“Como conheci a Magia”!

Hoje vamos conhecer a história do Igor e da Jeniffer! Leia, veja que você não está sozinho! E caso ainda tenha medo da magia… pare com isso JÁ! Vamos lá?

conheci - chapéu de bruxa

“Antes de começar esse texto eu entrei no Spotify e coloquei uma Playlist de concentração, mas achei muito parada, então passei para “Chá com a Rainha” que tem varias musicas de bandas Inglesas, então já veio as lembranças e comecei a escrever.

Então, meu nome é Igor Enrico, tenho dezessete anos e desde pequeno gostei de magia, logo com meus quatro anos amava desenhar bruxas e magoas em todo papel que eu via, e logo conheci Harry Potter (dái que veio meu gosto pela leitura) e isso me despertou um interesse maior ainda (o caldeirão que uso nos dias de hoje remota dessa época, e foi presente da minha avó).

Mas meu primeiro contato com a bruxaria da forma que conhecemos foi logo que minha mãe comprou um computador para falar com meu irmão que tinha ido estudar fora, acabei jogando no Google a palavra “Bruxaria” e apareceu um blog chamado “O Caldeirão de Cerridwen” e logo comecei a imprimir todo o site e tentar recitar os feitiços, e deixa eu te contar, e nenhum deu certo? E ainda me rendeu umas belas palmadas no traseiro por ter gastado mais de 200 folhas com algo completamente desnecessário.

Então passou um tempo, continuei indo a igreja e até sendo coroinha, e lá pelos meus onze anos eu ganhei um livro de São Cipriano e decidi ser um “”””“bruxo”””””, mas logo que eu vi que tinha pacto com demônio já escondi o livro pra longe de mim. Continuei na igreja católica, mas comecei questionar muita coisa, fiz primeira comunhão e até crismei, para apenas agradar meus pais e claro com o pensamento clichê de “Eu só estou fazendo, porquê quero casar futuramente”. Logo que crismei decidi:

“UHUL, AGORA TÔ LIVRE QUE NEM POKEMON FORA DA POKEBOLA”

Mas por um tempo fiquei cético e depois comecei a estudar as religiões, e lembra daquele site lá no começo? Achei tudo que tinha imprimido e voltei a estudar, baixando um livro ali, vendo uns vídeos acolá e decidi “Esse é meu caminho!”. Impulsionado ainda pela vontade de ter poder. Comecei com a Wicca, me intitulei Wiccaniano depois de uns quatro meses de estudo superficial e sendo extremamente zoado e até acabei perdendo amizades por isso. Quantas vezes não ouvi “Harry Potter subiu a cabeça”, “Isso é só fase, daqui à pouco passa”, “Essa religião não existi.”. Mas sempre me mantive forte, sabe? Pois, mesmo naquele momento, nenhum feitiço que tinha realizado havia dado certo, mas nunca desiti, eu acreditava nos deuses antigos, mas nunca entendi o porquê que eles não entravam em contato comigo (como se fosse simples).

Várias vezes eu tinha parado para me perguntar: Será que meu caminho é esse?

E digo a vocês, que até hoje me pego pensando nisso, mas viro pra mim e penso que só estou novo ainda, que vai ter o momento, aquele contato que vários bruxos descrevem. Mas continuando a história…

Eu continuei por muito tempo me intitulando que eu era Wiccano, já que era bem mais pratico explicar assim, mas com o tempo e após conhecer uma bela amiga de cabelos rosas, que começou a me mostrar e ensinar de forma diferente e vi que a Bruxaria era mais o meu lugar do que a própria Wicca. Fui reconhecendo que somos livres, e que se aquilo funciona pra você, aquilo é real de alguma forma. Que tudo está conectado e que todos temos nosso tempo.

Então pensem, você que tá começando, não se desanime, pois seus feitiços não dão certo, ou porque os deuses não aparecem pra vocês em sonhos, ou você não tem certas sensações em rituais, você só está inexperiente. Eu digo pra você que se identificou, ou que leu até aqui, sou a pessoa mais “isso é coisa da minha cabeça”, então até hoje não sei se um feitiço deu certo, se tive um contato divino ou que recebi um sinal divino, pois sempre acho que é coincidência, e isso por acaso me desanima ou me faz querer largar? ABSOLUTAMENTE QUE NÃO! Eu continuo acreditando nos deuses antigos, seres astrais (com dificuldade de acreditar em fadas e dragões) e sendo um grande devoto de Hécate e sempre orando, fazendo rituais e oferendas pra ela e até celebrando os Esbbaths de Lua Negra em honra a ela. E isso me engradece bastante, com ela aprendi diversas coisas, com ela aprendi a me impor e mostrar do que sou capaz, ela quebrou minhas mascaras e rasgou os meus véus, e isso sem ela aparecer em sonhos. Os deuses vão moldando as nossas vidas da forma que agimos, eles podem nos atender sem necessariamente aparecer em nossos sonhos ou no meio das chamas do caldeirão.

Se entreguem a eles, eu posso dizer, que o meu maior contato com Hécate, que eu senti o manto dela em meus ombros foi na ultima Lua de Sangue, e isso após vários meses cultuando nas luas negras.

