Então o bruxo estuda…estuda…estuda… e vai viver copiando feitiços e rituais dos outros? Claro que não! Falaremos aqui sobre a possibilidade e quando o bruxo deve criar sua própria magia e então poderemos entrar em outros assuntos como tabelas de ervas, pedras e cristais, símbolos e afins.

Foto: Karyne Olivier - Bruxa Wicca, minha amiga e muito doida fazendo feitiços :)

Foto: Karyne Olivier – Bruxa Wicca, minha amiga e muito doida :)

 

Você tem medo do que pode acontecer se por acaso você resolver criar seu próprio feitiço? Ou você nem pensa nisso? Ahhhh bruxinho, pra que você estuda então? É só decoreba? Você não se sente um aluno que só cola nas provas?

Muito bem, vamos acabar com esse problema!

Vamos falar do bruxo Leo.

Leo quer um feitiço para afastar problemas. Temos aqui algumas opções, vou destacar três: Leo pode procurar em algum livro, pode procurar na internet ou pode usar os estudos dele e CRIAR o próprio feitiço. Procurar em livros é uma boa ideia, procurar na internet um pouco – existe SIM lugares de confiança – e criar o próprio feitiço pode ser meio arriscado, porém pode ser muito mais eficaz!

Leo decide começar pelos livros, pois ainda não tem confiança. Ele compra alguns livros e começa a tentar. Alguns feitiços são longos demais, ou tem ingredientes que ele nem conhece ou não é exatamente o que ele quer. Leo é apenas um novato e é complicado para ele entender as coisas assim, tão de repente. Então Leo decide dar uma olhada na internet. Ele encontra mais de mil sites diferentes, e tenta vários deles: mas enquanto faz os feitiços dali, ele sente que falta algo. Leo decide conversar com alguns amigos, mas cada um diz uma coisa e o deixa ainda mais confuso.

Um belo dia, Leo está em casa, escrevendo em seu livro das sombras ou alguma anotação qualquer quando percebe que estudou e que tem várias tabelas e compêndios de ervas, pedras, flores e muitas outras coisas usadas como ingredientes em feitiços e rituais. Pacientemente, Leo começa a reler todas aquelas tabelas e começa a ver coisas que precisa para ajudá-lo em sua meta: conseguir um feitiço para se livrar de problemas.

Não é tarefa impossível, mas requer um pouco de coragem e principalmente boa vontade. Leo lista duas ervas que tem como propriedade livrar-se de energia negativa e outra que é para chamar bons fluidos. Em seguida Leo lembra para que serve o caldeirão: dentre tantas atividades, o caldeirão serve para queimar ervas e outras coisas para realização de algo. Leo pega um papel e escreve nele com lápis vermelho (usa a cor vermelha por que tem força para atrair) os problemas que quer se livrar. Enquanto escreve, Leo se concentra ao máximo e pede com toda sua fé à entidade que acredita. Acende o caldeirão. No momento que vai queimar o papel, Leo não procurar nenhuma oração pronta, ao invés disso, ele pede com seu coração, chega mesmo a chorar de emoção, e então queima aos poucos o papel com o pedido. Assim que vê o papel todo em chamas dentro do caldeirão, ele pega as ervas e esfrega com força entre as palmas das mãos enquanto deixa farelos caírem nas chamas. Dessa vez ele faz uma prece sincera e agradece a entidade que pediu para sumir com os problemas que listou no papel que foi queimado. Termina de queimar as ervas e o papel e as chamas do caldeirão apagam. Leo fecha os olhos e apenas agradece. Sobraram algumas poucas cinzas no caldeirão, portanto Leo as recolhe e coloca no seu vaso com uma plantinha que está crescendo, poderia também jogar no lixo ou assoprar ao vento. Ele terminou de fazer o primeiro feitiço criado por ele mesmo. Foi extremamente simples, porém ele utilizou as coisas mais importantes – como já falado – que são: fé, vontade, alguns ingredientes para direcionar a energia que gerou. Ele agradeceu ao ser divino que o ajudou que é de extrema importância, não pense que se fizer um pedido e não agradecer será atendido de qualquer forma. Esse feitiço tem muito mais chances de dar certo que todos os outros que tentou, pois é feito sobre medida ao que queria, foi feito com toda sua humildade e coragem. Parece bobagem falar sobre coragem no momento de criar um feitiço, mas não é. Esse feitiço que Leo fez é muito simples para acontecerem erros, mas em outros feitiços o erro pode acontecer e ter consequências, porém se o bruxo estuda e presta atenção ao que faz dificilmente isso irá acontecer.

E antes de qualquer dúvida: vale sim usar feitiços criados por outras pessoas, porém essa opção de criar o próprio feitiço é muito usada quando não se encontra o que quer e/ou se sente desconfortável com as técnicas[bb]de outras pessoas ou ainda se sente  necessidade, ok? No próximo capítulo falaremos sobre como usar feitiços criados por outras pessoas.

 

Rosea Bellator

ATENÇÃO: A reprodução parcial ou total deste texto é PROIBIDA e protegida por LEI. Para usar este texto entre em contato com a autora.

Veja mais! Clique nos links a seguir:

Veja a parte 2 desse artigo:  Introdução aos Feitiços e Rituais – parte 2

Feitiço da mãe Tríplice

Os ingredientes da bruxa

O que é Magia?

Livro: O livro das Sombras

Bruxa, taróloga, eterna aprendiz e amante dos Mistérios da Vida. Também é uma louca devoradora de livros, escritora e agora decidiu que quer entrar na área da Fotografia e mostrar toda a beleza da Bruxaria.