desse ano, eu finalmente tirei o bloqueio que tinha em mim a respeito de crer e seguir algo, e comecei a tentar seguir o que eu achava que era certo para meu bem, não foi fácil de cara, mas tudo começou a encaixar nos eixos no começo de setembro desse ano, quando eu realizei uma viagem até a Patagônia.
Lá, no sul da Argentina, em todas as cidadezinhas que eu parava, eu achava lojas de bruxaria, e eu adentrava, pois minha mãe sempre me contava sobre essa religião e eu nunca me esqueci do tempo que eu tinha curiosidade sobre o assunto, e dentro daquelas lojas eu via estatuetas de duendes e outros seres patagônicos, e isso despertou em mim uma coisa muito forte mesmo, e resultou que a viagem inteira eu fiquei lendo sobre duende, e no momento que eu cheguei em casa, corri para a internet para me encontrar.
Eu acreditava e acredito, que tudo está relacionada a natureza, ela é o absoluto, e que exite sim uma energia maior, que por mim alguns chamam de deus e outros de alá, mas que para mim a natureza era a mais grandiosa face dessa energia que nos ampara todos os dias, além do mais, eu acreditava em magia desde quando era pequeno.
Então, eu finalmente encontrei o que eu queria, a Oficina das Bruxas, que era o site que falava tudo que meu inconsciente já sabia, que dava explicações coerentes sem faltar um detalhe, então eu me decidi, a bruxaria vai ser o que vou seguir pelo resto da minha vida, pois ela é o meu lugar, e o que me motivou mais foi a frase do Papa Francisco :
” Não existe uma religião verdadeira, todas elas são, pois são verdadeiras nos corações de quem as seguem ” e após ler aquilo, eu sabia que o meu coração pertencia a bruxaria.
Decidi que eu ia me aprofundar primeiramente na área dos oráculos, pois adivinhar o futuro era algo que eu já fazia parte, lembra de quando falei que eu era uma criança bem especial ? Pois é, já previ três gravidezes quando eu era menor, todas elas, algo no fundo do meu coração falava mais alto, o que chamo de instinto mágico. E foi ai que comprei meu Baralho Cigano e em uma semana eu já fazia jogos complexos pois aprendo rápido. E hoje em dia, pratico a bruxaria todos os dias, estudo muito e me sinto perfeitamente em harmonia com a natureza, e vou levar ela para o resto de minha vida.
Então deixo um recado para todos os leitores e leitoras:
Não importa se a sociedade tenta lhe pregar algo do qual você não acredita, e se você seguir isso, vai estimular um buraco enorme dentro do seu coração, pois você não vai estar no lugar do qual pertence. Sente-se e converse consigo mesmo, e a partir dessa conversa, descubra o que você acredita, e comece a seguir isso pois vai lhe dar uma libertação pessoal da qual você não faz ideia, e se o que você acredita não se encaixa em nenhuma religião, siga mesmo assim, pois será dessa forma que durante essa longa jornada chamada vida que você descobrirá pouco a pouco quem você é, e qual é o seu papel nesse universo. Ninguém está sozinho.”
– Gabriel Figueiredo

owl1 megla

Viu só? Cada um conhece o caminho da magia de um jeito! E você, como foi? Mande um e-mail pra Oficina das Bruxas! O e-mail é: oficinadasbruxas.odb@gmail.com .

Existem muitos bruxos solitários por aí que não entendem o que está acontecendo consigo mesmos, não entendem a situação ou mesmo tem medo – sua história de como tudo aconteceu pode ser o que falta para eles!

Estou esperando o e-mail de vocês, ein!

Beijokas!

Rosea Bellator

COMPARTILHE !
Artigo anteriorRitual de Banimento Energético
Próximo artigoExperiências & Conversas de Uma Bruxa
Bruxa natural, sem medo de botar a cara no Sol. Sacerdotisa de Sekhmet, com orgulho. Taróloga pra todas as horas. Escritora sem vergonha, fazer o que, né? Libriana sim, mas com ascendente em Aquário, dá licença!? Aqui a conversa é fluida, sem drama, sem segredos. Bem, segredinhos só na hora de bater o tambor cazamigas! Falou em magia, já to lá! #ÉnóisQueVoa!

4 COMENTÁRIOS

  1. Rosea, enviei dois guest posts e a minha história na magia (que é muitissimamente muito parecida com a do Gabriel, parece até que ambas foram plágio uma doutra!) para teu e-mail, numa mensagem. Dá uma olhada lá!
    Ah! E não recebi sua resposta daquele guest post, por favor, tente enviar para o e-mail do meu blog.

  2. É, Gabriel… Sua história na magia se parece com a minha: Eu também nasci médium clarividente. Na magia eu comecei com 12 anos e comecei à ver espíritos com 05 anos, e também, eu nunca fui numa central espirita na minha vida, porque meus papais não deixam, porém, eu sou um cabalista e mago da religião Espiritismo (prática solitária), meus papais nem se preocupam. Mas, nossas histórias, sua e minha; são muito parecidas mesmo! Gostei!

DEIXAR RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here