Pra finalizar digo, que nessas duas rodas de ano estudando constantemente que sou mais leigo do que antes, a magia é extensa e várias vezes cansativas, aprender de tudo um pouco é bom. Alias, uma dica, se aprofunde em cada assunto, pois você acaba dominado e podendo descutir com outro bruxo esse assunto. E para você homem que se sente desanimado por ver tanto lado feminino na bruxaria, saiba, que o Deus está dentro de você, e você precisa despertá-lo, assim, você verá o mundo de forma completamente diferente, o Deus lateja dentro de nós, e ele nos ensina como o lado masculino é importante, tão qual o feminino. Lembre-se o mundo é equilíbrio.

Bênçãos, e que todos os seres lhe ensinem algo a você!”

– Igor

É, Igor, os treinos para mestre pokémon só começaram kkkkk brincadeira <3

lua

“Me chamo Jeniffer, tenho 15 anos de idade. Conheci a magia de uma forma bem simples, fui movida pela curiosidade e a  informação. 

Desde pequena sempre amei contos de fadas, sempre escutei as historinhas que minha mãe me contava antes de dormir, onde as princesas eram belas e as bruxas sempre más, e ficava me perguntando se aquilo era verdade, o “porque que toda história de contos de fadas as bruxas tinham que ser más e feias”, pensava comigo, “nossa, se for assim mesmo nunca quero ser uma bruxa”. 

A maior parte da minha família são cristãos, posso tirar uma média de que 90% são cristãos e 10% são católicos, infelizmente não tem nenhum pagão. Não tive o apoio de nenhuma pessoa querida pra entrar na Bruxaria, só o meu interesse. Mantenho isso em segredo até hoje, estou na magia a um ano e três meses, sou iniciante. Já fui cristã, sai da Igreja, voltei, e entrei denovo. Resumindo: Tentei duas vezes ser cristã, mas não senti afinidade com a crença igual senti com a magia.
 .
Em 2013 virei rockeira (parece que não tem nada a ver, mas perceba que uma coisa sempre puxa a outra), percebi com o tempo que o rock é ligado com o misticismo, nisso que passei a ouvir rock foi a chave para tudo, para todas as portas do conhecimento se abrirem, passei a ser vidrada em misticismo e vampirismo, fiquei um tempo sendo “seguidora” disso, mas senti que deveria me aprofundar mais no assunto, sou e sempre fui uma pessoa muito curiosa e muito ratinha de computador e livros, de tanto ler e pesquisar sobre assuntos misticos e vampirísticos, comecei a ver um seriado americano de vampiros chamado The Vampire Diaries, comecei a vê-lo porque achava histórias de vampiros a coisa mais “romântica” e “linda”, mas depois de um tempo começou a aparecer bruxas na série e cenas de magia que me encantou desde a primeira vez que vi, fiquei empolgadíssima e passei a gostar mais da magia do que do vampirismo.
 .
Comecei a pegar muita informação sobre essa filosofia, até que a soube identificar, uma das crenças do paganismo.  
Então, achei o Oficina das Bruxas, nisso comecei a estudar sobre bruxaria , passei pela fase do susto, do medo, das diversas dúvidas, da insegurança, da incerteza, da empolgação de querer saber tudo e a fase da aceitação de que a magia me completa e que ela estava dentro de mim e ao meu redor a vida toda sem eu saber. depois de pouquíssimo tempo já me deparei e identifiquei-me como uma Bruxa.
Aprendi todo esse tempo, que Não devemos seguir a vida toda uma religião que não queremos só para entrar nos padrões da família, temos que seguir o nosso coração, e se ele escolher o Budismo? ótimo! se escolher o Cristianismo? ótimo! E se escolher a Magia? ótimo! <3
Fiquem bem Povo amado!”
– Jeniffer
Que assim seja!
owl1 megla

Viu só? Cada um conhece o caminho da magia de um jeito! E você, como foi? Mande um e-mail pra Oficina das Bruxas! O e-mail é: oficinadasbruxas.odb@gmail.com .

Existem muitos bruxos solitários por aí que não entendem o que está acontecendo consigo mesmos, não entendem a situação ou mesmo têm medo – sua história de como tudo aconteceu pode ser o que falta para eles!

Quer ver outras histórias? Tem aqui: Histórias dos Leitores.

Estou esperando o e-mail de vocês, ein!

Beijokas!

COMPARTILHE !
Artigo anteriorDezembro! Visualização e Prosperidade para o Futuro!
Próximo artigoLivro: Bast and Sekhmet, Eyes of Ra
Bruxa natural, sem medo de botar a cara no Sol. Sacerdotisa de Sekhmet, com orgulho. Taróloga pra todas as horas. Escritora sem vergonha, fazer o que, né? Libriana sim, mas com ascendente em Aquário, dá licença!? Aqui a conversa é fluida, sem drama, sem segredos. Bem, segredinhos só na hora de bater o tambor cazamigas! Falou em magia, já to lá! #ÉnóisQueVoa!

2 COMENTÁRIOS

DEIXAR RESPOSTA

Por favor, insira um comentário!
Por favor, insira seu nome.