Eostre, também conhecida como Eastre, Esther, Ostera, é a Deusa da Aurora, da Passagem para a Primavera. Deusa do Renascimento e da Fertilidade, na mitologia germânica. Seu poder traz o verde de volta para a vegetação, torna a vida mais fértil, bem como os homens, as mulheres e os animais. Traz o crescimento para daquilo que foi plantado com amor.

A Deusa Eostre. Ilustração de Hrana Janto.
A Deusa Eostre. Ilustração de Hrana Janto.

Diz uma lenda que Eostre desceu dos céus, com todo seu calor, e trouxe a primavera. Ela veio após ouvir o medo das pessoas, que achavam que o inverno não iria embora nunca mais. Assim que a Deusa pôs os pés na grama, um lindo arco-íris se formou nos céus, e a primavera chegou naquele instante. Em sua presença, uma lebre botou um ovo colorido como o arco-íris, tal a sua fertilidade. Diante da cena do amor da Deusa, as pessoas se acalmaram e passaram a celebrar a passagem da primavera pintando os ovos e tomando a lebre como símbolo de Eostre.

Eostre ensina sobre ter carinho, apreciar a vida e o crescimento. Afinal, por não notarem as pequenas mudanças no clima, as pessoas não haviam notado que a primavera chegava, e por isso se desesperaram.

Seus símbolos são os ovos, que representam a vida e as lebres, que representam a fertilidade. É uma deusa donzela, ou seja, que não é mãe, é uma moça com todo vigor da juventude. É a fase em que a mulher se apaixona, se envolve, até enfim engravidar. É celebrada na lua nova, quando plantamos o que desejamos, e na lua crescente, que é quando vemos crescer o que pedimos. A partir de seu nome, temos o nome Ostara, o sabbath da Primavera.

Como você já deve ter notado, tudo isso tem muito a ver com a Páscoa.

Ovos coloridos, coelhos, Deusa do “Renascimento”…

A Páscoa é uma celebração da passagem para a vida, e acontece no período da Primavera no Hemisfério Norte. Sabendo que muitas festas dos povos dos campos, os pagãos, foram cristianizadas, é só fazer as contas. Sim, muitas festas pagãs foram cristianizadas no período Medieval, uma forma de trazer o povo para o cristianismo. Assim como muitas outras festas, festivais, deuses, etc…

Celebrando Eostre

Num dia de Lua Nova ou Crescente – ou simplesmente caso um dia você precise muito dela ou ela apareça para você – celebre Eostre! Monte um canto, seja na terra, seja debaixo de uma árvore, no meio do mato, seja no seu altar, ou na janela, como der, mas que seja com carinho. Faça o Círculo Mágico.

Pegue um ovo, qualquer um, e pinte, de forma que fique bem coloridinho. Se tiver um coelho em casa, deixe-o por perto. Se não tem, consiga uma imagem, ou algo relacionado ao coelho. Deixe no altar.

Leve algo como bolo, leite ou uma torta de vegetais, fique à vontade.

Acenda uma vela branca, chamando o nome da deusa, chamando seu calor, sua fertilidade e crescimento para a sua vida.

Sinta essa conexão se firmar, e então coma do alimento que trouxe com uma mão, e com a outra sinta o calor da vela. Após comer, escolha algo que quer que cresça na sua vida, algo que faça sua vida crescer. Uma coisa só, para não dividir a energia, exemplos:

  • Quero ficar grávida;
  • Quero um novo emprego próspero;
  • Quero conseguir fazer meu mestrado;
  • Quero crescer minha casa;
  • Quero fazer uma hortinha no quintal;
  • Quero crescer no meu caminho espiritual.

Feito isso, apenas feche os olhos, visualize o que pediu. E conforme vai visualizando, agradeça ao mesmo tempo. Veja com o máximo de detalhes que conseguir. Ao terminar, diga novamente seu desejo e agradeça à Eostre.

Enquanto a vela queima, apenas esteja ali, sentindo a energia se transmutar. Não tenha pressa. Quando sentir que já não há mais a energia que sentia, pode agradecer e desfazer o altar se quiser. Mantenha somente a vela acesa, pelo menos. Desfaça o círculo. Está feito.

Durante a semana, até a próxima lua, agradeça Eostre trazendo para sua casa a pureza da deusa, seja nas refeições – muitos vegetais no prato; seja no altar – cantando, orando, recitando poesias à ela; seja ajudando outra pessoa a crescer. Faça oferendas de leite, exemplo: fazer uma batida de leite com coco e comemorar numa festa com pessoas queridas.

Abençoados sejam todos!

Autor: Rosea Bellator
E-mail: oficinadasbruxas.odb@gmail.com

Atenção: A reprodução parcial ou total deste texto é proibida e protegida pela lei do direito autoral nº 9610 de 19 de fevereiro de 1998. Proíbe a reprodução ou divulgação com fins comerciais ou não, em qualquer meio de comunicação, inclusive na internet, sem prévia consulta e aprovação do autor. 

Quer ver outros posts? Clique nos links a seguir:

COMPARTILHE !
Artigo anteriorMagia é coisa do Diabo?
Próximo artigoLouro, uma Erva Pau-pra-Toda-Obra
Bruxa natural, sem medo de botar a cara no Sol. Sacerdotisa de Sekhmet, com orgulho. Taróloga pra todas as horas. Escritora sem vergonha, fazer o que, né? Libriana sim, mas com ascendente em Aquário, dá licença!? Aqui a conversa é fluida, sem drama, sem segredos. Bem, segredinhos só na hora de bater o tambor cazamigas! Falou em magia, já to lá! #ÉnóisQueVoa!

2 COMENTÁRIOS

DEIXAR RESPOSTA

Por favor, insira um comentário!
Por favor, insira seu nome.